Brasil

13 de abril de 2017 - 13h19

Tudo “lícito e transparente”, diz delator ao detalhar palestra de Lula


Reprodução
   
Alencar abriu o depoimento dizendo que a Odebrecht decidiu patrocinar palestras do ex-presidente petista porque “era uma maneira de remunerar Lula, face a tudo o que ele fez pela empresa, de uma maneira lícita e transparente. Foi feita da mesma maneira que fizemos com ex-mandatários, como Fernando Henrique Cardoso”.

Além disso, “os nossos empresários e presidentes de outros países [onde a Odebrecht tem negócios]” tinham uma “demanda” por Lula. “A ida do presidente Lula a esses países realmente abriam oportunidade de negócios e sedimentava, principalmente, a imagem da Odebrecht.”

Alencar ainda disse que a Odebrecht “tem o prazer de dizer” que Lula iniciou sua carreira como palestrante com o apoio do grupo. “Ele fez com mais de 41 empresas, e todo mundo acha que só foi com a Odebrecht. [Mas isso] abriu esse novo trabalho dele.”

Por volta dos 30 minutos de vídeo, após Alencar detalhar cada uma das viagens e palestras de Lula em vários países – afirmando que ele nunca foi abordado nem ofereceu interceder junto a outros governo em nome da Odebrecht – o procurador da Lava Jato pergunta: “Esses pagamentos das palestras vinham de alguma conta específica?”

Alencar, então, explicou: “Aí existe um dado... Existe a conta ‘Amigo’, que é uma conta que Marcelo tinha com Palocci referente a fluxos para pagar alguns custos. ‘Amigo’ seria uma conta para pagar demandas de Lula. Nessa conta, em princípio, Marcelo dizia que tudo que fosse para Lula seria abatido dessa conta ‘Amigo’. Mas que me conste, nenhuma palestra foi abatida da conta ‘Amigo’”.




Fonte: Jornal GGN

  • VOLTAR
  • IMPRIMIR
  • ENCAMINHAR

Últimas Mais