Deputados questionam interesse de Bolsonaro na Polícia Federal do Rio

“Moro você tem 27 Superintendências, eu quero apenas uma, a do Rio de Janeiro”, disse Bolsonaro a Moro, segundo o depoimento do ex-juiz de dez páginas

(Foto: Ed Alves/CB/D.A Press)

No depoimento prestado no sábado (2) por Sergio Moro à Polícia Federal (PF) de Curitiba, o ex-ministro disse que foi pressionado para trocar o superintendente do órgão no Rio de Janeiro, o delegado Carlos Henrique Oliveira de Sousa, que estava no cargo desde novembro de 2019.

“Moro você tem 27 Superintendências, eu quero apenas uma, a do Rio de Janeiro”, disse Bolsonaro a Moro, segundo o depoimento do ex-juiz de dez páginas.

No final do mês passado, o jornal Folha de S.Paulo revelou que a PF identificou o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ), filho do presidente Jair Bolsonaro, como um dos articuladores de um esquema criminoso de fake news.

A PF não investiga o caso da “rachadinha” envolvendo o então deputado estadual Flávio Bolsonaro, filho do presidente e atual senador, mas o órgão possui uma série de informações desse assunto, guardadas em sigilo.

A deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ) destacou a frase do depoimento e sugeriu ao presidente que explicasse seu interesse pelo comando do órgão.

“Você pode explicar rapidinho pro povo brasileiro essa vontade de controlar a PF do Rio, presidente? Tá querendo blindar alguém próximo? Perguntar não ofende!”, indagou a deputada.

Para o deputado Orlando Silva(PCdoB-SP), a frase pelo interesse na PF do Rio de Janeiro é uma prova sobre crime.

“Só isso já é prova mais do que suficiente que Bolsonaro usa a presidência para proteger a si e familiares de investigações que levem a seus crimes”, disse o deputado.

“Muitas bombas no mesmo depoimento. Além de indicar o desejo do presidente de controlar a PF no RJ, Moro admitiu que teve celular hackeado em 2019. Ou seja, a #VazaJato só mostrou verdades sobre as interferências criminosas do ex-juiz na Lava Jato”, avaliou o líder da Minoria na Câmara, deputado José Guimarães (PT-CE).

O deputado Alessandro Molon (PSB-RJ) também destacou a frase do depoimento na qual o presidente diz que só queria o comando da PF do Rio. “Por que será? Rosto pensativo#ImpeachmentJá”, escreveu no Twitter o parlamentar.

Autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *