Movimentos

25 de janeiro de 2017 - 9h54

Estudantes do Rio lutam para garantir o passe livre universitário 


PCdoB-Carioca
Os estudantes universitários ocuparam a Avenida Presidente Vargas para protestarem contra a suspensão arbitrária do benefício.  Os estudantes universitários ocuparam a Avenida Presidente Vargas para protestarem contra a suspensão arbitrária do benefício. 
Em resposta, nesta segunda-feira (23) estudantes universitários ocuparam a Avenida Presidente Vargas e foram até a porta da Prefeitura do Rio. No mesmo dia, a Rio Ônibus se reuniu com o novo Secretário de Transportes e lançou uma nota afirmando que o benefício será restabelecido a partir do dia 30 desse mês.

Segundo o presidente da UEE-RJ, Leonardo Guimarães, a entidade entrou em contato imediato com a Rio Ônibus e a Secretaria de Transportes exigindo uma reunião. O sindicato patronal se comprometeu a fazer uma reunião com uma comissão de estudantes para explicar o ocorrido e tratar também sobre o processo de recadastramento a que os estudantes terão que se submeter mais uma vez para ter acesso ao benefício.

O passe livre beneficia, só na cidade do Rio, cerca de 83 mil estudantes do Prouni, cotistas de universidades públicas e alunos com renda per capita mensal de um salário mínimo.

Sem retrocesso


“Os estudantes continuam atentos a toda a situação e não sairão das ruas enquanto a Rio Ônibus e a Prefeitura não compreenderem que o bilhete universitário é um direito conquistado com a luta da UEE-RJ. Não toleraremos qualquer tipo de retrocesso” avisa Leonardo Guimarães.

Para o presidente da UJS-RJ, Igor Mayworm, “os estudantes organizados fizeram muita luta para esta conquista. Em 2011 tivemos a lei da meia passagem e, em 2014, essa vitória do passe livre universitário. Na verdade, isso é uma retaliação, já que a Prefeitura do Rio suspendeu o aumento anual das passagens. Estamos organizados, ou respeitam o nosso direito ou vamos parar o Rio de Janeiro. Essa é uma conquista que não vamos abrir mão”.

Conquista do passe livre universitário

O início do benefício do passe livre universitário ocorreu em 2014, sendo um momento de grande mobilização da juventude carioca que há 20 anos lutava por essa medida.

Essa foi uma política formulada pelo PCdoB e apresentada pelo então Coordenador de Juventude da Prefeitura do Rio, Igor Bruno, voltada para os cotistas de universidades públicas, bolsistas do Prouni e alunos de baixa renda. Ela tem uma importância especial para os jovens que conciliam trabalho e estudo e que contribui ainda para pais e mães dos estudantes da área popular que se dedicam apenas à universidade.

Para Igor Bruno, que esteve à frente da coordenadoria de 2009 a 2016, “o importante da lei é que ela também vale aos sábados, domingos e feriados, portanto avançada, pois amplia o horizonte de que a educação é mais do que ir e voltar da escola, envolve cultura, o estudo fora da escola, o lazer e a circulação pela cidade. Em nenhum lugar do país é assim”.


Fonte: PCdoB-Carioca 

  • VOLTAR
  • IMPRIMIR
  • ENCAMINHAR

Últimas Mais