1800

  • 16/2/1800: Fundado o Seminário de Olinda, PE, Escola de heróis, centro de excelência no ensino, foco de independentismo e republicanismo.

1801

  • 17/2/1801: Os EUA elegem pres. a Thomas Jefferson, o mais avançados dos "pais da pátria".

  • 21/5/1801: Começa a repressão ao Aerópago de Itambé, sociedade secreta revolucionária em PE.

1802

  • 26/2/1802: Nasce em Besançon Victor Hugo, o romancista francês de Os Miseráveis.

1803

  • 7/4/1803: Morre de maus-tratos em prisão francesa Toussaint Louverture, 59 anos, líder dos escravos rebeldes do Haiti.

1804

  • 1/1/1804: Independência do Haiti, 1º estado soberano da América Latina, graças à inssurreição vitoriosa dos escravos.

1805

  • 1/2/1805: Nasce em Nice o revolucionário francês Auguste Blanqui, inspirador (mesmo preso) da Comuna de Paris, embora adepto da via conspirativa ("blanquista").

  • 2/12/1805: Napoleão bate os exércitos da Rússia e Áustria na batalha de Austerlitz.

1806

  • 17/10/1806: Morre Jean-Jacques Dessalines, 48 anos, chefe da vitoriosa revolução dos cativos do Haiti. O exemplo haitiano tira o sono dos escravistas do Brasil.

1807

  • 26/5/1807: Delatado à polícia plano de levante dos escravos haussás do Recôncavo Baiano.

  • 29/5/1807: Data prevista para inssurreição dos escravos haussás de Salvador e do Recôncavo, no dia de Corpus Christi. Delatada, sufocada e punida com penas de morte e açoite.

  • 4/7/1807: Nasce em Nice Giuseppe Garibaldi, o Herói de 2 Mundos.

  • 29/11/1807: O regente d. João embarca para o Brasil escondido. O povo de Lisboa vaia a fuga da família real.

1808

  • 28/1/1808: Abertura dos portos. Começa o processo de superação do domínio colonial do Brasil, que vai até 1831.

  • 18/2/1808: Fundada a Escola de Medicina e Cirurgia do Hospital Militar, BA, 1ª de nível universitário no país.

  • 7/3/1808: A família real portuguesa chega ao Rio.

  • 1/4/1808: Abolido o alvará de 1785 que proíbe indústrias no Brasil.

  • 2/5/1808: Levante do povo de Madri contra a ocupação francesa, afogado em sangue, como retratará Goya em 1814.

  • 10/5/1808: Criada a Intendência Geral de Polícia (com funções que vão dos serviços de água e luz a açoitar escravos).

  • 1/6/1808: Hipólito José da Costa lança em Londres o 1º jornal brasileiro, Correio Brasiliense.

  • 13/8/1808: D. João cria a Imprensa Régia e junto a censura prévia…

  • 10/9/1808: A Gazeta do Rio de Janeiro, 1º jornal impresso no Brasil, oficial, 4 págs., sob censura.

  • 12/10/1808: Alvará real cria o 1º Banco do Brasil.

  • 25/11/1808: Fim da proibição da posse de terras por estrangeiros.

1809

  • 5/1/1809: Escravos nagôs, haussás, e jejes se insurgem no Recôncavo, BA. Queimam canaviais, fogem às centenas, atacam Nazaré das Farinhas, mas são batidos (7/1). Presos 83 homens e 13 mulheres.

  • 12/2/1809: Nasce o cientista inglês Charles Darwin, autor da teoria da evolução das espécies, após viagem que incluiu o Brasil.

  • 12/2/1809: Nasce Abraham Lincoln, pres. dos EUA na vitória sobre o escravismo.

  • 13/5/1809: Nasce a PM, usando chibatas contra quilombolas e capoeiras.

1810

  • 4/2/1810: Carta Régia autoriza tipografia em Salvador, BA, sob a dupla censura do governador e do arcebispo.

  • 26/2/1810: Portugal e Inglaterra firmam tratados lberais de comércio: privilégios para mercadorias inglesas.

  • 16/9/1810: Grito de Dolores: revolução social e anticolonial no México arma 80 mil homens sob comando dos pes Miguel Hidalgo (decapitado, 1811) e José Morelos (fuzilado, 1815).

  • 4/12/1810: Carta Régia ordena criação de usina de ferro de Ipanema, Sorocaba, SP. Será a 1ª unidade industrial brasileira, mas usando o braço escravo

1811

  • 13/5/1811: Criada a Real Biblioteca do Rio.

  • 3/8/1811: Aberta a Biblioteca Pública da BA.

1812

  • 20/10/1812: Imposto extraordinário e subscrição adicional dos acionistas para capitalizar o jovem Banco do Brasil.

1813

  • 18/2/1813: Denunciada conspiração rebelde dos escravos haussás das docas de Cachoeira, BA

  • 18/2/1813: Rebelião dos escravos-pescadores de Itapoã, BA, liderada por Francisco; mata o feitor e mais 12 brancos e ruma para Salvador; derrotada na travesia do r. Joanes, onde morrem 56 rebeldes; 4 enforcados, vários deportados

  • 5/10/1813: Abolição da escravatura no México

1814

  • 28/2/1814: Rebelião dos escravos-pescadores de Itapoã, BA, liderada por Francisco. Mata o feitor e outros brancos e ruma para Salvador. Derrotada no do rio Joanes, onde morrem 56 rebeldes; 4 enforcados, vários deportados.

  • 20/3/1814: Rebelião dos escravos do engenho da Ponta, Cachoeira, BA.

  • 6/7/1814: Nasce em Aracati, CE, Eduardo Nogueira, o Angelim, principal líder da Cabanagem amazônica, chefe (aos 21 anos) do governo popular-revolucionário do Grão-Pará (1835-1836).

  • 19/11/1814: Morre em Vila Rica, MG, o escultor e arquiteto Antonio Francisco Lisboa, o Aleijadinho, 74 anos, gênio do barroco mineiro.

1815

  • 18/6/1815: Derrota de Napoleão em Waterloo. Restauração conservadora na França e na Europa (até 1848).

  • 22/12/1815: Fuzilado no México o padre revolucionário José María Morelos.

1816

  • 19/3/1816: Morre a rainha Maria I, aos 81 anos de idade e 25 de loucura (mania religiosa). O regente d. João torna-se rei de Portugal e do Brasil.

  • 9/7/1816: Independência das Províncias Unidas do Rio da Prata (hoje Argentina).

  • 29/7/1816: Decreto de d. João VI proíbe a navegação de cabotagem no Brasil a navios estrangeiros.

  • 4/12/1816: D. João VI permite estradas para o interior de MG e ES, proibidas em todo o período colonial.

  • 8/12/1816: Insurreição de escravos em Sto Amaro-S. Francisco do Conde, pólo açucareiro da BA;. Chega a atacar Sto Amaro. Esmagada em 12/12 por Jerônimo Fiuza Barreto, tido como o "salvador do Recôncavo".

1817

  • 6/3/1817: Começa, na fortaleza de 5 Pontas, Recife, a Revolução Pernambucana de 1817, que se estenderá à PB, RN e sul do CE. Proclama a República, sonhada pelos conjurados de MG e BA, e forma um governo provisório, com uma ala jacobina que propõe a libertação imediata dos escravos.

  • 8/3/1817: 1ª tipografia em Recife, PE, a serviço da Revolução republicana.

  • 10/3/1817: Os revolucionários de PE lançam o manifesto Preciso: "Viva a pátria, vivam os patriotas e acabe para sempre a tirania real".

  • 11/3/1817: A PB adere à Revolução de 1817.

  • 12/3/1817: Em Itabaiana, PB, coluna armada de escravos adere à Revolução de PE erguendo bandeira branca, símbolo da liberdade.

  • 29/3/1817: Fuzilado em Salvador o padre Roma, herói da Revolução de 1817, delatado e preso ao tentar estendê-la à BA. Seu filho José Inácio de Abreu e Lima, também preso, mais tarde lutará ao lado de Bolívar e editará no Recife (1855) o jornal Socialismo.

  • 2/4/1817: Abençoada e consagrada no Recife a bandeira da Revolução Republicana.

  • 26/4/1817: Morre André de Albuquerque Maranhão, líder da Revolução Republicana de 1817 no RN. Em sua última noite, já ferido de morte na cela do forte dos Reis Magos, seus algozes dão-lhe uma pedra por travesseiro, pois "é o que merecem os patriotas".

  • 12/6/1817: Fuzilados em Salvador mais 3 chefes da República de PE.

  • 25/6/1817: O rei proíbe pela 3ª vez, sob pesadas penas, a circulação do jornal Correio Brasiliense.

  • 10/7/1817: Executados no Recife 4 líderes da insurreição republicana de 1817.

  • 16/7/1817: Chegam ao Rio os cientistas alemães Martius e Spix. Irão percorrer 10 mil km, estudando da flora aos índios do Brasil.

  • 16/9/1817: O rei separa AL de PE, como castigo pela Revolução de 1817.

1818

  • 12/2/1818: Independência do Chile.

  • 30/3/1818: D. João VI proíbe sob pena de morte a Maçonaria e qualquer sociedade secreta.

  • 5/5/1818: Nasce em Treves, Alemanha, Karl Marx, fundador ao lado de Engels do socialismo científico, autor do Manifesto do partido comunista e dO capital, dirigente da I Internacional e principal teórico da luta dos trabalhadores pela superação do capitalismo.

  • 16/5/1818: D. João VI aprova a vinda de colonos suíços para Cantagalo (hoje Nova Friburgo), RJ. A Suíça ainda sofre os efeitos da dramática fome de 1817.

  • 1/11/1818: Varnhagen inicia fundição industrial de ferro pela 1ª vez no país, em Ipanema (Sorocaba), SP. O trabalho é escravo.

  • 12/11/1818: 365 dias após a batalha de Chacabuco, O'Higgins proclama a independência do Chile.

1819

  • 14/1/1819: Isenção de impostos sobre a importação de livros.

  • 15/2/1819: Congresso de Angostura, convocado por Bolívar, em busca da Pátria Grande latino-americana.

  • 17/2/1819: Morre Silvério dos Reis, feito fidalgo e premiado em dinheiro, mas tão malquisto que tem de mudar de MG para o MA, sob o nome falso de Joaquim Montenegro, e até ali chega sua fama.

  • 4/6/1819: Os 1os colonos suíços chegam ao RJ, tocados pela fome de 1817 em seu país, para fundar Nova Friburgo; 80 morrem na viagem.

  • 4/10/1819: 1ª linha brasileira de navegação a vapor: Salvador-Cachoeira, BA.

  • 17/12/1819: Congresso de Angostura cria a República da Grã-Colômbia (que inclui Venezuela, Panamá e Equador atuais). Bolívar pres.

1820

  • 6/4/1820: Decreto cria os Correios do Brasil.

  • 24/8/1820: Revolução Liberal, pela Constituição. Estoura no Porto, a seguir em Lisboa.Convoca a 1ª eleição em Portugal. A notícia chega ao Rio em 17/10.

  • 5/9/1820: Artigas e seus homens se refugiam no Paraguai, Portugal incorpora o Uruguai ao Brasil, com o nome de Banda Oriental.

  • 28/11/1820: Nasce em Barmen Friedrich Engels, teórico revolucionário alemão cuja obra é inseparável da de Marx, com quem escreverá, aos 27 anos, o Manifesto do Partido Comunista.

1821

  • 1/1/1821: Belém, com a tropa rebelada, adere à Revolução Liberal do Porto.

  • 21/1/1821: As Cortes (Parlamento) instalam-se em Lisboa. Fim do absolutismo, embora com sentido dúbio frente ao Brasil.

  • 10/2/1821: A tropa sediada na BA se subleva, depõe o governador (português) e aclama uma junta. Começa a Guerra da Independência.

  • 24/2/1821: Independência do México.

  • 26/2/1821: A tropa reunida no Rio obriga d. João VI a jurar a Constituição, ainda por fazer.

  • 2/3/1821: Abolida a censura prévia no Brasil, sob pressão da Revolução do Porto.

  • 27/3/1821: Nasce o 1º jornal de PE, Aurora Pernambucana.

  • 21/4/1821: Consulta sobre o futuro ministério do regente d. Pedro. Agitação popular, repressão, 1 morto. A pça do Comércio, no Rio, vira "açougue dos Braganças".

  • 26/4/1821: D. João VI volta a Lisboa, sob pressão da Revolução Liberal do Porto.

  • 5/6/1821: Agitação na tropa, RJ, exige que o regente d. Pedro jure já a futura Constituição.

  • 24/6/1821: Libertação da Venezuela; Bolívar vence a batalha decisiva de Carabobo e entra em Caracas.

  • 28/6/1821: Motim do 1º Batalhão de Caçadores de Santos, SP, dito da Fome, contra o atraso nos soldos e o jugo português.

  • 30/6/1821: Revolta dos escravos de Lavras, a maior das muitas de MG, liderada pelo negro livre Argoim. Ergue em armas 15 mil escravos em Ouro Preto e 5 mil em S. João del Rei. Exige que vigore no Brasil a recém-jurada Constituição portuguesa, que torna brancos e negros livres e iguais.

  • 12/7/1821: Bolivar cria a República da Grã-Colômbia (que inclui Equador, Panamá e Venezuela atuais).

  • 28/7/1821: San Martin proclama em Lima a independência do Peru.

  • 28/7/1821: De cofre limpo por d. João VI ao ir embora, o Banco do Brasil suspende seus pagamentos.

  • 12/8/1821: Criada a Universidade de Buenos Aires.

  • 13/9/1821: Fim da escravidão no México.

  • 26/10/1821: Rebelião em Goiana põe no governo de PE um ex-republicano de 1817.

  • 2/11/1821: Ensaio de sublevação pró-independência na BA, taxado de "terrorista" pelas autoridades coloniais.

1822

  • 11/1/1822: A tropa portuguesa pega em armas contra o "Fico" e os cabras (brasileiros), pelo domínio colonial. Mas se isola, recua do Rio para Niterói e termina expulsa.

  • 19/2/1822: Os partidos brasileiro e português combatem em Salvador. Soldados lusos matam soror Joana Angélica, heroína da Independência, para invadir o convento da Lapa.

  • 1/4/1822: Surge o jornal O Paraense. Seu redator, Felipe Patroni, é preso em maio.

  • 24/5/1822: Batalha de Pichincha liberta o Equador do jugo espanhol.

  • 15/6/1822: O gen. português Madeira de Melo, governador das armas da BA, hostil à independência do Brasil, rompe com d. Pedro.

  • 25/6/1822: A Câmara da vila de Cachoeira rompe com Lisboa. Início da Guerra de Independência na BA, com forte adesão popular, crucial para o fim do domínio colonial no Brasil.

  • 26/6/1822: Bolívar e San Martin encontram-se, em Guaiaquil, Equador.

  • 7/9/1822: Grito do Ipiranga. No calendário oficial, a data marca a independência do Brasil. Na verdade, a separação de Portugal inicia bem antes (1808), finda bem depois (com a derrubada de d. Pedro I, 1831) e não resolve por inteiro a questão da dependência, que volta a se agravar com a ofensiva neoliberal dos anos 90

  • 7/9/1822: Maçons presos no Rio por "demagogia" (subversão).

  • 18/9/1822: Levante da tropa de negros e pardos no Recife. O mestiço Pedro da Silva Pedroso lidera.

  • 5/10/1822: 7 deputados do Brasil às Cortes repudiam a Constituição de Portugal e fogem para Londres.

  • 12/10/1822: D. Pedro I é aclamado imperador, no Rio.

  • 13/10/1822: João das Botas, o legendário guerrilheiro naval da Guerra de Independência da BA, enfrenta 11 naves dos portugueses por 3 hs. em Itaparica.

  • 21/10/1822: Guerra da Independência: a defesa do engenho de Conceição (BA) repele ataque dos portugueses. No dia seguinte, com reforços, estes incendeiam o lugar.

  • 8/11/1822: Vitória brasileira em Pirajá e Cabrito decide a Guerra de independência, BA.

  • 20/12/1822: O gabinete de José Bonifácio manda exilar José Clemente Pereira e outros liberais.

  • 21/12/1822: O jornalista revolucionário Cipriano Barata chega a Recife, vindo de Londres.

  • 23/12/1822: Combates na ilha de Itaparica, Guerra da Independência, BA.

  • 28/12/1822: Ofensiva geral brasileira na Guerra de Independência, BA.

1823

  • 14/3/1823: Levante do 2º Regimento de Infantaria, PA, sufocado.

  • 20/3/1823: Vila Rica, capital de MG, passa a cidade com o nome de Ouro Preto.

  • 9/4/1823: Surge no Recife o jornal Sentinela da Liberdade, democrata-radical, patriótico, filo-republicano Seu redator, Cipriano Barata, muitas vezes irá escrevê-lo de dentro do cárcere.

  • 3/5/1823: D. Pedro I abre a 1ª Constituinte do Brasil com ameaça: só aceita a Carta se "for digna de mim".

  • 21/5/1823: O partido brasileiro da Guerra de Independência na BA, com forte marca popular, não aceita as ordens do general francês Labatut: destitui-o, prende-o e despacha-o de volta para o Rio.

  • 28/5/1823: Na Amazônia sob domínio português mesmo depois do Ipiranga, o partido brasileiro de Muaná (Marajó) proclama a independência do Brasil e toma em armas. Os colonialistas esmagam o movimento.

  • 29/6/1823: Nossa 1ª Constituinte isenta seus próprios atos de sanção imperial. D. Pedro I acha ruim.

  • 2/7/1823: Tomada de Salvador. A vitória brasileira conclui a Guerra de Independência da BA. A data é festejada desde 1824 com um desfile onde as imagens do caboclo e da cabocla exaltam (após 1826) sua marca popular.

  • 28/7/1823: Vitória do partido brasileiro na Guerra de Independência no MA.

  • 10/8/1823: O brigue de Grenfell chega ao PA e obriga-o a aderir (15/8) à Independência do Brasil.

  • 20/8/1823: D. Pedro I condecora Maria Quitéria, heroína da BA, que morrerá no abandono em 1853.

  • 13/10/1823: Começa a circular em Ouro Preto o Compilador Mineiro, 1º jornal de MG.

  • 15/10/1823: Levante do povo e tropa no PA leva (por 1 dia) ao governo o pe Batista Campos, patriota revolucionário.

  • 22/10/1823: O inglês lord Grenfell, a serviço de d. Pedro I, sufoca levante em Belém e prende 256 liberais no porão do brigue Palhaço. À noite, atira cal virgem no porão superlotado. No dia seguinte, apenas 4 prisioneiros estão vivos.

  • 11/11/1823: Noite da Agonia: a Constituinte tenta resistir ao despotismo de d. Pedro I.

  • 12/11/1823: D. Pedro I dissolve a 1ª Constituinte brasileira: prisões, deportações. Ao sair do prédio, Antonio Carlos de Andrada tira o chapéu com ironia para "sua magestade, o canhão".

  • 17/11/1823: 2 mil patriotas em armas do partido brasileiro derrotam os portugueses em Cametá e consolidam a adesão do Grão-Pará à Independência.

  • 21/11/1823: 1ª lei de imprensa brasileira: rígidos dispositivos de censura.

  • 2/12/1823: Lançada a Doutrina Monroe: "A América para os americanos", base do futuro expansionismo dos EUA no Continente.

1824

  • 128/1/1824: Ensaio, frustrado, de "pacificação" dos "botocudos" (Aimoré). Desde o s. 16 este povo guerreiro impede a conquista de suas terras no ES, sul da BA e MG.

  • 25/3/1824: Pedro I outorga sua Constituição.

  • 27/4/1842: S. Paulo passa a ter iluminação pública a azeite.

  • 22/6/1824: Ecos da revolução anti-escravista no Haiti: no Recife Emiliano Mundurucu subleva o regimento dos pardos.

  • 2/7/1824: Pais de Andrade em PE a Confederação do Equador.

  • 14/7/1824: A Confederação do Equador triunfa na PB.

  • 25/7/1824: D. Pedro I suspende garantias individuais para reprimir a Confederação do Equador.

  • 7/9/1824: 1º empréstimo externo ao Brasil, o Português, tomado em Londres, com a renda da alfândega como garantia.

  • 13/9/1824: Confederação do Equador: violento combate no Recife entre tropas imperiais e rebeldes republicanos.

  • 17/9/1824: Derrota da Confederação do Equador. O exército imperial toma o último reduto republicano no Recife.

  • 25/10/1824: Levante do Batalhão dos Periquitos, herói da Guerra de Independência, em Salvador; 2 condenados à morte.

  • 31/10/1824: Derrota da Confederação do Equador no CE (Sta Rosa). Seu líder, Tristão de Alencar Araripe, morre em combate.

  • 29/11/1824: O célebre chefe de polícia Teixeira Aragão censura peças, poesias e pasquins no Rio.

  • 5/12/1824: Lei complementar à Constituição imperial brasileira proíbe escravos e leprosos de frequentarem a escola. Instruir a escravaria, classe trabalhadora fundamental da época, para os senhores legisladores é crime…

  • 19/12/1824: Batalha de Ayacucho; independência da Bolívia; fim do império hispanoamericano.

1825

  • 13/1/1825: Fuzilado Frei Caneca, revolucionário republicano, herói da Confederação do Equador. O império autocrático sentenciou-o à forca (morte degradante), mas ele termina fuzilado por não se encontrar no Recife um carrasco, preso ou escravo que aceite enforcá-lo.

  • 7/3/1825: Executados no Rio 3 líderes da Confederação do Equador.

  • 19/4/1825: Os 33 orientais desembarcam em Colônia. Começa a guerra de libertação do Uruguai.

  • 30/4/1825: Fuzilado no Recife o pe Mororó, revolucionário cearense de 1817 e 1824.

  • 29/8/1825: Portugal cede ao inglês G. Canning e acata a independência do Brasil, que aceita se endividar para pagar contas da ex-metrópole.

  • 7/11/1825: Surge O Diário de Pernambuco, PE.

1826

  • 22/1/1826: O Império instala o 1º Senado: 50 senadores nomeados e vitalícios, já então um reduto conservador.

  • 16/12/1826: Quilombolas do Urubu, BA, atacam no Cabula e planejam revolta geral. Enfrentam a milícia e capitães-do-mato aos gritos de "Morra branco, viva negro!". Mulheres também combatem, lideradas por Zeferina. Derrotam capitães-do-mato, matando 2. Sofrem novo taque e recuam, deixando 4 mortos.

1827

  • 15/1/1827: Intrigado pela marquesa de Santos e destratado por d. Pedro I, o Gabinete se demite.

  • 7/2/1827: Começa a circular (até 1833) O Farol Paulistano, 1º periódico de SP.

  • 20/2/1827: O Império perde para os uruguaios a batalha de Passo do Rosário.

  • 22/3/1827: Começa à noite no engenho (hoje usina) Vitória insurreição de escravos que se espalha por Cachoeira, BA. É esmagada pela cavalaria das milícias; 30 prisões.

  • 26/3/1827: Morre aos 56 anos, surdo e atormentado, Ludwig van Beethoven, para muitos o maior de todos os compositores.

  • 22/4/1827: Sublevação dos escravos do engenho (hoje usina) Vitória, BA.

  • 11/8/1827: Surgem os 1os cursos jurídicos do país, em S. Paulo e Olinda. A data dá nome ao CA de Direito da USP.

1828

  • 11/3/1828: Escravos de Cabrito e Salvador iniciam insurreição, esmagada em Pirajá.

  • 12/3/1828: Insurreição de escravos em Itapoã, BA, queima engenhos e enfrenta a polícia. Detida às custas de 20 mortos, 8 feridos e 4 prisioneiros, na Engomadeira. Seu líder, Joaquim Nagô, leva 150 açoites

  • 17/4/1828: Sublevação de escravos em Cachoeira, Recôncavo Baiano. Dura 6 dias.

  • 21/4/1828: Guerrilheiros uruguaios de Fructuoso Rivera penetram na Zona das Missões, RS.

  • 12/6/1828: Levante dos mercenários alemães e irlandeses no Rio.

  • 18/6/1828: Expedição repressiva contra os escravos há 4 anos em revolta, guerrilhando feitores e capitães-do-mato no engenho Santana, do marquês de Barbacena, Ilhéus, BA. Segundo os repressores, dessa vez foram batidos.

  • 27/8/1828: Acordo Brasil-Argentina reconhece o Uruguai como estado-tampão independente e fixa limites do RS.

  • 9/9/1828: Nasce em família da nobreza o romancista russo Leon Tolstoi, autor de Guerra e Paz, que retratará e denunciará com maestria a velha Rússia servil, de um ponto de vista democrático-camponês.

  • 18/9/1828: Nasce o Supremo Tribunal de Justiça (após 1891 STF).

  • 1/10/1828: Lei imperial despolitiza e submete as Câmaras Municipais.

  • 10/12/1828: Polícia da BA aprova plano de repressão a escravos rebeldes.

1829

  • 17/4/1829: Nova rebelião de escravos em Cachoeira, BA, vencida 5 dias depois. Muitos cativos aproveitam para fugir.

  • 23/4/1829: As tropas imperiais deixam Montevidéu. Fim da ocupação brasileira no Uruguai.

  • 23/9/1829: Liquidado o 1º Banco do Brasil, por inadimplência.

  • 16/10/1829: Rebelião dos escravos de 3 engenhos de Cotegipe, BA.

  • 3/12/1829: 1ª exposição de belas artes, no Rio.

1830

  • 10/4/1830: Sublevação de escravos nagôs em Salvador rebela os mercados de cativos: 50 mortos, 41 presos. A polícia impõe toque de recolher às 21 hs.

  • 21/6/1830: Nasce em Salvador Luís Gama, filho da africana nagô Luiza Mahin (implicada na insurreição de 1835) com um fidalgo branco que o vende aos 10 anos. Em SP, foge, torna-se jornalista, poeta, abolicionista e advogado responsável pela libertação de mais de 500 cativos.

  • 29/7/1830: Vitória da Revolução Liberal na França, após 3 dias de barricadas em Paris. Fim da Restauração.

  • 14/9/1830: Chega ao Brasil a notícia da Revolução de Julho na França.

  • 2/10/1830: Borges da Fonseca lança no Rio o jornal Repúblico.

  • 12/10/1830: Professores de SP negam-se a festejar aniversário de d. Pedro I.

  • 20/11/1830: Tiros e pauladas ferem de morte o jornalista de oposição Líbero Badaró, em SP. Suspeita-se que o imperador é o mandante. O enterro tem 5 mil pessoas.

  • 17/12/1830: Morte de Bolívar na Colômbia.

  • 30/12/1830: D. Pedro I viaja a MG ao som de dobres de finados pela morte de Líbero Badaró, atribuida à repressão imperial.

1831

  • 14/3/1831: Noite das Garrafadas: luta de rua entre brasileiros e portugueses no Rio precipita a queda de d. Pedro I (que é visto, na sacada de um sobrado, atirando nos brasileiros) e o fim efetivo do domínio português.

  • 7/4/1831: Revolta do povo e da tropa nas ruas do Rio obrigam d. Pedro I a abdicar (em favor do filho de 5 anos) e sair do Brasil. Conclui-se a independência de Portugal. Escolhida a Regência Trina Provisória, que pede moderação aos manifestantes.

  • 19/5/1831: Borges de Medeiros funda a Sociedade Defensora da Liberdade e Independência.

  • 2/6/1831: Levante liberal no 24º Batalhão, PA.

  • 5/6/1831: Lei repressiva permite formar milícias com cidadãos-eleitores (abastados); é o embrião da Guarda Nacional.

  • 11/6/1831: O pe Batista Campos funda a Sociedade Filantrópica, o partido dos cabanos (PA).

  • 12/7/1831: Revolta da tropa do 26º Batalhão (Rio) abre a Crise de Julho e abala o Império.

  • 14/7/1831: Tropa e povo do Rio rebelam-se por mais liberdade, novo governo, Constituinte. O Batalhão Sagrado (só de oficiais) reprime.

  • 27/7/1831: Projeto de José Bonifácio e Alves Branco (não aprovado) dá direito de voto a mulheres viúvas e separadas.

  • 17/8/1831: Lançado em Maceió o jornal Íris Alagoense, 1º de AL.

  • 18/8/1831: Nasce a Guarda Nacional, braço armado da oligarquia, que teme o espírito revoltoso do Exército.

  • 30/81831: O pe Feijó, min. da Justiça, reduz de 30 mil para 10 mil os efetivos militares na Corte, por temer novas sublevações da tropa.

  • 7/9/1831: Levante na Artilharia da Marinha, Rio.

  • 14/9/1831: Levante da tropa no Recife, sufocado à custa de 300 praças mortos.

  • 28/9/1831: Revolta dos Tiros no Teatro, Rio.

  • 6/10/1831: O jornalista Cipriano Barata, preso, subleva a tropa da Ilha das Cobras, Rio.

  • 27/10/1831: Lei de "abolição definitiva" da escravidão e servidão de indígenas (não "pega").

  • 27/10/1831: A Fac. de Direito de S. Paulo forma seus 5 1os bacharéis.

  • 7/11/1831: Lei que proíbe o tráfico de escravos, totalmente desrespeitada.

  • 14/11/1831: Morre em Berlim Georg Friedrich Hegel, 71 anos, notável filósofo alemão, edificador do método dialético que o marxismo irá por "de cabeça para cima", libertando-o do idealismo hegeliano.

  • 21/11/1831: Revolta dos tecelões de Lion, França. Domina a cidade até a revanche repressiva em 3/12.

  • 28/12/1831: Charles Darwin, 22 anos, inicia viagem de pesquisa que incluirá o Brasil e fornecerá bases à teoria de evolução.

1832

  • 16/2/1832: Motim militar liberal em Salvador, BA.

  • 19/2/1832: Insurreição federalista toma o poder em Cachoeira, BA.

  • 20/3/1932: S. Freud publica Lições de Introdução à Psicanálise.

  • 4/4/1832: Charles Darwin, 23 anos, chega ao Rio a bordo do Beagle. Indigna-se com a escravidão, admira a natureza e os quilombos.

  • 14/4/1832: Abrilada, rebelião liberal em PE.

  • 23/10/1832: Soldados da capital da PB se rebelam contra os baixos soldos.

  • 29/11/1832: 1º Código do Processo Criminal: juíz de paz eleito, habeas-corpus.

1833

  • 9/1/1833: A polícia ataca quilombo na ilha dos Marinheiros, RS, mata o líder, Lucas, e prende 10 escravos.

  • 1/12/1833: O pres. de AL queixa-se dos papaméis, quilombolas-guerrilheiros, da área de Porto Calvo: "Mais se assemelham a uma horda de antropófagos"

  • 5/12/1833: Manifestantes exaltados fazem quebra-quebra na Sociedade Militar e prendem José Bonifácio, na época um restaurador.

1834

  • 16/1/1834: 1ª Carneirada, rebelião popular chefiada pelos irmãos Carneiro no Recife.

  • 3/2/1834: Basílio Torreão, revolucionário de 1817 e 1824, funda O Ateneu, 1º jornal impresso no RN.

  • 9/4/1834: 2ª rebelião dos tecelões de Lion, França: 3 dias de barricadas.

  • 30/5/1834: Revolta mata-marinheiro, contra a elite mercantil portuguesa em Cuiabá.

  • 6/8/1834: Ato Adicional cria Regência una de 4 anos, e eleita ("experiência republicana").

  • 16/10/1934: Começa a Longa Marcha (12 mil km em 1 ano) do Exército Vermelho da China, até a zona libertada de Yenan; 90 mil guerrilheiros morrem nos combates do percurso.

  • 27/10/1834: Conselho de Acará-Açu faz apelo às armas. Início da Cabanagem no PA.

  • 31/12/1834: Morre em Barcarena, PA, o cônego Batista Campos, precursor da Cabanagem.

1835

  • 3/1/1835: O temido chefe de polícia Teixeira de Aragão institui no Rio o "Toque do Aragão" (espécie de toque de recolher), às 22 hs. Depois dele, "ninguém será isento de ser apalpado e corrido pelas patrulhas".

  • 7/1/1835: Exército de rebeldes toma Belém e assume o governo. Vitória da Cabanagem, "o mais notável movimento popular no Brasil, o único em que as camadas populares conseguiram ocupar o poder em toda uma província" (Caio Prado Jr.)

  • 24/1/1835: Grande insurreição dos escravos malês une haussás, jejes e tapas em Salvador, BA. Conexão, frustrada, com os cativos dos engenhos. Combate em Água de Meninos: 100 mortos, 281 presos.

  • 19/2/1835: 1º bombardeio naval de Belém, PA, capital da revolução cabana.

  • 21/2/1835: 2º governo cabano no PA (Francisco Vinagre).

  • 17/3/1835: 3ª Carneirada, rebelião popular chefiada pelos irmãos Carneiro em Recife.

  • 7/4/1835: O pe Feijó é o 1º governante brasileiro eleito (regente único): tem 2.826 votos, o conservador Cavalcanti de Albuquerque 2.251.

  • 14/5/1835: Fuzilados em Salvador 5 líderes da grande insurreição malê de

  • 24/1/1835: os escravos Gonçalo, Joaquim e Pedro, os negros forros José Francisco Gonçalves e Jorge de Cunha Barbosa. Os mortos no levante sobem a 100.

  • 10/6/1835: Aprovada a pena de morte contra escravo que mate ou moleste seu senhor ou feitor. Não cabe recurso da sentença, se condenatória.

  • 14/8/1835: 2º ataque dos cabanos a Belém, tomada após 9 dias de combate casa por casa; 3º bombardeio naval da cidade pela tropa imperial, inimiga de morte da Cabanagem.

  • 23/8/1835: 3º governo Cabano no PA (Eduardo Angelim); a Cabanagem radicaliza sua feição popular.

  • 19/9/1835: Os farrapos (liberais avançados) do RS tomam Porto Alegre. O pres. da província foge. Inicia a fase armada da Revolução Farroupilha, republicana, aboliconista, que resistirá por 10 anos às armas imperiais.

  • 27/9/1835: Combate da Revolução Farroupilha em Serrito (hoje Jaguarão).

  • 14/10/1835: 1as barcas a vapor Rio-Niterói; a passagem custa 100 réis, escravo paga 80.

  • 31/12/1835: Tropa francesa ocupa fortim do lado direito do Oiapoque (AP).

1836

  • 9/4/1836: Começa a ofensiva militar imperial contra a Cabanagem na Amazônia.

  • 13/5/1836: Os cabanos rompem o cerco a Belém e entram pela selva. A repressão irá matar 40 mil na Amazônia até 1840.

  • 15/6/1836: Os farroupilhas perdem Porto Alegre. Bento Manuel deserta.

  • 10/9/1836: Vitória farroupilha na batalha de Seival, RS. 11/9/1836: Farroupilhas de Jaguarão pregam a República.

  • 4/10/1836: O líder farroupilha Bento Gonçalves é preso no combate do Fanfa, RS. 30/10/1836: O líder cabano Eduardo Angelim, preso no interior onde se abrigava entre os índios do alto Acará, é levado a Belém.

  • 6/11/1836: Os rebeldes farrapos do RS proclamam na vila de Piratini a República do Rio Grande.

1837

  • 18/3/1837: Decreto da Regência "sobre crimes da liberdade de imprensa".

  • 8/4/1837: Vitória do republicano farroupilha Sousa Neto sobre os imperiais em Caçapava, RS: 540 prisioneiros.

  • 20/6/1837: Coroação da rainhaVitória. Começa a era vitoriana (até 1901), apogeu do Império britânico.

  • 23/6/1837: Nasce em Buenos Aires a Asociación de Mayo, socialista.

  • 10/9/1837: O líder republicano Bento Gonçalves foge em canoa da prisão no forte do Mar, BA. Volta ao RS e retoma a Revolução Farroupilha.

  • 19/9/1837: Feijó deixa a Regência. Sobe o futuro marquês de Olinda, oligarca de PE, que inicia fase de reação.

  • 11/10/1837: 1ª lei sobre o trabalho imigrante.

  • 31/10/1837: Vitória dos farrapos de Bento Ribeiro e Canabarro sobre os imperiais em Espinilho, Cruz Alta, RS. Em paranaguá, PR, lanchão farroupilha apresa a sumaca D. Elvira.

  • 7/11/1837: Proclamada a República Bahiense, em Salvador. Início da Sabinada.

  • 30/11/1837: Derrota militar dos sabinos em Cabrito e Campina, BA.

  • 4/12/1837: A República Bahiense de Fernando Sabino perde Itapagipe para os imperiais.

  • 14/12/1837: 1ª caricatura publicada no Brasil (Rio), pelo Monitor Mercantil: denuncia a nomeação escusa do diretor do Correio Oficial.

1838

  • 13/3/1838: Ataque imperial a Salvador, em poder dos revolucionários sabinos.

  • 16/3/1838: Sucumbe em Salvador o último forte leal à República Bahiense. Fim da Sabinada: 1.091 mortos, 2.989 presos.

  • 20/3/1838: O governo de SE proíbe os "africanos", mesmo se forem libertos, de frequentarem a escola.

  • 5/4/1838: Morre José Bonifácio de Andrada, auto-exilado em Paquetá, RJ. Embora um conservador, o Patriarca da Independência teve o mérito de sugerir a reforma agrária e o fim da escravidão.

  • 30/4/1838: Os revolucionários farroupilhas tomam Rio Pardo, RS. Mais de mil imperiais mortos.

  • 8/5/1838: O cartismo inglês, 1º movimento político operário, lança a Carta do Povo, por direitos sociais e voto universal.

  • 18/5/1838: A polícia destrói a comunidade mística de Serra Talhada, PE, que mata crianças na Pedra Bonita para ressuscitar d. Sebastião; 29 mortos.

  • 1/6/1838: Morre em Natal o revolucionário Cipriano Barata.

  • 30/7/1838: Rafael de Carvalho lança em S. Luís o jornal liberal Bemtevi, precursor da Balaiada. Os camponeses e escravos rebeldes de 1838 no MA chamarão a si próprios bemtevis

  • 1/8/1838: Abolida a escravidão na Jamaica, com indenização dos proprietários.

  • 5/9/1838: Manifesto farroupilha expõe os motivos da revolução.

  • 21/10/1838: Fundado o Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, no Rio.

  • 1/11/1838: Sobe no Uruguai o pres. Fructuoso Rivera, aliado dos farroupilhas do RS.

  • 11/12/1838: O maj. Luís Alves Lima e Silva (futuro duque de Caxias) destrói em Sta Catarina, RJ, o quilombo de Manuel Congo, enforcado.

  • 13/12/1838: Raimundo Gomes inicia a Balaiada ao tomar a vila de Manga, MA, para libertar um irmão injustamente preso.

  • 21/12/1838: Os farroupilhas instalam em Alegrete, RS, seu Conselho de Municípios.

1839

  • 7/3/1839: As diversas colunas armadas dos balaios se reúnem para atacar Caxias, a 2ª maior cidade do MA. São perto de 5 mil homens em armas: lavradores, vaqueiros, artesãos, muitos escravos fugidos.

  • 10/7/1839: Rebelião dos 18 escravos da barca Laura Segunda, na costa do CE, contra a fome e os maus-tratos. Dominam a embarcação, encalham-na e tentam a fuga. Presos, 6 serão enforcados.

  • 1/8/1839: 2 mil rebeldes balaios tomam Caxias, 2ª maior cidade do MA (40 mil habs). É o ponto alto da Balaiada: todo o leste do MA e o noroeste do PI estão nas mãos de escravos aquilombados, caboclos e pobres livres mestiços, ofensivamente alcunhados de bodes pela elite escravista.

  • 6/9/1839: Enforcado em Vassouras, RJ, o chefe quilombola Manuel Congo. A prisão de Manuel e a destruição de seu quilombo, nos contrafortes da serra do Mar, foi tarefa do futuro duque de Caxias, na época capitão.

  • 24/9/1839: Giuseppe Garibaldi, o Herói de Dois Mundos, toma Laguna e proclama em SC a República Juliana. A Revolução Farroupilha rompe, temporariamente, o isolamento imposto pela armada imperial.

  • 22/10/1839: Enforcados em Fortaleza 6 líderes do motim de escravos a bordo da barca Laura Segunda.

  • 4/11/1839: Anistia aos remanescentes da Cabanagem, PA.

  • 15/11/1839: Os legalistas retomam Laguna, SC; fim da ofensiva farroupilha; Garibaldi a custo rompe o cerco em 3 barcos. Batismo de fogo de Anita Garibaldi.

  • 12/12/1839: O tte -cel. Luís Alves Lima e Silva é nomeado pres. do MA e chefe militar da repressão à Balaiada.

  • 20/12/1839: O império retoma dos farroupilhas Rio Pardo, RS.

1840

  • 3/3/1840: Os farrapos perdem batalha em Taquari, RS.

  • 25/3/1840: O último grupo cabano, 980 homens, rende-se em Maués, AM.

  • 18/6/1840: Raimundo Gomes ataca Gaiola, MA, com 300 balaios.

  • 23/7/1840: Golpe da Maioridade. O príncipe d. Pedro, de 14 anos, coroado imperador Pedro II.

  • 22/8/1840: Anistia a revoltosos (da Cabanagem, Farroupilha, Balaiada), mas no caso dos líderes só aceitando o desterro.

  • 13/10/1840: "Eleições do Cacete", fraudadas pela violência em todo o país.

  • 10/11/1840: Um fidalgo baiano (não se sabe seu nome), vende o filho de 10 anos como escravo ao capitão do patacho Saraiva. O menino é o futuro líder abolicionista Luiz Gama.

  • 16/11/1840: Vitória dos republicanos farroupilhas de Antonio Neto em S. Felipe, RS.

1841

  • 19/1/1841: Lima e Silva anuncia o fim da Balaiada no MA, após 5 mil mortes.

  • 3/12/1841: Reforma do Código de Processo dá mais poderes à polícia.

  • 10/12/1841: Gabinete da Oligarquia suspende os vereadores de Barbacena, MG.

1842

  • 5/4/1842: Condenado à forca em Itapicuru-Mirim, MA, o último líder da Balaiada, Cosme Bento das Chagas, 40 anos, que Caxias chama "o infame Cosme". Herói da luta do povo por liberdade e cultura, teve o descortino de fundar uma escola em seu quilombo nas nascentes do rio Preto. Será executado em data incerta entre 19-25/9/1840.

  • 17/5/1842: Começa em Sorocaba, SP, a Revolução Liberal.

  • 10/7/1842: A Revolução Liberal triunfa em Barbacena, MG. 7/8/1842: Criada no Rio, a OAB (Ordem dos Advogados do Brasil).

  • 8/8/1642: O Império nomeia Caxias governador das armas do RS, com a missão de debelar a Farroupilha.

  • 20/8/1842: Batalha de Sta Luzia. Vitória de Caxias marca o fim da Revolução Liberal em MG, mas os revolucionários ainda resistem no vale do Paraíba, SP. Os liberais (termo que na época tinha sentido distinto do atual) ganham o apelido de Luzias.

  • 29/8/1842: Tratado de Nankin. A China, vencida na Guerra do Ópio, cede Hong Kong à Inglaterra.

1843

  • 5/3/1843: Acordo da República Farroupilha com Fructuoso Rivera, pres. do Uruguai.

  • 17/3/1843: Mensagem de Caxias intima os farrouplihas a deporem as armas.

  • 13/4/1843: O navio tumbeiro (negreiro) Progresso (!), a caminho do Brasil, enfrenta tempestade com 400 cativos trancados no porão; 54 morrem sufocados e pisoteados.

  • 15/5/1843: Pe Feijó, julgado como rebelde de 1842, diz: "Não é crime pegar em armas para restaurar a Constituição".

  • 17/5/1843: Tarifa Alves Branco, de até 60% sobre os bens importados, em vez de 15%. O protecionismo gera um 1º surto industrial.

  • 26/5/1843: Derrota dos farroupilhas em Ponche Verde, RS.

1844
  • 24/5/1844: Samuel Morse instala nos EUA a 1ª linha de telégrafo, Baltimore-Washington.

  • 7/8/1844: Começa a circular no Rio Lanterna Mágica, 1º jornal de caricaturas.

  • 7/10/1844: Tratado paraguaio-brasileiro de comércio e navegação (que o Brasil não ratifica devido a disputa de limites).

  • 14/11/1844: Batalha de Porongos. Os farrapos sofrem grave derrota, perdem sua última peça de artilharia e enviam Vicente de Fontoura à Corte para negociar a paz.

1845

  • 28/2/1845: Acordo de Ponche Verde, assinado por Caxias e Canabarro. Inclui a anistia e alforria dos escravos que lutaram na revolução. A Farroupilha é a única rebelião com quem o Império negocia. Nas outras ele reprime até o total esmagamento.

  • 29/12/1845: Os EUA anexam o Texas, antes território mexicano.

1846

  • 19/11/1846: Embarca de volta à Europa o engenheiro francês Louis Lèger Vauthier, introdutor das idéias socialistas no Brasil (na versão de Fourier). A semente brotará na ala esquerda da Revolução Praieira (PE, 1848).

1847

  • 14/3/1847: Nasce em Curralinho, BA, Castro Alves, o poeta dos escravos.

  • 24/6/1847: Data planejada para o levante de escravos liderado pelo pardo livre Estêvão Pimenta em Vassouras, pólo cafeeiro do RJ, delatado e sufocado. Apóia-se numa estrutura clandestina com chefes, os Tates Corondos, e células de 5 rebeldes.

  • 6/7/1847: A polícia ataca o quilombo da serra do Couto, RS; 2 mortos, 6 presos. Os demais fogem.

  • 29/11/1847: Reunião da Liga dos Comunistas, em Londres, confia a Marx e Engels a redação do Manifesto do partido comunista. A obra fundadora do socialismo científico será publicada em fevereiro de 1948 (a história não registra o dia).

1848

  • 2/2/1848: O México, vencido na guerra, cede aos EUA 2 milhões de km2.

  • 22/2/1848: Revolução de 1848 na França; 2ª República. Uma sequência de revoluções (Primavera dos Povos) varrerá a Europa e estimulará a Revolução Praieira em PE.

  • 23/6/1848: Barricadas operárias de Paris, 1ª ação revolucionária independente do proletariado. A tropa do gen. Cavaignac as esmagará, a 26/6, com selvageria (10 mil mortos).

  • 20/7/1848: Criado o cargo de presidente do Conselho de Ministros do Império (serão 32 até 1889, um a cada 16 meses, 23 deles nordestinos).

  • 8/9/1848: Agitação do partido brasileiro (nacionalista) no Rio durante as eleições.

  • 7/11/1848: Começa a fase armada da Revolução Praieira em PE.

  • 17/11/1848: Combate entre revolucionários praieiros e a Guarda Nacional no engenho Cachoeira, PE.

1849

  • 1/1/1849: Borges da Fonseca expõe no Manifesto ao Mundo os fins da Revolução Praieira, PE: Constituinte, voto universal, valorização do trabalho.

  • 11/1/1849: Revolucionários praieiros, na fase da Guerra das Matas no sul de PE, sob comando de Pedro Ivo, tomam o engenho de Camorim, cujo senhor planeja atacá-los. A guerrilha continua por 2 anos.

  • 27/1/1849: Revolucionários praieiros enfrentam legalistas no combate de Pasmado, em Tapiçuma, PE.

  • 2/2/1849: Os praieiros tentam, sem êxito, tomar Recife. Pedro Ivo mantém a luta com guerrilha nas matas do Jacuípe.

  • 19/3/1849: Levante de escravos em S. José dos Queimados, ES, reprimido com 5 condenações à forca.

  • 4/4/1849: Rendem-se 454 praieiros em Água Preta, PE.

  • 5/5/1849: Colonos alemães fundam a cidade de Joinville, SC.

  • 4/8/1849: Anita Garibaldi, companheira do Herói de 2 Mundos, morre doente, aos 30 anos, em fuga de San Marino para a Suíça, após anos de combates, pela república farroupilha, no Brasil, e pela unificação italiana. É reverenciada como heroína tanto no Brasil como na Itália.

  • 7/12/1849: Fuga coletiva dos escravos presos por aderirem à rebelião de março em Queimados, ES.

1850

  • 1/1/1850: Apenas 1 liberal (Sousa Franco, PA) chega à Câmara, após uma eleição que Teófilo Otoni chama de "saturnal indecente".

  • 8/1/1850: Enforcado o escravo João, líder de rebelião de escravos de 1849 em Queimados, ES.

  • 22/3/1850: O poeta-deputado Pedro Pereira apresenta o 1º projeto de abolição da escravatura no Brasil. A Câmara nem o examina.

  • 20/4/1850: Arrojada fuga de Pedro Ivo Veloso da Silveira, prisioneiro da fortaleza de Lajes, Rio. Mas o líder militar da Revolução Praieira e da guerrilha de Água Preta morrerá pouco depois, aos 41 anos, no navio que o leva ao exílio.

  • 3/5/1850: Anistia aos rebeldes praieiros de PE, 1848.

  • 30/7/1850: Populares atiram do forte da ilha do Mel, PR, na fragata inglesa Cormorant, que apresa navios negreiros.

  • 4/9/1850: Lei Eusébio de Queirós, sob pressão inglesa, trata tráfico negreiro como pirataria.

  • 5/9/1850: Rio Negro, comarca do PA, torna-se província do Amazonas.

  • 18/9/1850: Lei de Terras limita seu acesso e consolida o domínio do latifúndio.

  • 23/9/1850: Morre aos 86 anos, no exílio em Assunção, José Artigas, herói da independência do Uruguai e das Américas.

1851

  • 18/6/1851: "Lei do Cativeiro" (obriga a registrar nascimentos e óbitos).

  • 20/4/1851: Rocambolesca fuga do líder militar praieiro Pedro Ivo, da fortaleza de Lajes, Rio

  • 28/11/1851: A coroa anistia os rebeldes da Praieira

  • 2/12/1851: Golpe na França. Luís Bonaparte fecha o parlamento e faz-se coroar imperador.

1852

  • 1/1/1852: Joana Manso Noronha, argentina, lança no Rio o Jornal das Senhoras, 1º periódico dirigido às mulheres.

  • 22/1/1852: Esmagado em Paudalho, PE, o levante dos Marimbondos.

  • 2/3/1852: Pedro Ivo da Silveira, líder da Revolução Praieira, após fugir da prisão morre a caminho do exílio, diante da costa da PB.

  • 11/5/1852: 1ª linha de telégrafo liga, sintomaticamente, o Paço Imperial ao QG do Exército.

  • 21/7/1852: A capital do PI passa de Oeiras para Teresina.

  • 29/8/1852: Início das obras da 1ª ferrovia, Mauá-Raiz da Serra, RJ.

1853

  • 28/1/1853: Nasce José Marti, notável poeta e dirigente revolucionário cubano.

  • 21/8/1853: Morre Maria Quitéria de Jesus, 61 anos, cega, pobre e no abandono. O Império condecorou a heroína popular da Guerra da Independência na BA, mas em seguida esqueceu-a.

1854

  • 6/3/1854: Abolição da escravatura no Equador.

  • 31/3/1854: Forçado pela armada dos EUA, o Japão abre-se para o Ocidente.

  • 23/4/1854: Nasce na BA Hilária Batista de Almeida, a Tia Ciata, madrinha do samba carioca.

  • 12/9/1854: Criado no Rio o Imperial Instituto dos Meninos Cegos (hoje Benjamin Constant).

1855

  • 12/1/1855: Machado de Assis, 16 anos, publica seu 1º texto.

  • 19/1/1855: O Império autoriza sua embaixada em Londres a contratar a importação de chins (chineses) para substituir o braço escravo.

  • 11/6/1855: Começam as obras da Estrada de Ferro D. Pedro II (hoje Central do Brasil).

  • 28/8/1855: O dep. Pereira da Silva julga 95 funcionários excessivos para uma Câmara de 103 deputados.

  • 19/9/1855: Lei eleitoral cria o voto distrital: cada círculo elege 1 deputado.

  • 13/10/1855: A (provável) última leva de escravos africanos (209, contrabandeados) chega a Serinhaém, PE. Em 3 séculos, o tráfego trouxe ao Brasil de 3 a 15 milhões de escravos.

1856

  • 24/12/1856: Revolta dos colonos europeus da faz. Ibicaba, SP, contra o que chamam nova escravidão. Ela será tema de Memórias de um colono no Brasil, de Thomas Davatz, 1º livro a enxergar nosso país com olhos de trabalhador.

1857

  • 8/3/1857: Greve das tecelãs da Cotton, Nova York, pela jornada de 10 h. O patrão provoca incêndio que mata 129 delas. Origem do Dia Internacional da Mulher.

  • 9/3/1857: Vitória dos colonos rebelados da fazenda Ibicaba (Limeira, SP) contra a "nova escravidão". A Cia. Vergueiro cede em vários pontos. Inspira o 1º livro escrito por um trabalhador de nosso país, Memórias de um colono no Brasil, de Thomas Davatz

  • 10/5/1857: A Revolta dos Cipaios toma Delhi e contesta o domínio inglês na Índia.

1858

  • 9/1/1858: 1ª greve de que se tem notícia no Brasil, dos tipógrafos de 3 jornais do Rio. Em vários países os gráficos, por terem acesso à leitura, são os pioneiros do movimento operário.

  • 9/1/1858: Criado o Liceu de Artes e Ofícios, 1ª escola noturna para adultos, no Rio.

  • 10/1/1858: Nasce a imprensa sindical brasileira, com o Jornal dosTipógrafos, em greve desde a véspera, no Rio.

  • 18/3/1858: 1º trecho (16 km, Petrópolis) da 1ª estrada pavimentada do país, a União e Indústria.

1859

  • 18/10/1859: Levante anti-escravista de John Brown, Kansas, EUA.

1860

  • 11/5/1860: O ex-farroupilha Garibaldi inicia na Sicília a Expedição dos Mil, decisiva na luta pela unificvação da Itália.

  • 24/11/1860: A S. Paulo Railway inicia as obras da ferrovia Santos-Jundiaí.

  • 16/12/1860: Surge no Rio (até 1876) o jornal A Semana Ilustrada. Amplo emprego da charge.

1861

  • 12/4/1861: Começa a Guerra Civil entre Norte industrial e Sul escravista dos EUA: 617 mil mortos em 4 anos. Escassez mundial impulsiona o cultivo do algodão no Brasil.

  • 2/12/1861: Aberta a Exposição Nacional (Rio), com críticas à escravidão.

1862

  • 17/3/1862: Douglas Christie embaixador inglês, faz arrogante ultimato ao Brasil e abre a Questão Christie.

  • 17/6/1862: A polícia do Rio prende 3 oficiais ingleses. O embaixador exige uma reparação. A Questão Christie azeda e Pedro II tem, pela 1ª e última vez, real popularidade.

  • 25/6/1862: Lei do sistema métrico decimal, deflagradora do Quebra-Quilos na PB.

  • 31/12/1862: Frota inglesa bloqueia o Rio e apresa 5 naves brasileiras, no quadro da Questão Christie.

1863

  • 1/1/1863: Abraham Lincoln proclama abolição da escravatura nos EUA.

1864

  • 7/1/1864: Criação dos Voluntários da Pátria. Muitos senhores alistam escravos em seu lugar: de 160 mil brasileiros mortos na Guerra do Paraguai, 90 mil são negros.

  • 9/4/1864: Morre Antonio Borges da Fonseca, 56 anos, ex-líder da Revolução Praieira (PE, 1848-49).

  • 10/9/1864: "Quebra do Souto": o banco Souto & Cia, Rio, suspende o pagamento de 10 mil depositantes.

  • 28/9/1864: Fundada em Londres, por iniciativa de Karl Marx, a Associação Internacional dos Trabalhadores (1ª Internacional). Ampla, abarca não só os partidários do socialismo científico, mas também proudhonianos, bakuninistas, blanquistas, entidades sindicais e até setores positivistas. Atuará até 1876.

  • 11/11/1864: Apreensão do vapor Marquês de Olinda, estopim da Guerra do Paraguai.

  • 5/12/1864: A frota brasileira de Tamandaré bombardeia Paissandú, no Uruguai (Guerras Platinas).

  • 26/12/1864: Tropa paraguaia penetra no MT. Começa a Guerra do Paraguai, ou da Tríplice Aliança.

1865

  • 31/1/1865: A 13ª emenda da Constituição encerra a escravidão nos EUA.

  • 20/2/1865: Rendição de Montevidéu, sitiada e bombardeada pela armada brasileira.

  • 9/4/1865: Rendição do Sul escravista na Guerra Civil dos EUA.

  • 15/4/1865: O pres. Lincoln, dos EUA, é assassinado por um sulista inconformado com a derrota na Guerra Civil.

  • 11/6/1865: Batalha naval de Riachuelo, Argentina, reduz o Paraguai a 4 navios de guerra.

  • 13/8/1865: Ana Néri alista-se como enfermeira na Guerra do Paraguai. Ficará famosa como a Mãe dos Brasileiros.

  • 23/9/1865: Brasil e Inglaterra reatam relações, rompidas pela Questão Christie (1862).

1866

  • 16/4/1866: Invasão do Paraguai pela Tríplice Aliança (Passo da Pátria). Osório é o 1º a desembarcar.

  • 15/7/1866: Morre em Lisboa Felipe Alberto Patroni, jornalista patriota, fundador dO Paraense, 1º jornal da Amazônia, líder da independência no PA e precursor da Cabanagem.

  • 12/9/1866: Solano López propõe conversações para pôr fim à guerras, o Brasil recusa.

  • 22/9/1866: Vitória paraguaia em Curupaití, atacada por 19 mil brasileiros e argentinos.

  • 6/11/1866: Decreto alforria todo "escravo da nação" que lute no Paraguai. Estima-se que serão negros 90 mil dos 160 mil mortos do Brasil na guerra.

1867

  • 1/2/1867: Pimenta Bueno propõe extinção gradual da escravidão: até 1890.

  • 27/3/1867: Tratado de Ayacucho: o Brasil reconhece a posse do Acre pela Bolívia.

  • 11/6/1867: Fim da Retirada da Laguna. A coluna Camisão, de 2.500 homens, reduziu-se a 700.

1868

  • 23/1/1868: Cafeicultores fundam a Companhia Paulista de Estradas de Ferro.

  • 16/2/1868: Aberta ao público a Santos-Jundiaí. Até 1930 a ligação litoral-planalto é monopólio da S. Paulo Railway, a Inglesa, tida como a ferrovia mais lucrativa do mundo. Mas forma-se aí também um núcleo pioneiro da luta proletária.

  • 1/12/1868: Lançado em PE o jornal Kossuth (nome do herói húngaro), "republicano, federativo e universal".

1869

  • 16/8/1869: Batalha de Acosta Ñu: 4 mil paraguaios remanescentes enfrentam 20 mil brasileiros.

  • 7/9/1869: Surge em Salvador a Sociedade Abolicionista 7 de Setembro.

  • 15/9/1869: A lei passa a proibir o leilão público de escravos, a separação de casais e de pais e filhos cativos.

  • 2/10/1869: Nasce na Índia o Mahathma ("grande alma") Gandhi.

  • 31/10/1869: Lançada a Gazeta de Caminhas, SP, órgão dos cafeicultores escravistas.

1870

  • 1/3/1870: A tropa brasileira a mando do carniceiro conde d'Eu, chacina em Cerro Corá os restos do exécito paraguaio. Solano López, ferido, morre a golpes de lança, sabre e tiro. Seu corpo é mutilado, cuspido, pisado. Finda a guerra que envergonhou o Brasil e matou 96,5% da população masculina do Paraguai

  • 19/3/1870: A ópera O Guarani, de Carlos Gomes, faz sucesso no teatro Scala, Milão, Itália.

  • 31/3/1870: Fundada a Sociedade Emancipadora (dos escravos) Campista, RJ.

  • 8/4/1870: A coluna de Bernardino Caballero, último foco de resistência paraguaia, rende-se em Bela Vista, MT.

  • 22/4/1870: Nasce em Simbirsk Vladimir Ilitch Ulianov, dito Lênin. Líder bolchevique russo, irá defender a essência revolucionária do narxismo e desenvolvê-lo face à nova realidade imperialista. Dirigirá a Revolução de 1917 e o início da experiência socialista na URSS.

  • 24/5/1870: D. Pedro II alforria 70 filhos de escravas da fazenda imperial. As mães permanecem cativas.

  • 23/8/1870: O impopular conde D'Eu vai passar 1 ano na Europa, por ordem do sogro, d. Pedro II.

  • 12/9/1870: A Câmara rejeita por 54 votos a 21 projeto abolicionista de Teixeira Júnior.

  • 20/9/1870: O sen. Nabuco de Araújo propõe fundo público de mil contos de réis para alforriar escravos. O Senado não aceita.

  • 2/10/1870: A Itália se unifica, com Roma por capital. O papa, que perde seus domínios, considera-se prisioneiro no Vaticano.

  • 3/12/1870: Quintino Bocaiúva redige o Manifesto dos republicanos de SP.

1871

  • 18/1/1871: Bismark unifica a Alemanha. Guilherme I coroado kaiser.

  • 5/3/1871: Nasce na Polônia Rosa Luxemburg, revolucionária marxista de notável coragem teórica e política, chacinada em 1919.

  • 15/3/1871: Surge o jornal O Abolicionista, BA.

  • 18/3/1871: Instala-se a Comuna de Paris. 1º ensaio de regime socialista, tenta, segundo Marx, "tomar os céus de assalto". Mesmo afogada em sangue 72 dias depois, torna-se um marco da luta pelo socialismo.

  • 26/3/1871: A Comuna de Paris elege seu Conselho Geral

  • 28/5/1871: A Semana Sangrenta afoga em sangue a Comuna de Paris, 1º ensaio de regime socialista no mundo. Tombam os últimos combatentes, no Père-Lachaise. O Brasil, após aceso debate, dá asilo a alguns dos comunardos.

  • 6/7/1871: Morre aos 24 anos Castro Alves, Poeta dos Escravos e profeta da seara vermelha. Dez anos mais tarde, já em plena Campanha Abolicionista, a imprensa da BA decide não mais aceitar anúncios de fugas de escravos.

  • 29/8/1871: A Câmara vota (61 votos a 35) a Lei do Ventre Livre. Filho de cativa, cativo não é, mas fica até os 21 anos sob tutela do senhor.

  • 29/9/1871: Os beneditinos são a 1º ordem religiosa a alforriar seus escravos.

1872

  • 9/1/1872: Acordo de limites com o derrotado Paraguai, que perde o Itatin (hoje MT) e fica sob ocupação militar.

  • 1/8/1872: 1º censo: o Brasil conta 9.930.478 habs., 1.510.806 escravos.

1873

  • 26/1/1873: Fundado o Clube Republicano Federal.

  • 22/3/1873: Fim da escravidão em Porto Rico.

  • 18/4/1873: Convenção de Itu (predomínio conservador e moderado) une os clubes republicanos de SP num só partido.

  • 28/8/1873: Acórdão da Relação da Corte decide: filho de escrava com seu senhor escravo é.

  • 7/9/1873: Surge o semanário O Sexo Feminino.

  • 24/12/1873: Expedição repressiva contra quilombolas-guerrilheiros da área de Capela e Rosário, SE. Estes, avisados, se ocultam na mata.

1874

  • 20/6/1874: Os Mucker, expulsos na véspera de suas terras (S. Leopoldo, RS), fustigam da mata a tropa que os persegue e matam o cel. Genuíno Sampaio.

  • 28/6/1874: 600 soldados atacam a comunidade mística camponesa dos mucker (beatos), no morro do Ferrabrás, S. Leopoldo, RS. Recebidas a bala, perdem os canhões e batem em retirada, com 4 mortos e 41 feridos.

  • 2/8/1874: Expedição militar (600 praças) destrói o reduto dos mucker (beatos) de S. Leopoldo, RS e mata seus líderes.

  • 14/10/1874: Estoura na feira de Campina Grande, PB, a Revolta do Quebra-Quilo, contra os impostos e o recrutamento forçado. A Corte envia 600 soldados para debelá-la.

  • 31/10/1874: Os quebra-quilos rebelam o povo de Fagundes, PB.

1875

  • 4/1/1875: Surge o jornal A Província de S. Paulo (hoje Estadão).

  • 12/5/1875: Crise monetária. O Banco do Brasil suspende seus pagamentos. O banco de Mauá pede concordata.

  • 2/8/1875: Começa a circular no Rio a Gazeta de Notícias, que introduz a foto, a charge e a reportagem no jornalismo.

  • 4/8/1875: O sen. Tomás Pompeu denuncia: em 1871-75 o país gastou 34,1% de sua renda com o exército.

1876

  • 25/6/1876: Os Siux e Cheyenes, rebelados sob a chefia de Touro Sentado, vencem o gen. Custer na batalha de Little Bighorn (Montana, EUA).

  • 12/9/1876: 1ª usina de açúcar do país, em Macaé, RJ.

1877

  • 18/11/1877: O jornal O Cearense horroriza-se com os saques dos flagelados da Seca Grande: "Dir-se-ia que o comunismo já foi proclamado entre nós".

1878

  • 24/2/1878: Seca Grande de 77-78: para o jornal O Cearense, "os pobres declararam guerra sem mercê contra os ricos".

  • 4/6/1878: Nasce em Durango Francisco (Pancho) Villa, líder da revolução camponesa no México.

  • 6/9/1878: Criados os 1os cursos para educação de adultos.

  • 24/11/1878: O visc. de Indaiatuba queixa-se de infiltração "comunista" em sua fazenda de Amparo, SP. Sucedem-se as greves e fugas de colonos

1879

  • 21/2/1879: Exibida no Rio a luz elétrica, inventada em 1878 por Thomas Edison.

  • 5/3/1879: Discurso de Jerônimo Sodré (BA) na Câmara inicia a Campanha Abolicionista, 1ª campanha nacional de massas na história do Brasil.

  • 14/3/1879: Nasce em Ulm, alemanha, Albert Einstein, talvez o mais célebre cientista do século 20, autor da teoria da relatividade (1905), militante pacifista.

  • 15/3/1879: Decreto regulamenta os contratos de trabalho dos imigrantes.

  • 23/3/1879: Conferência abolicionista do intelectual mestiço Vicente de Souza no Rio.

  • 8/8/1879: Nasce em um povoado indígena do sul do México Emiliano Zapata, líder da revolução camponesa que colocará definitivamente a reforma agrária na agenda das lutas sociais latino-americanas.

  • 20/12/1879: Nasce na Geórgia Joseph Djugashvuli, que usará o nome Stálin. Bolchevique, sucede Lênin à frente do PCUS. Tem papel crucial na derrota do nazismo.

  • 29/12/1879: 4 mil vão ao palácio imperial no Rio, protestar contra o preço do bonde. São barradas pela polícia.

1880

  • 4/1/1880: 4º dia de barricadas no Rio contra o imposto do vintém (aumento do bonde). O republicano radical Lopes Trovão participa. A polícia faz 4 mortos, mas o imposto acaba….

  • 7/3/1880: Nasce no Rio a Associação dos Empregados do Comércio.

  • 9/7/1880: Nabuco funda no Rio a Sociedade Brasileira Contra a Escravidão.

  • 11/7/1880: A França anistia os comunardos de 1871.

  • 25/7/1880: 1ª conferência abolicionista, no teatro S. Luís, Rio.

  • 3/8/1880: José do Patrocínio inicia conferências pró-abolição no teatro S. Luís, Rio.

  • 30/8/1880: A Câmara rejeita (por 77 votos a 16) projeto de Joaquim Nabuco (PE) que liberta os escravos até 1890.

  • 30/10/1880: Começa a circular no Rio O Abolicionista, jornal da Sociedade Brasileira Contra a Escravidão.

  • 20/11/1880: Banquete abolicionista, no hotel dos Estrangeiros, Rio.

  • 17/12/1880: Lei provincial do RJ veda tráfico de escravos entre províncias. Visa garantir braços para a lavoura local.

1881

  • 1/1/1881: Morre em Paris aos 76 anos o revolucionário socialista Auguste Blanqui. Passou 36 anos nos cárceres da reação francesa.

  • 9/1/1881: Lei Saraiva: voto distrital; o eleitor tem de saber ler e ganhar mais de 200 mil réis-ano. Na eleição seguinte, votam 117 mil cidadãos

  • 19/1/1981: Fim da Lei Marcial nas Filipinas, em vigor desde 72.

  • 27/1/1881: Os jangadeiros do CE, liderados por Francisco Nascimento, o Dragão do Mar, se recusam a embarcar escravos para o Sul. Ganha força a ala popular-radical da Campanha Abolicionista.

  • 26/5/1881: 1º congresso abolicionista no Brasil, em Maranguape, CE.

  • 31/10/1881: 1ª eleição pós Lei Saraiva, reforma política visando salvar o já enfermo regime imperial: 117 mil votos elegem 68 deps. liberais e 54 conservadores.

1882

  • 16/2/1882: O arcebispo de Salvador ordena ao clero que proíba a pregação de Antonio Conselheiro.

  • 19/4/1882: Morre Charles Darwin, demolidor de superstições e pioneiro da ciência natural moderna com a teoria da evolução.

  • 18/6/1882: Nasce o comunista búlgaro George Dimitrof, dirigente da 3ª Internacional, preso por Hitler no episódio do Incêndio do Reichtag.

  • 2/7/1882: Morre em Capri, Itália, Giuseppe Garibaldi, o Herói de 2 Mundos, 75 anos.

  • 3/7/1882: Sobe o gabinete Paranaguá: propõe "evolução do trabalho escravo para o trabalho livre" mas "sem quebra do respeito à propriedade"…

  • 25/8/1882: Morre Luís Gama, ex-escravo, vendido pelo próprio pai, advogado e poeta, abolicionista pioneiro em SP.

1883

  • 1/1/1883: Acarape, CE, é a 1ª vila a libertar todos os seus escravos (116).

  • 14/3/1883: Morre em Londres Karl Marx, 64 anos. Deixa inconclusa sua obra maior, O capital, mas já é tido como principal referência teórica da luta dos trabalhadores modernos.

  • 10/5/1883: 10 entidades criam no Rio a Confederação Abolicionista. Sua ala moderada é legalista. A radical promove fugas de cativos, castiga capitães-do-mato e senhores. Todos juntos rejeitam o escravagismo e o emancipacionismo (gradualista).

  • 24/5/1883: Os abolicionistas libertam os últimos escravos de Fortaleza.

  • 26/8/1883: A Confederação Abolicionista lança seu manifesto, no teatro Pedro II, Rio.

1884

  • 1/1/1884: Começa a circular no RS o jornal republicano A Federação, de Júlio de Castilhos.

  • 25/3/1884: Libertados os escravos no CE. "A barbárie recua", avalia Vitor Hugo. O Rio recebe o Dragão do Mar, jangadeiro abolicionista do CE, com passeata e a Marselhesa dos Escravos.

  • 1/5/1884: Luiz Carlos de Lacerda funda o 25 de Março, jornal abolicionista radical de Campos, RJ. Prega a luta por todos os meios, inclusive ações armadas.

  • 24/5/1884: Manaus deixa de ter escravos.

  • 6/6/1884: Gabinete liberal Sousa Dantas. Seu lema sobre a escravidão: "nem retroceder, nem parar, nem precipitar"

  • 1/7/1884: Assembléia nacional, no Rio, de Clubes da Lavoura, em defesa (!!!) da escravidão

  • 10/7/1884: Extinta a escravidão no AM.

  • 15/7/1884: O governo envia o projeto da Lei do Sexagenário à Câmara. Será aprovada em 1885, mas só para os (pouquíssimos) cativos com mais de 65 anos.

  • 3/9/1884: D. Pedro II dissolve a Câmara, dado o impasse abolicionistas-escravistas.

  • 7/9/1884: Já não há cativos em Porto Alegre.

  • 7/9/1884: Conf. abolicionista em Campos, RJ. Onda de incêndios nos canaviais.

  • 19/12/1884: O alferes Antônio Ramalho destrói pelas armas o quilombo de Queluz, SP, 3 anos antes do fim do escravismo.

1885

  • 8/3/1885: D. Pedro II julga "útil" a "extinção gradual da escravidão".

  • 16/3/1885: Comando abolicionista dá fuga a 3 escravos em fazenda de S. Gonçalo, RJ, e some com o tronco que os prendia. Histeria entre os escravistas.

  • 4/5/1885: Deputados escravistas queixam-se de que o povo os trata nas ruas com "assuadas e chocarrices".

  • 22/5/1885: Morre o grande romancista e humanista francês Victor Hugo; 500 mil vão ao enterro.

  • 7/6/1885: Célebre discurso abolicionista de Rui Barbosa no teatro Politeama, Rio.

  • 28/9/1885: Lei do Sexagenário liberta os (poucos) escravos com mais de 65 anos, mas agrava a pena para o "crime" de acoitar escravo fugido.

1886

  • 12/2/1886: Flagrada e processada (mas absolvida) senhora torturadora de escravas, e assassina de uma delas, em Botafogo, Rio.

  • 1/5/1886: Começa greve geral de 800 mil em Chicago, EUA, pela jornada de 8 h. Dia 4, choque com a polícia deixa 38 mortos. Militantes são presos, acusados de atirarem bombas. Um se suicida na prisão, 4 são enforcados em 11/11/1887. A 14/7/1889 o 1º Congresso da Internacional Socialista (2ª Internacional) fixa o dia como uma espécie de greve geral internacional pela jornada de 8 hs. Já no 2º ano da data, 1891, há forte repressão, que deixa 10 mortos na cidade mineira de Fourmies, França.

  • 30/5/1886: Fala do Trono: d. Pedro II pretende que o fim da escravidão seja gradual e "tranquilize nossa lavoura".

  • 1/6/1886: Projeto do sen. Dantas extingue o cativeiro em 1891. Sob pressão Abolicionista, a data mudará para 31/12/1889.

  • 3/6/1886: Os liberais aderem à abolição: 14 senadores propõem prazo até 31/12/1889, 8 meses depois do 13 de Maio…

  • 3/7/1886: Joaquim Nabuco, expoente abolicionista moderado, volta à Câmara, eleito por PE.

  • 29/9/1886: 22 advogados de Ouro Preto decidem: não aceitam mais causas escravistas.

  • 15/10/1886: Em plena Campanha Abolicionista e a 575 dias do fim da escravidão, cai a lei que proíbe os senhores de açoitarem seus escravos. O sentido libertário da conquista estimula a onda de retiradas (fugas em massa das fazendas)

1887

  • 3/1/1887: O gabinete Cotegipe pede repressão aos radicalizados abolicionistas de Campos, RJ, que tocam fogo em canaviais. Oferece 4 mil contos para obter "testemunhas".

  • 30/1/1887: O fazendeiro escravista Barbaças mata um homem pensando que é Carlos de Lacerda, numa conferência abolicionista em Campos, RJ.

  • 4/5/1887: A bancada escravista na Câmara arquiva, por 41 votos a 33, o projeto de Afonso Celso, de abolição imediata da escravatura, mas com 2 anos de serviços gratuitos ao senhor.

  • 31/5/1887: Surge em Belém o 1º clube republicano do PA, com manifesto de inspiração positivista e revolucionária.

  • 26/6/1887: Surge o Clube Militar, no Rio, com forte ala abolicionista-republicana.

  • 30/6/1887: Congresso Republicano Federal, no Rio.

  • 27/7/1887: Criada a Imperial Estação Agronômica (hoje Instituto) de Campinas, SP.

  • 8/8/1887: A polícia de Coelho Bastos ataca ato abolicionista na r. do Ouvidor, Rio.

  • 28/8/1887: Rui Barbosa, no teatro Politeama, Rio, pede intervenção do Exército contra escravidão.

  • 28/9/1887: Começa a circular Cidade do Rio, moderno jornal abolicionista de Patrocínio.

  • 25/10/1887: A polícia empastela o jornal abolicionista 25 de Março, em Campos, RJ. Os redatores reagem a tiros e escapam com os escravos fugidos que se abrigavam na tipografia. Prisões, espancamentos.

  • 26/10/1887: O recém-fundado Clube Militar (4 meses) "suplica" à Coroa que não use o Exército como capitão de mato na caça a escravos fugidos, desafiando a ordem do gabinete escravista do barão de Cotegipe.

  • 31/10/1887: A Câmara de S. Borja, RS, pede plebiscito sobre a República, por julgar a princesa Isabel, "uma mulher obcecada com uma educação jesuítica e casada com um príncipe estrangeiro".

  • 11/11/1887: 4 sindicalistas condenados à forca nos EUA devido à greve de 1886. Outro se suicida no cárcere. Origem do 1º de Maio.

  • 20/11/1887: A cavalaria ataca conferência pró-abolição em Campos, RJ; 1 morto.

  • 28/11/1887: Inaugurada a estátua da Liberdade nos EUA, que entretanto começam a inverter seu papel até então progressista.

  • 15/12/1887: Fazendeiros de SP criam a Associação Libertadora e Organizadora do Trabalho. Proposta: emancipação dos escravos até 1891…

1888

  • 10/2/1888: O papa Leão XIII promete a Joaquim Nabuco condenar a escravidão na próxima encíclica (que só sai após a Lei Áurea).

  • 12/2/1888: Batalha de flores no Carnaval de Petrópolis marca adesão da princ. Isabel ao abolicionismo, a 3 meses do 12 de Maio.

  • 25/2/1888: Graças à Campanha Abolicionista, já não há escravos na capital de SP.

  • 28/2/1888: Surra em oficial da Marinha: gera crise que derrubará o último gabinete escravista do Império (Cotegipe).

  • 1/4/1888: Petrópolis, RJ, liberta seus escravos.

  • 20/4/1888: O gabinete João Alfredo ensaia uma última tentativa, fracassada, de emancipação gradual dos escravos.

  • 3/5/1888: O parlamento retorna do recesso, cheio de povo e com outra multidão à sua volta, que ali fica até o 13 de Maio. Em pauta, a abolição da escravatura, imediata e sem indenização, como prega a Campanha Abolicionista.

  • 8/5/1888: O gabinete João Alfredo, cedé à maré abolicionista: propõe à Câmara a abolição imediata da escravatura, sem indenização.

  • 12/5/1888: A Câmara aprova a Lei Áurea, por 95 votos a 9.

  • 13/5/1888: O Senado aprova e a princesa Isabel sanciona a Lei Áurea, sem a indenização que os escravistas queriam. Vitória da Campanha Abolicionista, que contagiou o povo e sublevou as senzalas. Em SP, 1/3 dos escravos já fugiu. Em Campos, 1/2.

  • 14/8/1888: O grupo do bugreiro (matador de índígenas) Joaquim Bueno ataca os guaianus do médio Paranapanema, SP. Mata 3 mil.

  • 30/12/1888: A Guarda Negra (formada por ex-escravos monarquistas) interrompe pela violência conferência republicana de Silva Jardim no Rio.

1889

  • 6/3/1889: Anunciado o 1º milagre do padre Cícero de Juazeiro: a hóstia que se tinge de vermelho.

  • 21/3/1889: Republicanos do RS juram lutar pelo novo regime "por todos os meios".

  • 23/3/1889: O engenheiro Paulo de Frontin vence em 6 dias a crônica falta d'água no Rio.

  • 3/5/1889: Na última Fala do Trono, d. Pedro II cita o ingresso de 131 mil imigrantes em 1888.

  • 14/7/1889: 1º Congresso da 2ª Internacional Socialista, em Paris. Aprova o 1º de Maio como Dia Internacional dos Trabalhadores.

  • 14/7/1889: 100 anos da Queda da Bastilha: passeata republicana no Rio canta a Marselhesa.

  • 17/7/1889: Portaria do chefe de Polícia do Rio com duras sanções aos republicanos.

  • 31/8/1889: Últimas eleições do Império. Como de hábito o governo (liberal) faz ampla maioria. Os republicanos têm 14% dos votos.

  • 21/10/1889: Morre Mauá, 76 anos, após construir um império industrial e perder tudo para o capital inglês

  • 23/10/1889: O tte -cel. Benjamin Constant faz discurso na Escola Militar que lhe custa a demissão, reacendendo a Questão Militar.

  • 9/11/1889: Reunião republicana no Clube Militar, Rio,com participação de civís.

  • 9/11/1889: Baile da Ilha Fiscal (Rio), oferecido por d. Pedro II, afrontosa exibição de luxo. E de insensibilidade: o Império cai 6 dias depois.

  • 15/11/1889: O mal. Deodoro, à frente da tropa, proclama a República e preside governo provisório. Começa a República da Espada, fase progressista que precede a República Velha. Mas a participação popular é minguada: "O povo assistiu a tudo bestializado", denuncia o republicano avançado Aristides Lobo.

  • 16/11/1889: Decreto extingue os castigos corporais na Armada (não obedecido).

  • 16/11/1889: Deodoro, chefe do gov. provisório republicano, pede que o ex-monarca d. Pedro II deixe o Brasil.

  • 17/11/1889: D. Pedro II (reclamando que não é "negro fugido") embarca na corveta Paraíba rumo ao exílio na França.

  • 17/11/1889: Passeata repúblicana do "apostolado positivista" de Benjamin Constant.

  • 18/12/1889: Motim de praças, severamente reprimido, no Rio.

  • 21/12/1889: Marcadas a 1ª eleição da República (15/9/1890) e a instalação (15/11) da Constituinte.

  • 23/12/1889: Decreto-rolha, de censura.

1890

  • 17/1/1890: Rui Barbosa inicia o Encilhamento, tentativa de industrialização.

  • 20/1/1890: 19 meses após o fim da escravidão, o hino oficial da República, diz: "Nós nem cremos que escravos outrora / Tenha havido em tão nobre país"…

  • 29/3/1890: Decreto repressivo da República recém-nascida contra a subversão e "desprestígio da autoridade".

  • 21/4/1890: O dia de Tiradentes, um herói desprezado pelo Império, é pela 1ª vez feriado nacional..

  • 1/5/1890: Deportadas para Fernando de Noronha as vítimas da ação de extermínio da capoeira no Rio.

  • 1/5/1891: Batismo de fogo do 1º de Maio, em Fourmies, França. O exército atira sobre multidão, mata 9 jovens, fere 60.

  • 19/5/1890: Nasce na Indochina Francesa Ho Chi-min. Revolucionário e poeta, vive no Rio quando jovem marinheiro. Liderará o PC do Vietnã na "guerra de todo o povo" contra a França colonialista e os EUA neocolonialistas.

  • 28/6/1890: Decreto racista proíbe entrada imigrantes africanos e asiáticos.

  • 15/9/1890: Eleição da 1ª Constituinte republicana.

  • 8/11/1890: Reforma educacional de Benjamin Constant, modernizante, com teor positivista. A morte do autor abortará a aplicação.

  • 12/12/1890: A greve deixa de ser crime previsto no Código Penal.

  • 14/12/1890: A Constituinte republicana, por proposta de Rui Barbosa, ordena a destruição de todos os arquivos da escravidão, para apagar a "mancha negra" da memória nacional.

1891

  • 22/1/1891: Nasce na Sardenha Antonio Gramsci, fundador do PC Italiano. Preso 11 anos pelo fascismo, produzirá notável, e controversa obra teórica.

  • 24/2/1891: A Constituinte promulga a 1ª Constituição republicana.

  • 28/2/1891: Criado o Supremo Tribunal Federal.

  • 1/7/1891: Morre Silva Jardim, 31 anos, no vulcão Vesúvio (Itália). A morte (suicídio?) é vista como símbolo da crise do republicanismo avançado.

  • 3/11/1891: Golpe do Lucena: Deodoro, violando a Constituição, dissolve o Congresso.

  • 22/11/1891: Greve na Estrada de Ferro Central do Brasil, em oposição a Deodoro.

  • 23/11/1891: Revolta da Armada, reacionária e pró-monárquica, no RJ e nos estados do Sul.

  • 13/12/1891: Levante deodorista na belonave 1º de Março, Rio.

1892

  • 16/2/1892: Levante em Fortaleza: civís e alunos da Escola Milita atacam o palácio e derrubam o governador.

  • 6/4/1892: Manifesto de 13 generais contestando o governo Floriano, que revida com prisões.

  • 1/5/1892: Conferência do Centro do Partido Operário, lgo do Arouche, nº 4, S. Paulo.

  • 1/8/1892: Militantes operários realizam o 1º Congresso Socialista no país (Rio).

  • 23/8/1892: Morre Deodoro, aos 65 anos e alijado do poder; o funeral é dos maiores que já se viu no Rio.

  • 8/10/1892: 1º bonde alétrico, no Rio. Tem o pres. Floriano de passageiro e no lugar do cocheiro um motorneiro.

  • 27/10/1892: Nasce em AL Graciliano Ramos, romancista do drama nordestino, autor de obras-primas como Vidas Secas (1938), preso político após 35.

  • 2/11/1892: Criado o Ministério da Indústria, iniciativa avançada de Floriano. Será subordinado ao da Agricultura em 1906, por influência do "agrarismo" da República Velha.

  • 6/11/1892: S. Paulo abre o viaduto do Chá ou dos 3 vinténs. O pedágio gera 4 anos de reclamações, até cair.

1893

  • 6/8/1893: 3º Congresso da 2ª Internacional, em Zurique, Suíça. Engels é eleito pres. de honra.

  • 14/8/1893: 1º decreto de Floriano expulsa estrangeiros. Em 15 meses, 36 serão expulsos por crimes políticos.

  • 5/9/1893: O couraçado Aquidabã inicia no Rio a Revolta da Armada, de índole monarquista.

  • 26/12/1893: Nasce numa família camponesa de Hunan o dirigente e teórico comunista Mao Tsetung (Mao Zedong). Conduzirá a China pela tempestuosa senda da guerra popular revolucionária e da construção socialista, buscando uma via original calcada na realidade chinesa.

1894

  • 10/2/1894: Nasce em Salvador Maria Escolástica da Conceição, a Mãe Menininha do Gantois.

  • 1/3/1894: Prudente de Morais vence a 1ª eleição direta para presidente, em nome da grande lavoura cafeeira. Na mesma data são eleitos todos os presidentes da República Velha. Mulheres e analfabetos não votam. O eleitorado só atinge 10% da população adulta na última eleição, em 1930.

  • 15/4/1894: A polícia de S. Paulo prende por 8 meses operários (alguns deles italianos) que planejam nosso 1º 1º de Maio. A data se impõe em 1895.

  • 1/5/1894: Manifestação frustrada pelas prisões de 16/4.

  • 15/11/1894: Posse de Prudente de Morais inicia 12 anos de presidentes do PRP, e 36 de hegemonia do latifúndio cafeeiro. Nasce a República Velha.

1895

  • 29/1/1895: José Marti inicia a Guerra de Independência de Cuba.

  • 13/3/1895: Revolta na Escola Militar, Rio.

  • 11/4/1895: José Martí desembarca em Playitas para a guerra de independência de Cuba.

  • 14/4/1895: Charles Miller promove na várzea do Carmo, S. Paulo, o 1º jogo de futebol no país.

  • 1/5/1895: Ato no Centro Socialista (Santos, SP), do médico marxista Silvério Fontes.

  • 18/5/1895: Nasce na Nicarágua Augusto Sandino, o revolucionário General de homens livres, que empresta seu nome ao Movimento Sandinista de Libertação.

  • 19/5/1895: O poeta e patriota cubano José Marti morre em combate para libertar a ilha do jugo colonial espanhol. Sua vida de prisões, exílios e luta incessante, seus versos "de um verde claro e de um carmim inflamado", permanecem na memória de Cuba e de toda a América Latina.

  • 5/8/1895: Morre em Londres o pensador e militante revolucionário alemão Friedrich Engels, fundador ao lado de Marx do socialismo científico, autor de várias de suas principais obras teóricas.

  • 28/12/1895: Os irmãos Lumière fazem em Paris a 1ª exibição pública do cinema.

1896

  • 8/7/1896: 1ª sessão do omniógrafo (cinema) no Brasil (Rio); 1 ano depois Afonso Segreto roda a 1ª filmagem, da baía da Guanabara.

  • 26/7/1896: 4º Congresso da 2ª Internacional Socialista, em Londres. Expulsão dos anarquistas.

  • 4/11/1896: O povo de Canudos derrota em Uauá a 1ª expedição militar contra o arraial (108 homens).

  • 25/11/1896: 2ª expedição contra Canudos (560 homens). Os sertanejos a derrotam aos gritos dnussae "Avança fraqueza do governo!".

  • 15/12/1896: Machado de Assis, mulato de origem pobre e talento europeizado mas imenso, funda e preside a Academia Brasileira de Letras, no Rio.

  • 31/12/1896: Manaus, no auge da borracha, inaugura o teatro Amazonas.

1897

  • 19/1/1897: Os sertanejos de João Grande detêm a 2ª campanha militar (570 homens, 2 canhões) a 3 km de Canudos. O combate corpo a corpo põe o atacante em retirada, debaixo de vaias e assovios. À noite, Pajeú chefia novo ataque e inaugura a tática de guerrilha, amparado pela caatinga.

  • 3/2/1897: Parte do Rio a 3ª expedição militar contra os sertanejos de Canudos, com 1.261 soldados. Seu chefe, gen. Moreira César, vem de ganhar a alcunha de Corta-Cabeças, por sua atuação em SC.

  • 2/3/1897: A expedição Moreira César (1.200 homens) inicia o 3º ataque a Canudos. A carga sobre o arraial, rechaçada, vira recuo e debandada. O gen. Moreira César, apelidado Corta-Cabeças, é mortalmente ferido no ventre, diz-se que por Pajeú. Os sertanejos penduram nas árvores os cadáveres dos atacantes.

  • 23/4/1897: Nasce no Rio Alfredo da Rocha Viana Filho, o futuro compositor e maestro Pixinguinha, gigante do choro brasileiro. O apelido quer dizer "menino bom" no dialeto africano de sua avó, ex-escrava.

  • 1/5/1897: Fundado o PS do RS.

  • 26/5/1897: Levante, florianista, dos alunos da Escola Militar do Rio; 165 alunos expulsos.

  • 17/6/1897: O governo mobiliza a maior parte do seu Exército (6 mil homens) na 4ª e última campanha contra os sertanejos de Canudos, BA.

  • 1/7/1897: Ataque de 11 sertanejos de Canudos, chefiado por Pedro Macambira (18 anos), contra o canhão Withworth 32, a Matadeira. Apenas um dos atacantes sobrevive.

  • 7/7/1897: A 4ª expedição militar contra Canudos, cercada no morro da Favela, esgota seus víveres e passa fome.

  • 18/7/1897: 1º assalto da 4ª expedição do Exército contra Canudos. Feroz combate casa por casa. Um tiro fere de morte a Pajeú, chefe militar dos sertanejos, mestre na guerrilha das caatingas, tido como matador do gen. Moreira César.

  • 24/7/1897: O chefe guerrilheiro Pajeú chefia 2 tentativas de calar a artilharia inimiga, que castiga o arraial de Canudos. Causa 30 baixas mas o bombardeio continua.

  • 22/9/1897: Antonio Conselheiro morre, após longo jejum, em Canudos, BA, sitiada e asfixiada pelo exército. Após a derrota final, seu cadáver será exumado, fotografado e degolado.

  • 5/10/1897: Morrem os últimos defensores de Canudos: 1 velho, 2 homens, 1 criança. "Canudos não se rendeu. Exemplo único em toda a História, resistiu até o esgotamento completo, quando caíram seus últimos defensores" (Euclides da Cunha).

  • 12/12/1897: A capital de MG passa de Ouro Preto para Belo Horizonte (no início com o nome Cidade de Minas), planejada.

1898

  • 13/1/1898: J'Acuse (Eu Acuso): Émile Zola denuncia a covardia da reação francesa no Caso Dreyfus. Terá que exilar-se por isso.

  • 4/6/1898: Nasce Virgulino Ferreira, o futuro rei do cangaço.

  • 15/6/1898: O pres. Campos Sales contrai em Londres o 1º Funding Loan (renegociação da dívida externa).

  • 22/6/1898: Marines desembarcam em Daiquirí. Os EUA intervêm na Guerra de Independência de Cuba.

  • 4/7/1898: Santos Dumont voa em Paris no balão Brasil.

  • 25/7/1898: Os EUA ocupam Porto Rico.

  • 10/12/1898: Nasce Bertold Brecht, poeta, e dramaturgo, autor de obra engajada e popularíssima, como O analfabeto político.

  • 10/12/1898: Vencida na guerra, a Espanha cede aos EUA Porto Rico, as Filipinas e, na prática, Cuba.

  • 11/12/1888: Manifesto do Partido Republicano de PE.

1899

  • 1/5/1899: Euclides da Cunha e Pascoal Artese lançam o jornal O Proletário, SP.

  • 5/12/1899: Rio Branco defende em Berna nosso direito ao Amapá, cobiçado pela França desde a Colônia. Arbitragem suíça dará razão ao Brasil (1/12/1900).