Brasil

30 de março de 2012 - 19h01

O último vagido do esgoto


O que está por trás da visita de FHC a Lula? O que pode significar um editorial de O Estado de S. Paulo contra José Serra? E a afirmação do ex-presidente tucano sobre ter chegado ao fim a era Serra e iniciado a era Aécio no PSDB? O jornalista Luís Nassif faz suas considerações sobre o futuro do tucano Serra.



FHC se distanciando do barro

São apenas indícios, e como tal devem ser tratados.

1. Quando saiu "A Privataria Tucana", a primeira reação de FHC foi comparar o livro ao "dossiê Cayman". Aparentemente, foi antes de ler. Depois, manteve um silêncio prudente. Sua manifestação seguinte foi na entrevista a um jornal inglês, dizendo ter chegado ao fim a era Serra e iniciado a era Aécio no PSDB. Imediatamente Serra contra-atacou bem ao seu estilo - através de um de seus gendarmes, o Marco Antonio Villa, em um artigo no Estadão, com críticas biliosas a FHC. Villa é muito pequeno para merecer uma resposta de FHC. A resposta foi dada por Xico "Mão Pesada" Graziano.

2. Em seguida surge o caso Prefeitura de São Paulo. Alckmin e Kassab usando a máquina partidária para apoiar Serra. FHC dá uma declaração formal de apoio, relembrando as "ligações históricas" com Serra. E nada mais diz.

3. Logo em seguida, dois movimentos simultâneos. O Estadão - que tem muito mais ligações com FHC do que com Serra - abandona o apoio incondicional a Serra e solta um editorial com um conjunto de argumentos presentes nas críticas do Blog ao Serra, mas até então inexistentes nas páginas de Opinião do jornal. E FHC faz uma visita a Lula, com um amplo simbolismo: dois velhos companheiros que se dividiram no tempo mas que estão, ali, para mostrar que a disputa política pode e deve ser civilizada.

Juntando essas peças, me parece que a tendência de FHC será a de se afastar mais e mais de Serra e do que promete ser o último vagido do esgoto na vida política nacional.

Fonte: Blog do Nassif
  • VOLTAR
  • IMPRIMIR
  • ENCAMINHAR

Últimas Mais