Pandemia, incertezas, medo: a vida dos agentes de organização escolar

Se as escolas estão vazias, qual função essencial os inspetores de alunos cumprem na total ausência de alunos?

A cidade de São Paulo tem 7.807 agentes de organização escolar (nova designação para inspetor de aluno) nas escolas da rede estadual de ensino. As escolas estão sem alunos, mas a maioria desses agentes é obrigada a ir trabalhar em plena pandemia do novo coronavírus. Por quê? Para quê? As escolas estão vazias. Que função essencial os inspetores de alunos cumprem na total ausência de alunos?

Sou professora de Biologia e meu marido é agente escolar. Como ele, os outros agentes – que são pais, que são mães, inclusive uma mãe que carrega seu bebê em fase de amamentação, ou ainda filhos e filhas com pais idosos em casa – pegam ônibus, metrô e trem nos horários de pico, para marcarem ponto em escolas sem alunos.

A pandemia superou qualquer crise sanitária dos últimos cem anos. Alguns agentes foram afastados por terem comorbidades e outros ficaram em teletrabalho. Porém, muitos – incluindo meu marido, incluindo a jovem mãe que tem que levar a sua bebê, estão trabalhando presencialmente.

Foi atribuída aos agentes de organização escolar a entrega das novas apostilas, para os alunos acompanharem as aulas online usando o aplicativo Centro de Mídias. A distribuição foi organizada com base em um calendário, dividindo os alunos em séries, para evitar aglomerações.

Só que as aglomerações não foram evitadas. Os agentes de organização ficaram sozinhos na maioria das escolas para fazer a distribuição. Em alguns casos, em dupla. Em outros, um único agente. Mas em nenhum caso tiveram apoio de agentes de saúde ou da ronda escolar para orientar pais e alunos, para organizar filas, para manter o afastamento.

O último dia de aulas presenciais nas escolas estaduais foi 22 de março. As apostilas chegaram às escolas no dia 27 de abril e foram distribuídas aos pais e alunos nos dias 28 e 29. Mesmo admitindo que os agentes de organização escolar tenham usado a quinta e a sexta-feira (dias 23 e 24 de abril) para organizarem as escala de distribuição, a segunda-feira (27) para receberem as apostilas e a terça e quarta-feira seguintes para distribuírem, o que precisaram fazer nas escolas de 23 de março a 23 de abril? O que precisam fazer nas escolas de 29 de abril até hoje?

Moro na Brasilândia, distrito com o maior número de mortes por Covid-19. A maioria dos agentes mora na periferia. Por que é que o meu marido precisa pegar dois ônibus no horário de pico para marcar ponto e, no final do dia, dois ônibus lotados para voltar? Temos um filho de 4 anos com doença cardíaca crônica. Por que é que a minha família, assim como as famílias de todos os agentes de organização escolar, precisa viver o permanente pavor do perigo real de contaminação?

Está visto que não é para cumprir a função para a qual foram contratos. O que fazem, então? Estão indo abrir os portões das escolas, que a isso são obrigados, para que alunos e pais de alunos vão lá perguntar: “Quando o meu filho vai receber a merenda?”; “O meu filho não tem computador, como faz?”; “Não consigo acompanhar as aulas. Tenho que fazer prova?”.

Para todas as perguntas, os agentes têm a única resposta possível: “Não sei”. Quem tem de responder a essas perguntas é o governo, é o secretário de Educação – isso se já tiver a resposta. E pode fazê-lo com anúncios (publicidade oficial) em rádios e TVs, em entrevistas coletivas, etc.

Muitos podem pensar: “Mas é importante. Se a escola tem computadores e outros materiais, é preciso ter alguma segurança. Alguém tem de abrir a porta para que possam ser entregues as compras da Diretoria de Ensino”. Certo? Errado!

Não é função do agente de organização escolar fazer segurança. Não tem treinamento, meios, nem conhecimento para tal função. Fico imaginando a jovem mãe, vendo os bandidos entrarem e respondendo: “Voltem daqui a meia hora que agora estou dando de mamar. Depois, escorraço vocês a tapa”.

A segurança das escolas estaduais é responsabilidade da Polícia Militar. Mais: as escolas estaduais têm caseiros – sendo grande parte deles policiais militares –, que moram dentro dos muros da escola ou numa casa vizinha. As escolas não estão abandonadas. São esses caseiros que têm todas as chaves e controles eletrônicos dos portões. São esses caseiros que recebem as aquisições da Diretoria de Ensino.

Então, repito a pergunta: por que é que as famílias dos agentes de organização escolar precisam viver o permanente pavor do perigo real de contaminação?

Autor

21 comentários para "Pandemia, incertezas, medo: a vida dos agentes de organização escolar"

  1. Bruce Belmont disse:

    É Simplesmente notório a falta de empatia que o governo e as pessoas num geral tem com os agente de organização escolar, principalmente nos momentos como este que estamos vivendo, são colocados como descartáveis pelo Governo para fazer funções não essências, como disse a autora de maneira em que eles podem se infectar e infectar seus familiares por meio dos transportes públicos lotados principalmente os que vem da periferia que são a maioria, ganham mal são provavelmente um dos Funcionários Públicos do Estado que menos ganham e são eles que nesse momento são usados como Bucha de Canhão nessa Guerra contra o coronavírus, resumindo eles morrem para que os maiorais possam viver, simplesmente lamentável espero que o Governo se sensibilize e tenha responsabilidade com essa classe tão importante para a Educação.
    E para a autora meus parabéns, dificilmente veremos professores se sensibilizando com os Agentes que são quem mais os ajuda dentro da escola.

  2. Mirian Ribeiro disse:

    Fica bem claro que os agentes de organização escolar são a linha de frente das escolas. Salários baixos, assédio e ainda tem que correr os riscos em uma pandemia. Porque apenas os agentes tem que estar nas escolas? O governo esquece que somos pais e mães de família, que os AOEs também correm o risco de serem contaminados, não só no exercício da função, como também no trajeto até o local de trabalho. Temos direito de resguardar nossas vidas e de nossa família.
    O governo tem que começar a nos ver como uma classe igual as outras. Temos direitos iguais. Ou nos unimos e mostramos que juntos somos fortes ou continuaremos a ser sempre o s ultimos a ser lembrados.
    Analú, parabéns pela reportagem. E vamos a partir daqui mostrar que somos muitos e lutar por direitos que parecem não existir.

  3. Marcelo AOE disse:

    Ficou esplêndido o artigo! Me identifiquei muito com ele!
    Os momentos que fiquei sozinho na escola, o medo! Os nóias entrando e encarrando pela grade! Tendo o sentimento, de que se quiserem fazer algo, não têm como a gente se defender! Não temos segurança alguma!
    Sempre sobra para os agentes o papel de faz tudo! Somos bucha de canhão! Somos ameaçados, xingados e desrespeitados , tanto pelo governo, quanto pela população, já que somos linha de frente, e todos se acham acima de nós! Só queria ressaltar que os agentes, também é gente! Temos família e sobrevivemos com um salário medíocre!

  4. Beatriz Adriana Borges disse:

    Desde quando começou a pandemia fomos esquecidos os Agentes de Organizações Escolares, não somos vistos como pessoas, pois ficamos sempre na linha de frente e não somos amparados por nenhum sindicato. Praticamente, fazemos tudo dentro de uma escola e muitas vezes não temos orientação de ninguém. O que foi dito que a escola não pode ficar sem segurança por causa do patrimônio público, porém não temos preparação para ser segurança de nada. O alunos e professores não podem correr riscos e nós podemos. No meu entender parece que o governo acha que somos imunis ao vírus. Não vejo visita de nenhum órgão do governo para verificar se estamos bem e que estamos carregando a escola nas costas. Espero que não aconteça alguma coisa com um agente para o governo tomar alguma providência. Cada dia mais as escolas sem equipamentos de seguranças.

  5. valdir verissimo tenorio disse:

    Tenho 7 anos nessa piada de secretaria que vocês chamam de Educação,pois não tem nada de educação,os senhores feudais, Sinhôs(diretores)e as Sinhás),diretoras,sinhozinhos e sinhazinhas, que são os puchas sacos, dedos duros,x9,malditos, pestilentos, morféticos, hermafroditas,e os raios que os partas, são os próprios colegas,ah,ainda tem os (capitães do mato)que são também nossos colegas, que são os tais Gerente de organização escolar, que não sei porque?,acho que nunca foram Agentes de organização escolar e esquecem de onde eles vinheram e ajudam os Sinhôs e Sinhás a nós prejudicar no nosso dia dia de trabalho,olha que já trabalhei em empresa ruim,mas nunca fui tão maltratado como nessa piada de secretaria,tenho 7 anos nessa piada, quinta escola, finalmente, pensei que não ia encontrar uma escola boa,mas finalmente encontrei,e estou a quatro anos na mesma escola,por isso falo,tem escola boa sim, não aceitem os desmandos dos Sinhôs e Sinhás, hoje falo de boca cheia,se a escola não fosse boa,nem eu estaria aqui, falo para o diretor que é super gente fina e humano,para os país de alunos, enfim falo pra todo mundo,se a escola não fosse boa com certeza não estaria aqui,falo pra todo mundo,quando a escola e a gestão é maldita, não precisam de Agentes de organização escolar, não precisam de cozinheiras, não precisam das meninas da limpeza, não precisam do pessoal da manutenção e nem tão pouco dos professores, trabalhem sozinhos,nos respeitem malditos.

  6. Lucas Hernandes Nunes disse:

    Precisamos muito de ajuda e estamos pedindo há anos socorro, porém ninguém do governo executivo olha para nós.
    Agora até sem auxílio transporte fiquei.

  7. valdir verissimo tenorio disse:

    Colegas não se removam para escolas malditas tanto de gestão quanto de alunos malditos, Remoção, Remoção, Remoção, Remoção, Remoção.

  8. Benedita Ap.Reis dos Santos disse:

    Agentes de Organização Escolar não são imunes. SOS gestor Governador

  9. Simone disse:

    Tenho 6 anos na educação,entra diretor sai diretor e continuamos esquecidos trabalhei no período noturno por 5 anos tinha um problema de saúde grave e quando me afastei para operar o diretor trocou meu horário porque a agente do período da manhã não se dava bem com a nova vice e com um pai voluntário que tira a nossa autoridade dentro da escola com os alunos. Simplesmente voltei da licença e tava tudo mudado sem contar que tem 17 sala no papel e 15 salas físicas tenho que fazer manobras no corredor todas as trocas de aula com duas salas sempre esperando eu desocupar 2 salas para os alunos entrar enquanto no noturno só tem 9 salas de aula funcionando com alunos e fico sozinha no corredor de manhã nem tempo de ir ao banheiro tenho não consigo nem fazer meu horário de almoço e ninguém vê isso …

  10. Selma disse:

    Boa tarde o artigo e bem direto e objetivo! E necessário que se tome uma atitude quanto aos profissionais que estão tendo que ainda mesmo durante essa pandemia e pedido de distanciamento social, estarem indo às escolas! Estamos aguardando os profissionais se contaminarem para tomar alguma providência ? Por favor Sr.secretario da educação tome uma posição a favor de seus funcionários! AOE NÃO É IMUNE

  11. Tah disse:

    Realmente AOEs estão sendo cada vez mais desvalorizados, desde seu salário abaixo da média, a forma que devem trabalhar, sabemos que as diversas atividades, são competentes até por graduados, mas dizem ser um cargo a ENSINO médio, mas as atribuições são imensas.
    E como somos tratados? Com salários baixo, VA a 12 reais por dia trabalhado, deveríamos ter valor cesta básica, porque quando temos férias não comemos?

    Agora somos a linha de frente nas escolas em atendimento, entrega de MATERIAIS, recebendo publico em geral. Lamentável! Sem contar que nossos filhos, familiares ficam em casa e podemos voltar contaminados e contaminá-los.

  12. Tah Pink disse:

    Esse texto fala realmente da realidade dos funcionários das escolas estaduais do estado de São Paulo, os AOEs tem sido linha de frente às escolas por qual motivo?para qual necessidade? O poupatempo está FECHADO mas as escolas estaduais abertas para atendimento, entrega de materiais desnecessários (quem viu sabe do que se trata), recebimento de livros de acervo pra quê? Para sermos contaminados? Já temos amigos contaminados em São Paulo.
    Ainda que um vírus, uma pandemia, fomos no 1° momento dispensados (em recesso, férias) que vergonha de um desgoverno desse, tira de assalariado de forma brusca VA, VT gente ninguém estava esperando uma pandemia, ou seja cantávamos com VA, VT. A MAIORIA DOS AOEs tem empréstimos ou prestações. Porque ? Porque vocês acham que ganhando quase salario mínimo da pra ter moradia, carro? Móveis? Celular para baixar app ? Lamentável estou ! Lamentável estamos.

  13. Tah Pink disse:

    Fica em casa! É pra alguns, pq para AOEs fique em casa se tiver férias! Fique e m casa AOEs se tiver recesso! Até uns dias e alguns gestores fizeram AOEs ficar em casa utilizando sua licença prêmio. AOE nunca ficou em casa por bondade desse governo, quem ficou gastou (usufruiu de algo) Porque ? Porque vocês acham que ganhando quase salario mínimo da pra ter moradia, carro? Móveis? Celular para baixar app ? Lamentável estou ! Lamentável estamos. Porque temos que ser linha de frente: abrir portões, atender pais bravos querendo merenda em casa, brigando porque filho não está no merenda em casa, querendo saber se quem nao ganha bolsa família não come?
    Quem são os AOEs ? Realmente os esquecidos.

  14. Marcelo AOE disse:

    A semana começa, e com ela a sensação de pavor. Pois fica na mente a pergunta, será que hoje alguém irá me contaminar? Será hoje o dia! No transporte, pois pego o trem, e depois mais um ônibus. Será hoje? Algum aluno, desses que não está nem aí para o vírus, e que insisti em ir na escola, pra perguntar coisas sem sentido algum, só pra ter atenção mesmo, pois não têm que o escute! Será hoje? Será que os cuidados ao entrar em casa, as constantes borrifadas de álcool e a fiel máscara irá me proteger? Será? Não sou um número! Sou Marido, Pai, Filho e cidadão ! Será que se importam, será! Não não se importam pois a semana começou e com ela o medo! Até quando seremos invisíveis, até quando seremos mudos! Será que vamos mudar o mundo? Ou será que não temos forças para isso! Será que vamos nos unir, ou ficar sozinhos e lamentando sozinho! Será?

  15. Simone da Silva Alves disse:

    Nossa, concordo plenamente. Pra que correr o risco se nem aula têm?

  16. Denúncia: Primeiro caso de Covid em Agente de organização, só resta saber até quando os AOE terão a obrigatoriedade de trabalhar com escola fechada?
    Este agente é fonte de contaminação para muitos passageiros dos transportes públicos, e irá fatalmente contaminar a equipe de trabalho. será que é necessário um óbito para também ficar em casa?

  17. marcia disse:

    A semana começa, e com ela a sensação de pavor. Pois fica na mente a pergunta, será que hoje alguém irá me contaminar? Será hoje o dia! No transporte, pois pego o trem, e depois mais um ônibus. Será hoje? Algum aluno, desses que não está nem aí para o vírus, e que insisti em ir na escola, pra perguntar coisas sem sentido algum, só pra ter atenção mesmo, pois não têm que o escute! Será hoje? Será que os cuidados ao entrar em casa, as constantes borrifadas de álcool e a fiel máscara irá me proteger? Será? Não sou um número! Sou Marido, Pai, Filho e cidadão ! Será que se importam, será! Não não se importam pois a semana começou e com ela o medo! Até quando seremos invisíveis, até quando seremos mudos! Será que vamos mudar o mundo? Ou será que não temos forças para isso! Será que vamos nos unir, ou ficar sozinhos e lamentando sozinho!

  18. vanda disse:

    concordo plenamente

  19. Débora Pereira da Silva disse:

    Sou agente e entendo que estamos numa crise nunca vista por nossa geração.
    Mas, e minha família e minha saúde?
    Quem se importa? Estamos indo trabalhar, correndo risco de nos contaminar e contaminar nossos entes queridos. Somos essenciais? Mas se somos essenciais pq nunca e falado sobre os agentes? Pq recebemos tão pouco; muitos agentes além de colocar a vida em risco está tendo descontos… O que complementa nossa renda e o VT, o que não estamos recebendo por não estarmos indo trabalhar…estamos em teletrabalho, alguns. Outros estão indo dias escalados.

  20. Rogério Ferreira disse:

    Sou AOE e até o momento que escrevo o depoimento (01/06/2020) o Governo, ainda, está obrigando o AOE ir trabalhar presencialmente no meio de uma pandemia para ficar entregando kits escolares e tendo contato direto com a população, a meu ver é uma medida desnecessária, existem outros meios de enviar esses kits escolares, por correios ou até mesmo digitalizados em PDF. Eu fico impressionado como nenhum governante, ainda, não percebeu que abrir a escola na pandemia, mesmo que em horário reduzido (10H às 16H) contribuiu para a proliferação da doença (COVID-19), estão matando famílias nas comunidades, por conta de aglomerações nas escolas públicas estaduais e o contágio se espalha com facilidade, é um absurdo os que estão fazendo, o povo brasileiro tem direito a vida e lhe é assegurado esse direito na constituição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *