Ho Chi Minh, 130 anos do Libertador do povo vietnamita

Comemoramos – neste 19 de maio – os 130 anos do nascimento de Ho Chi Minh (ou “aquele que ilumina”), líder da libertação nacional e social do Vietnã da exploração feudal, da exploração capitalista e colonialista da França, da invasão imperialista do Japão e da máquina de guerra dos Estados Unidos da América.

Ho Chi Minh viveu em uma era particularmente movimentada da história mundial e da Indochina – período que se estende do final do Século XIX ao final do Século XX – durante a qual ocorreram múltiplas revoltas populares contra o sistema colonial francês e a estrutura feudal imperante no Vietnã.

O Governo finalmente implantado da República Democrática do Vietnã foi proclamado em 1945, conseguindo se consolidar e se preparar para travar a célebre batalha de Dien Bien Phu contra o exército colonial francês, em 1954. Expulsos os franceses, as tropas dos estadunidenses passaram a substituir os antigos invasores.

Os EUA começaram a agressão com algumas centenas de militares, chegando ao ponto de ter mais de 500 mil soldados em território vietnamita. Foram igualmente derrotados e em 1975 se retiraram do país. Pela primeira vez na história uma pequena Nação pôde derrotar o maior exército imperialista do mundo, conquistando sua libertação e unificando a Pátria. Em 1976, o país passa a se denominar República Socialista do Vietnã.

Para comemorar a data do nascimento de Ho Chi Minh e a gloriosa trajetória da independência do país, a Embaixada do Vietnã, em cooperação com a Abraviet (Associação de Amizade Brasil-Vietnã) e a Editora Anita Garibaldi acabam de lançar um livro, “Ho Chi Minh, a vida e obra do líder da Libertação do Vietnã“, com organização do jornalista Pedro de Oliveira. De fato, os brasileiros ainda precisam conhecer melhor o pensamento do líder vietnamita e os ensinamentos deste sofisticado revolucionário que foi Ho Chi Minh. O Partido Comunista do Brasil (PCdoB),  em nota assinada por seu secretário de Relações Internacionais, Walter Sorrentino, divulgou a seguinte declaração em homenagem aos 130 anos do insigne revolucionário:

PCdoB: 130 anos de nascimento de Ho Chi Minh

O Partido Comunista do Brasil rende suas sinceras homenagens ao povo e ao Governo da República Socialista do Vietnã pela passagem dos 130 anos do nascimento de Ho Chi Minh, em 19 de maio de 1890. Seu exemplo de dedicação à causa da libertação dos povos da opressão do colonialismo e do imperialismo tem especial relevância na história da humanidade. Com seu estudo e atividade prática, Ho Chi Minh conseguiu liderar sua Nação e seu povo no caminho da libertação nacional e social do Vietnã. Em reconhecimento ao seu destacado papel mundial, a Unesco – Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura – promulgou uma resolução em 1987 – afirmando Ho Chi Minh como “Herói libertador do povo vietnamita e um homem de cultura para a Paz”.

Em seu Testamento – Ho Chi Minh gravou em palavras simples e diretas, como sempre foi o seu estilo, o que podemos considerar a síntese do pensamento deste grande revolucionário comunista vietnamita. Logo no início do documento, Ho Chi Minh levanta as bandeiras que considerou mais importantes em sua longa luta pela construção da República Democrática do Vietnã, atualmente República Socialista do Vietnã:

“Independência – Liberdade – Felicidade”.

Ho Chi Minh, que não viveu para assistir, em 1975, a vitória final das forças da Frente de Libertação Nacional em Saigon, tinha plena confiança na vitória:

“Ainda que a luta de nosso povo contra a agressão dos Estados Unidos e pela salvação nacional deva passar por mais dificuldades e sacrifícios, estamos decididos a conquistar a vitória total. Esta é uma certeza!”. Esta análise, que se revelou justa, mostra a determinação persistente de lutar e vencer os agressores estrangeiros. Isso somente foi possível em função de uma linha tática e estratégica correta, criativa e concebida de maneira independente pelo Partido e pelas forças armadas populares do Vietnã. Eles souberam organizar estas forças em todo o seu território para derrotar os agressores, criando uma sólida base de retaguarda para sustentar os combates do front. Foram capazes também de forjar alianças com os povos vizinhos do Laos e do Camboja, além de articular a solidariedade internacional que foi elemento-chave na conquista da vitória e da reunificação do país.

Ao longo desse breve texto, Ho Chi Minh tratou em primeiro lugar do Partido Comunista do Vietnã. Destacou a importância da dedicação total à classe operária, ao povo e à Pátria, qualidade que fez o PCV ser capaz de unir, organizar e dirigir o povo vietnamita, de êxito em êxito, numa luta firme. Fez, na sequência, uma exaltação da tradição da preciosa unidade do Partido e do Povo, do Comitê Central às bases partidárias, como sua menina dos olhos. Lembrou também o estabelecimento de ampla democracia interna, ao lado do exercício da crítica e da autocrítica de maneira regular e séria, como a melhor forma de desenvolver a solidariedade e a unidade na ação.

Por fim, diz algo sobre as questões pessoais: “Se agora devo deixar este mundo, não tenho nada de que me lamentar, exceto de não ter sido capaz de servir mais e melhor”. (…) “Portanto, deixo estas linhas antecipando o dia em que irei reunir-me com Karl Marx, V. I. Lênin e outros líderes revolucionários. Assim, nosso povo em todo o país, nossos camaradas no Partido e nossos amigos no mundo não serão pegos de surpresa”.

Em 2020, o Governo Socialista e o Partido de Ho Chi Minh deram, nestes últimos meses, mais um exemplo vivo de como o Estado pode enfrentar outros inimigos, como foi o caso do surto do Coronavírus Sars-Cov-2, causador da doença Covid 19. O Vietnã se destacou até agora na batalha contra a pandemia que abalou o mundo inteiro, promovendo o isolamento social das pessoas que foram infectadas, mobilizando grandes contingentes populacionais no norte do país, oferecendo o tratamento adequado e impedindo que se verificasse, até este momento, uma única morte pela doença que vem matando milhares de pessoas, em quase todos os países, inclusive no Brasil.

Viva os 130 anos de nascimento de Ho Chi Minh!

Walter Sorrentino, vice-presidente do PCdoB e secretário de Relações Internacionais

Brasília, 19 de maio de 2020

2 comentários para "Ho Chi Minh, 130 anos do Libertador do povo vietnamita"

  1. Hudson Tavares disse:

    Parabéns pela excelente matéria e lembrança justa e precisa de uma luta heróica e exemplo internacional de um líder sábio e destemido. Viva Marx, viva os Bolcheviques, viva, viva Hanói, vivaHo chi mim, viva

  2. Cesar Alves de Souza disse:

    Gostaria de conhecer melhor está estória.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *