Justiça do Rio também autoriza prisão da mulher de Fabrício Queiroz

Fabrício Queiroz, preso nesta quinta-feira (18) repetia sempre: “Podem me prender, mas não podem prender minha mulher nem milha filha”.

Queiroz conduzido por policiais após a prisão - Foto: Reprodução

A Justiça autorizou a prisão de Márcia Oliveira de Aguiar, mulher de Fabrício Queiroz, preso nesta quinta-feira (18) por envolvimento no esquema de rachadinha no gabinete do então deputado Flávio Bolsonaro na Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro), atual senador e filho do presidente Bolsonaro.  

Na época em que estourou o escândalo do esquema das rachadinhas, pelo qual os funcionários do gabinete são coagidos a devolver parte de seus salários, em 2018, Fabrício Queiroz  repetia sempre: “Podem me prender, mas não podem prender minha mulher nem milha filha”.

Márcia também trabalhou no gabinete de Flávio Bolsonaro na Alerj, assim como duas filhas de Fabrício, Nathalia Mello de Queiroz e Evelyn Mello de Queiroz.

Márcia aparece na folha de pagamento da Alerj de agosto de 2017 como consultora parlamentar e salário de R$ 9,2 mil. Evelyn foi nomeada em dezembro de 2016 como assessora parlamentar, na vaga da irmã Nathalia.

O recado era passado por meio de advogados para o coordenador da campanha, Gustavo Bebianno, de acordo com relatos feitos à coluna.

Com informações do G1 e UOL

Autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *