Bolsonaro desrespeita isolamento social em ato antidemocrático

Manifestantes baixaram o tom das ameaças feitas nos atos anteriores quando pediram fechamento do STF, do Congresso Nacional e a favor da ditadura militar

(Foto: Reprodução do Facebook)

Manifestantes pró-Bolsonaro quebraram a quarenta na capital federal para se manifestar neste domingo (17), em frente ao Palácio do Planalto, com a presença do presidente e mais onze ministros.

A quebra na manifestação do isolamento social, única medida eficaz no combate à disseminação da covid-19, acontece em meio a subida no número de casos da covid-19 no Distrito Federal.

Boletim mais recente da Secretaria de Saúde mostra que a capital tem 4.140 diagnósticos e 55 óbitos provocados pelo coronavírus.

Bolsonaro e seus ministros desceram a rampa do Palácio para cumprimentar os manifestantes.  O presidente voltou a tocar as mãos das pessoas e segurar crianças no colo.

O ato baixou o tom das ameaças feitas na manifestação anterior como pedido para o fechamento do STF (Supremo Tribunal Federal), do Congresso Nacional e a favor da ditadura militar.

No local, foi erguido um mastro com bandeiras do Brasil, Israel e Estados Unidos. Também foram entoados gritos contra veículos de imprensa e, repetidamente, “cloroquina”, medicamento defendido por Bolsonaro para o tratamento do novo coronavírus, além de “queremos trabalhar”.

Autor

2 comentários para "Bolsonaro desrespeita isolamento social em ato antidemocrático"

  1. Rudolfo Strassmann Filho disse:

    Marun: do lixo, pro Lixão !

  2. Rudolfo Strassmann Filho disse:

    Baixaram a bola: Furou !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *