Weintraub deve pedir demissão do Ministério da Educação, diz revista

Informação foi repassada por interlocutores do Planalto a integrantes do Judiciário e do Congresso

O ex-ministro da Educação, Abraham Weintraub

Integrantes do Palácio do Planalto fizeram chegar a ministros do STF (Supremo Tribunal Federal), do STJ (Superior Tribunal de Justiça) e representantes do Congresso Nacional que o ministro da Educação, Abraham Weintraub, está de saída do governo. A informação é de Robson Bonin, colunista da revista Veja.

O “chega-pra-lá” em Weintraub viria na esteira de uma tentativa de trégua que está sendo construída por interlocutores de Jair Bolsonaro com os demais Poderes. Conforme a versão palaciana, o ministro, abatido pelos ataques que vem sofrendo dentro e fora do governo, teria decidido pedir demissão do MEC. Seu movimento não foi refutado pelo presidente.

Recentemente, um dos que criticaram o chefe da Educação foi o presidente do Congresso, Davi Alcolumbre. Em conversa com Bolsonaro, ele disse que as declarações do ministro contra o STF e sobre a noite dos cristais, que provocaram revolta na comunidade judaica, teriam degradado a capacidade de interlocução política do ministro com o Parlamento.

Chefe da Educação, Weintraub não teria vida fácil se tentasse fazer avançar pautas do governo no setor dentro do Congresso, o que teria sido definidor para a decisão do próprio ministro. A saída, ao que tudo indica, deve se dar até o fim de semana. Mas, tratando-se de governo Bolsonaro, tudo é sempre imprevisível.

Com informações da Veja

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.