Médicos do CE protestam contra Bolsonaro por mandar invadir hospitais

O ato público foi uma homenagem para as aproximadamente 4.500 vítimas fatais da Covid-19 no Ceará e as mais de 41 mil em todo o Brasil

(Foto: Divulgação/Coletivo Nigéria)

Médicos e médicas cearenses, reunidos no Coletivo Rebento – Médicos em Defesa da Ética, da Ciência e do SUS, realizaram na manhã deste sábado (13), na Praia de Iracema, nas proximidades da estátua de Iracema, e nas redes sociais ao longo de todo o dia, manifestação em resposta às declarações do presidente Jair Bolsonaro, insuflando a população a “invadir e filmar hospitais e UTIs”. Mais de 30 médicos se manifestaram presencialmente e em um vídeo que está repercutindo nacionalmente, com um texto contundente em resposta ao presidente da República.

O ato público foi uma homenagem as aproximadamente 4.500 vítimas fatais da Covid-19 no Ceará e as mais de 41 mil em todo o Brasil. Também a todos os profissionais de saúde, em repúdio à atuação do Governo Federal na crise e em defesa do Sistema Único de Saúde, da rede pública de atendimento como direito de todo cidadão e cidadã.

A manifestação presencial seguiu os protocolos de cuidado com a saúde pública, com participação de médicos que já se restabeleceram após contrair a Covid-19 no exercício da profissão.

O ato público incluiu a leitura de um manifesto elaborado pelo Coletivo Rebento, chamando atenção e denunciando a crise humanitária no Brasil, com o altíssimo número de mortos e doentes, como epicentro da crise, diante de grave desigualdade social, dificuldades de infraestrutura nos bairros de periferia e municípios do Interior, crônico subfinanciamento do SUS, ações e comunicações do Governo Federal negligentes e deliberadamente contrárias ao que deveria ser feito para salvar vidas de brasileiros e brasileiras e minimizar os efeitos sociais e econômicos da pandemia.

Um país sem ministro da Saúde, após trocas em plena crise sanitária mundial, com tentativa de esconder e dificultar acesso aos números da doença, com campanha diária do próprio governo contra o isolamento social e minimizando a pandemia como “gripezinha”. Um país com dezenas de militares no Ministério da Saúde, onde deveriam estar médicos, pesquisadores, outros profissionais e gestores com expertise e experiência comprovadas para salvar vidas e evitar que o Brasil virasse motivo de vergonha e preocupação mundial.

Defesa do SUS e solidariedade aos profissionais de saúde

Os médicos e médicas do Coletivo rebento, atuantes no Ceará e responsáveis pela manifestação deste sábado, enfatizam a solidariedade com as famílias das vítimas fatais da Covid-19 e com todos os profissionais de saúde: enfermeiras, fisioterapeutas, técnicos de enfermagem e radiologistas, copeiras, auxiliares de transporte, médicos, recepcionistas, assistentes sociais, nutricionistas, maqueiros, profissionais de asseio e conservação, entre outros.

A defesa do SUS, a revogação do congelamento por 20 anos dos recursos para a saúde, a educação, a ciência e tecnologia, a ampliação de investimento federal e estadual na saúde, a retomada de construção de hospitais e outros equipamentos, o financiamento da pesquisa são outras bandeiras dos médicos e médicas. “Lutaremos por um SUS cada dia mais forte, público, equânime e acessível a todos os brasileiros”, destacam.

Confira o texto do vídeo, disponível nas redes sociais do Coletivo Rebento:

POR QUE NÃO TE CALAS, ESTÚPIDO?                                                

– Chega!                                                 

– Cala a boca, porra!                     

– Sai daí!                                                        

Respondo-te com teu linguajar chulo e autoritário, que não é o meu. Assim tu compreenderás, com teus simplórios atributos intelectuais, o que quero dizer. Exigimos respeito, como médicos e profissionais de saúde. Não mentimos ou desprezamos fatos, nem temos tua boca suja a cuspir palavrões, insanidades e acusações levianas. Respeitamos, ao contrário de ti, os 40.000 mortos e seus familiares. Tu és ingrato. Nenhuma palavra de agradecimento ou apoio aos que labutam bravamente contra essa doença. Tu és covarde. Escuda-se atrás de militares de alta patente para esconder tua inépcia e incapacidade gerencial. Teu passado é sombrio, tenente cínico. Foste enxotado da caserna por trair os regulamentos militares. Deputado medíocre. Nunca defendeu algo nobre. Apologista da tortura, prestarás conta dos teus atos. Desce dos helicópteros em que te penduras e macaqueia pelos céus. Desce do cavalo de narinas dilatadas em que tu, sacudido como um esqueleto sem máscara, avança para teu triunfo, o triunfo da morte. Vem governar, estúpido! Não tememos tuas ameaças e milícias.  Venham aos hospitais públicos. Encontrarão cansaço, faces marcadas pelas máscaras do trabalho, mãos limpas, amor e dedicação a profissão. Encontrarão doentes se recuperando, alguns ainda próximos da morte, corpos no necrotério e lágrimas dos familiares. Documentarão familiares agradecidos ao trabalho de profissionais e gestores sérios que lutaram pela vida e contra a morte. Beócio, tudo isso te causa ira, inveja e despeito e corrói tuas pútridas entranhas. Teu ocaso deixará alívio e não saudade. Se calados ficarmos, teu desgoverno deixará um rastro de miséria com uma legião de desempregados e subempregados, devastará o meio ambiente, aniquilará minorias, fortalecerá o obscurantismo, destruirá a cultura, a ciência e o pensamento, infligindo a nós, povo brasileiro, os piores vexames perante a comunidade internacional. Tu não passas de um soldado bisonho marchando em círculos, acompanhado de um pelotão de coveiros, a administrar cemitérios lotados e negar os fatos.      

Acesse aqui o vídeo no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *