Covid-19 se alastra pelo interior: 1,1 milhão de casos e 51,2 mil mortes

A doença se alastrou pelo país e, atualmente, avança pelo interior. A progressão de óbitos diminuiu em relação ao mês anterior, de 232% para 71%.

Em alguns estados, covid-19 cresce mais no interior que nas capitais.

O Brasil teve 654 novas mortes por covid-19 registradas nas últimas 24h, de acordo com atualização do Ministério da Saúde, divulgada hoje (22). Com esse acréscimo às estatísticas, o país chegou a 51.217 óbitos em função da pandemia do novo coronavírus. O consórcio da imprensa divulgou um total de 51.407 mortos, com 748 novos óbitos e 24.358 novos casos, totalizando 1.111.348 de casos confirmados.

A progressão de óbitos diminuiu em relação a maio Segundo os números do governo federal, desde o início de junho, foram mais de 8,8 mil mortes contabilizadas pela pasta. O número mostra que houve desaceleração em relação a maio. Levando em consideração períodos de 22 dias nos dois meses, a progressão do número de óbitos em razão da covid-19 diminuiu. Em maio, o aumento foi de 232%, enquanto em junho esse número subiu 71%.

A atualização diária traz um aumento de 1,1% no número de óbitos em relação a ontem (21), quando o total estava em 50.617.

O balanço também teve 21.432 novos casos registrados, totalizando 1.106.470. O acréscimo de pessoas infectadas marcou uma variação de 1,9% sobre o número de ontem, quando os dados do ministério registravam 1,085 milhão de pessoas infectadas.

Do total, 483.550 pacientes estão em observação, 571.649 foram recuperados e 3.912 mortes estão em investigação.

Os estados com maior número de óbitos são São Paulo (12.634), Rio de Janeiro (8.933), Ceará (5.604), Pará (4.605) e Pernambuco (4.252). Também apresentam altos índices de vítimas da pandemia os estados do Amazonas (2.671), Maranhão (1.760), Bahia (1.441), Espírito Santo (1.362), Alagoas (903) e Paraíba (784).

Os estados com mais casos confirmados da doença são São Paulo (221.973), Rio de Janeiro (97.572), Ceará (94.158), Pará (86.020) e Maranhão (70.689).

Governo de SP diz que, pela 1ª vez, doença é maior em contaminados no interior do que na capital, com 14,5% a mais de casos. Isso registra uma inversão na lógica de que a capital era o epicentro da crise. A taxa de ocupação de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) é de 65%, considerando todo o Estado, e de 68,5% na Grade São Paulo.

Estudo realizado por pesquisadores da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) alertam para risco de novo pico da contaminação nos meses de julho ou agosto por causa, principalmente, da reabertura gradual do comércio em Manaus. Apenas a capital do Amazonas pode alcançar o número de200 mil casos simultâneos da doença, caso seja mantida a reabertura, assim como mais três mil mortes.

“O número de óbitos está bem acima do normal, com cerca de dez óbitos por dia causado pela covid-19. Isto é preocupante. Dez óbitos por dia causado por uma doença, em tempos normais, seria razão para grande alarme, mas as pessoas naturalizaram esta situação”, lamentou o professor de matemática, Wilhelm Alexander Steinmetz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *