Congressistas celebram saída de Weintraub, pior ministro da Educação

Perpétua Almeida (AC), líder do PCdoB, disse que a cadeira de ministro da Educação era grande demais para ele, “tão pequeno, agressivo, incompetente e perseguidor dos estudantes e universidades brasileiras”

(Foto: Reprodução)

Parlamentares Congresso Nacional comemoraram a saída de Abraham Weintraub do Ministério da Educação. A situação dele no cargo era insustentável após atacar o STF (Supremo Tribunal Federal) chamando os ministros da corte de “vagabundos” e que os colocaria na prisão.

Antes de deixar cargo, Weintraub ainda editou portaria que revogou a política afirmativa de cotas para negros, indígenas e pessoas com deficiência em cursos de pós-graduação.

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que havia dito que era “uma pena para o Brasil ter um ministro desqualificado”, criticou a portaria editada pelo ex-ministro. Ele disse que a medida não foi bem aceita no parlamento.

Sobre a saída, Rodrigo Maia disse que a situação era muito ruim. “Todo mundo sabe minha posição, não adianta ficar aqui reafirmando, não é isso que vai melhorar o diálogo. Esperamos que a gente possa ter no MEC alguém de fato comprometido com a educação e com o futuro das crianças”, disse.

A líder do PCdoB na Câmara dos Deputados, Perpétua Almeida (AC), considerou que a cadeira de ministro da Educação era grande demais para ele, “tão pequeno, agressivo, incompetente e perseguidor dos estudantes e universidades brasileiras”. “Nunca se preocupou, de fato, com a Educação. Foi reprovado!”, disse a líder.

Para o deputado Orlando Silva (PCdoB-SP), nem a prisão do Queiroz salvou a pele do Weintraub. “Agora são duas ótimas notícias nesse grande dia!”, comemorou.

“Entre o alívio de saber que o Weintraub caiu e o pavor de pensar o que pode vir no lugar dele!”, afirmou a deputada Alice Portugal (PCdoB-BA). “WEINTRAUB CAIU! JÁ FOI TARDE!”, escreveu a deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ) no Twitter.

“Adeus, Weintraub! Fica o registro do teu nome como o pior ministro da educação de todos os tempos. E já vais tarde! Tchau!”, postou o vice-líder do PCdoB, deputado Márcio Jerry (MA).

A deputada Professora Marcivânia (PCdoB-AP) diz que caiu finalmente o pior ministro da Educação que o Brasil já teve. “Como legado, só desmonte e inércia. Nada, absolutamente nada foi feito de positivo em sua gestão. Nossa educação não mereceria algo assim”, avaliou.

O deputado Daniel Almeida (PCdoB-BA) diz que Weintraub deixa o cargo depois de muitas medidas com objetivo de sucatear a educação pública brasileira. “É um governo que se autocorrói, que troca de ministros como se troca de roupa, sem credibilidade e sem respeito”, afirmou.

O líder da oposição na Câmara, deputado André Figueiredo (PDT-CE), disse que a saída do ministro da Educação era esperada e necessário para o bem do Brasil. “Só não podemos desviar o foco da atenção da prisão do Queiroz. Já não era sem tempo”, comemorou.

“Já vai tarde. O MEC se livra de um péssimo ministro”, disse o líder da Minoria na Câmara, José Guimarães (PT-CE).

O líder do PSB na Casa, Alessandro Molon (RJ), disse que durante toda a permanência de Weintraub à frente da pasta não houve nada de positivo. Segundo ele, boa parte do dinheiro previsto para 2019 nem chegou nas escolas. “Legado de destruição!”

“Nós acreditamos que a mobilização em defesa da educação pública precisa seguir. Infelizmente, Bolsonaro também é ideólogo de uma lógica obscurantista que combate a ciência, o conhecimento e as instituições. Vamos continuar lutando para derrotar esse governo”, avaliou a líder do PSOL na Câmara, Fernanda Melchionna (RS).

Senado

O líder da oposição no Senado, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), disse que o ministro já vai tarde. “Há tempos o Ministério da Educação, assim como o Brasil, está sem comando. É uma vitória da Educação! Mas vale lembrar: não é porque caiu que não vai deixar de pagar por eventuais crimes, viu? Isso vale para Bolsonaro e para Weintraub! O Brasil merece mais!”, postou no Twitter.

Na valiação do líder do PT na Casa, Rogério Carvalho (SE), caiu aquele que nunca deveria ter entrado. “Já vai tarde, pior ministro da Educação da história do nosso país!”

O senador Weverton Rocha (PDT-MA) diz que é muito bem-vinda a demissão de Weintraub, um dos piores ministros da Educação que o Brasil já teve. “Esperamos que o critério de escolha do seu substituto seja a capacidade de apresentar resultados e reconstruir o Ministério, destruído por muita ideologia e nenhum trabalho”, avaliou.

Autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *