Ciro Gomes: É a pior crise econômica e social da história brasileira

Para Ciro, persistir na política econômica neoliberal é “suicídio”

Com a crise do coronavírus de um lado e as sequelas do bolsonarismo de outro, o País está diante da pior crise econômica e social de sua história. Esta é a opinião do ex-governador do Ceará e vice-presidente do PDT, Ciro Gomes, que foi candidato à Presidência nas eleições de 1998, 2002 e 2018. “O Brasil está se aproximando do fundo do poço”, afirmou ele, neste sábado (20).

A declaração foi dada durante a 1ª Plenária Virtual da Classe Trabalhadora, promovida por videoconferência pela CTB (Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil). Um dos convidados da plenária, Ciro ressaltou os efeitos nefastos da convergência das crises social, econômica e sanitária, além das recorrentes ameaças à democracia.

Em sua opinião, a situação é grave e explosiva – e quem paga mais é a classe trabalhadora. “Tudo que o Brasil mais precisa é empoderar as organizações dos trabalhadores”, afirmou Ciro.

Segundo ele, a solução da crise sanitária reclama urgência. “Ontem atingimos a marca de 1 milhão de casos confirmados de coronavírus. Os especialistas dizem que o número real é de cinco a até 12 vezes maiores – e o País segue sendo o que menos testa, o que afeta o planejamento do combate à doença”, disse o pedetista. “Salvar vida diante de um governo genocida é prioritário. A América Latina toda, com uma população bem maior do que a nossa, não soma um terço das mortes que temos hoje no Brasil.”

Outro grande desastre do governo Bolsonaro, agravado pela pandemia, é o desemprego em massa. “Poderemos chegar a mais de 20 milhões de desempregados no conceito de desemprego aberto do IBGE. Os dados indicam que estão sendo destruídos cerca de 1,2 milhão de empregos formais por mês desde o início da crise sanitária”, constatou.

Para Ciro, persistir na política econômica neoliberal é “suicídio”. Ele defende mudanças profundas no sistema tributário. “Um tributo sobre lucros e dividendos aumenta a arrecadação entre R$ 70 bilhões a R$ 90 bilhões. Com um imposto sobre os grandes patrimônios, teremos mais R$ 90 bilhões”, destacou, acrescentando a proposta de aumentar a taxação sobre o Imposto Territorial Rural e as grandes heranças.

“Com essas providências, poderemos conseguir R$ 3 trilhões em dez anos para sustentar um projeto nacional progressista. Não é pouco”, agregou. Neste período de avanço de diversas frentes contra Bolsonaro, Ciro também manifestou a convicção de que uma posição firme das forças democráticas, aliada à divisão das Forças Armadas, barrará a marcha golpista de Bolsonaro.

Com informações da CTB

3 comentários para "Ciro Gomes: É a pior crise econômica e social da história brasileira"

  1. Heitor Ribeiro disse:

    Projeto Nacional de Desenvolvimebto (PND) é o que precisamos! #CiroGomes2022

  2. Heitor Ribeiro disse:

    Projeto Nacional de Desenvolvimento (PND) é o que precisamos! #CiroGomes2022

  3. Dario Pendragon Weisheimer disse:

    Tanto comunista genial pra esse pelego liberal progressista ilustrar ao lado do símbolo do meu partido?
    Quinta coluna ou só peleguice?
    Hlvs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *