Trabalhadores da educação denunciam Bolsonaro ao Congresso Nacional

A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino diz que o presidente atentou contra o artigo 78 da Constituição pelo qual ele tem que “promover o bem geral do povo brasileiro”

Gilson Reis, coordenador-geral da Confederação Nacional dos Estabelecimentos em Educação (Foto: Divulgação)

A Contee (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino) encaminhou nesta segunda-feira (30) à Câmara e ao Senado denúncia contra Jair Bolsonaro por atentar contra o Artigo 78 da Constituição.

O dispositivo diz que o presidente da República tem o “compromisso de manter, defender e cumprir a Constituição, observar as leis, promover o bem geral do povo brasileiro, sustentar a união, a integridade e a independência do Brasil”.

A Confederação também solicitou ao Congresso Nacional que, visto “não remanescer nenhuma dúvida de que o presidente Bolsonaro não mais dispõe de condições de continuar à frente do país — se é que ele em algum momento dispôs —, ao menos da forma como vem conduzindo seu governo, que, insista-se, põe em risco a integridade física e mental de toda a sociedade”, “tome medidas republicanas, com vistas a salvar a incolumidade do Brasil e dos brasileiros”.

O ofício foi assinado pelo coordenador-geral da Contee, Gilson Reis, e enviado aos respectivos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Davi Alcolumbre.

No documento, o diretor da Confederação argumenta que “a arrogância e o desprezo do presidente Bolsonaro pelo Brasil e, em especial, pelos brasileiros, alcançou seu apogeu neste momento de comoção mundial provocada pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19), que, segundo a acreditada agência das Organização das Nações Unidas (ONU), a Organização Mundial da Saúde (OMS), até a madrugada deste dia 30 de março corrente, em mais de duas centenas de países e territórios, contaminou 638.146 pessoas, com 30.039 mortes, sendo que, no Brasil, já foram detectados 3.417 casos, com 92 mortes”.

No ofício, a Contee aponta ainda que, para que se tenha a dimensão do tamanho do crime doloso que Bolsonaro patrocina, “basta que se tome a educação, campo de ação da Contee.

Segundo o Anuário Brasileiro de Educação Básica 2019, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2018 havia 40.641 estabelecimentos privados atuando nesse nível de ensino, com 8.995.249 matrículas.

Isso, claro, sem contar os outros mais de 40 milhões de matrículas nas redes públicas, distribuídas em 140 mil unidades escolares”. E questiona: “Se a sociedade for afetada pelo desvario do presidente Bolsonaro, quantas milhões de vidas de crianças e jovens alunos, professores, técnicos administrativos e gestores estarão em risco de contaminação pelo novo coronavírus?”.

Por Táscia Souza, da Contee

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *