Lula deve se reunir com papa Francisco no Vaticano no dia 13

Encontro entre o ex-presidente brasileiro e o pontífice católico foi intermediado pelo atual presidente argentino, Alberto Fernandéz

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tem um encontro marcado com o papa Francisco na próxima quinta-feira (13), no Vaticano. Por conta da viagem, Lula solicitou o adiamento de seu depoimento em uma audiência judicial referente à operação Zelotes, que aconteceria no próximo dia 11. A 10ª Vara Criminal Federal do Distrito Federal informou que “o pedido está em análise”.

O ex-presidente responde em liberdade enquanto aguarda o resultado de um recurso contra a pena por corrupção. Caso seu depoimento seja adiado, ele estará fora do país entre os dias 12 e 15 de fevereiro.

O encontro entre o ex-presidente brasileiro e o pontífice católico foi intermediado pelo atual presidente argentino, Alberto Fernandéz, que se encontrou com o líder máximo da Igreja Católica no fim de janeiro. “O Lula me pediu para ver o papa. E eu pedi (ao papa) se ele podia receber o Lula. E ele (o papa) me disse: ‘Claro’. E que (o Lula) lhe escrevesse porque ele (o papa), com todo prazer, o receberá”, relatou Fernandéz.

Na ocasião, o presidente argentino também indicou que o assunto sobre uma visita de Lula ao Vaticano surgiu quando os dois – Fernández e Francisco – tocaram no assunto sobre “lawfare”. O termo define uma guerra judiciária para intervir na política e para destruir adversários.

Em maio de 2019, o pontífice enviou uma carta a Lula, em que afirma que “o bem vencerá o mal”. Nesta semana, em entrevista à TV 247, Lula justificou a visita como “quase uma necessidade” para retribuir a Francisco. “Tenho de ir agradecer as manifestações que ele tem feito e não apenas em minha solidariedade, mas que ele tem feito em defesa do povo oprimido de todo o mundo”, afirmou.

“O papa está preparando um encontro, ‘A Economia de Francisco’, que acontecerá em março – e eu gostaria que o papa soubesse da experiência brasileira mais bem-sucedida das últimas décadas, que provou que o pobre não é um problema. Provamos que o pobre, quando é inserido na economia, vira solução”, agregou Lula. “Quando você dá dinheiro para o pobre, ele vira um consumidor. Quando dá para o rico, ele vira um especulador. Será sobre isso a conversa com o papa.”

Da Redação, com agências e blogs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *