Geral

17 de fevereiro de 2017 - 12h28

Campeonato brasileiro do Bahia é homenageado na Assembleia do estado


Homenagem aos 29 anos da conquista do Campeonato Brasileiro do Bahia Homenagem aos 29 anos da conquista do Campeonato Brasileiro do Bahia
Além de autoridades, participaram da mesa o atual presidente da agremiação, Marcelo Santana, e os ex-presidentes do clube, Paulo Maracajá, Petrônio Barradas e Fernando Schmidt. Representou o governador Rui Costa, o secretário Cássio Peixoto. Também prestigiaram o evento os ex-jogadores Eliseu Godoy, Douglas, Osni e Emo, além de Luciano Venâncio, da Bamor.

Uma homenagem especial foi feita para torcida tricolor, que se tornou patrimônio cultural e imaterial do estado, pela Lei 13.599/16, de autoria do deputado comunista. “19 de fevereiro é uma data memorável. Ter participado desse momento especial para o clube e para a nação tricolor é motivo de muito orgulho, pois colocou definitivamente jogadores, comissão técnica, dirigentes e funcionários da época no coração e na história do clube e da torcida”, disse.

Representando os jogadores, o ex-goleiro Ronaldo Passos destacou que o time campeão era uma família. “A maioria dos atletas era da base do Bahia e o sucesso se deveu também ao papel do presidente Paulo Maracajá e do técnico Evaristo de Macêdo. Ninguém acreditava e chegamos a sofrer chacota da imprensa nacional, mas fomos campeões com justiça”, afirmou.

História do hino

O sobrinho de Adroaldo Costa, Aramis Ribeiro Costa, falou de como surgiu o hino. “Ele disse que tinha feito várias coisas importantes na vida, mas duas ficariam: o projeto social Hora da Criança e o hino do Bahia. Meu tio, que era tricolor doente e diretor do clube, aos 29 anos, foi chamado para fazer uma música que alegrasse os torcedores e incentivasse o time no antigo campo da Graça. A letra reflete as características da torcida e é cantada até por quem não é torcedor”, frisou.

Presidente campeão da época, Paulo Maracajá afirmou que teve muitas emoções no futebol, mas que 19 de fevereiro de 1989 (dia da partida final) foi a maior. “Chegamos uma quinta-feira em Salvador, e a multidão era maior do que a que recebeu o papa. Só ganhamos porque nos unimos pelo Bahia, que é maior do que todos nós”, declarou.

Marcelo Santana enfatizou que os jogadores que são formados no clube ou contratados devem conhecer a história vitoriosa do time para saber a importância de vestir a camisa tricolor. “Bobô foi feliz ao expressar a felicidade de um nordestino ser campeão nacional, mostrando que somos capazes de conquistar muitos títulos”, disse.

Homenageados

Ao final, receberam placas a torcida (pelo presidente Marcelo Santana), Paulo Maracajá, Adroaldo Costa (pelo sobrinho Aramis), o médico Marcos Lopes (pela esposa Tatiana Melo), idealizador da Lei 13.599, e os jogadores João Marcelo (pela cunhada e desembargadora Maria de Lourdes Medauar), Gil Sergipano (pela filha Mariana), Ronaldo, Paulo Rodrigues, Zé Carlos, Dico Maradona e Sandro.


Do Portal Vermelho, com informações da assessoria de imprensa do Deputado Bobô (PCdoB-BA)

  • VOLTAR
  • IMPRIMIR
  • ENCAMINHAR

Últimas Mais