83 super-ricos querem taxação de fortunas para recuperação da pandemia

O grupo de 83 indivíduos ricos exige “impostos mais altos imediatos, substanciais e permanentes” sobre pessoas “como nós”. Já preveem convulsões sociais por todo o planeta.

Richard Curtis, à esquerda, Abigail Disney e Jerry Greenfield estão entre os signatários da carta.

Um grupo de 83 das pessoas mais ricas do mundo instou os governos a aumentar permanentemente os impostos sobre eles e outros membros da elite rica para ajudar a pagar pela recuperação econômica da crise de covid-19.

Os membros super-ricos, incluindo o co-fundador dos sorvetes Ben e Jerry, Jerry Greenfield, e a herdeira da Disney, Abigail Disney, pediram a “nossos governos para aumentar impostos sobre pessoas como nós. Imediatamente. Substancialmente. Permanentemente”.

“Quando a covid-19 atinge o mundo, milionários como nós têm um papel crítico a desempenhar na cura do mundo”, disseram os milionários em uma carta compartilhada com o jornal The Guardian. “Não, não somos nós que cuidamos dos doentes em enfermarias de terapia intensiva. Não estamos dirigindo as ambulâncias que levarão os doentes aos hospitais. Não estamos reabastecendo as prateleiras dos supermercados ou entregando comida de porta em porta.”

“Mas nós temos dinheiro, muito dinheiro. Dinheiro que é desesperadamente necessário agora e continuará sendo necessário nos próximos anos, à medida que nosso mundo se recuperar dessa crise. ”

O grupo alertou que o impacto econômico da crise do coronavírus “durará décadas” e poderá “levar meio bilhão a mais de pessoas à pobreza”.

Entre os que acrescentam seus nomes à carta estão Sir Stephen Tindall, fundador do Warehouse Group e o segundo homem mais rico da Nova Zelândia, com uma fortuna de US$ 475 milhões (370 milhões de libras); o roteirista e diretor britânico Richard Curtis; e o capitalista irlandês John O’Farrell, que fez milhões investirem em empresas de tecnologia do Vale do Silício.

“Os problemas causados ​​e revelados pela covid-19 não podem ser resolvidos com caridade, não importa a generosidade. Os líderes do governo devem assumir a responsabilidade de levantar os fundos de que precisamos e gastá-los de maneira justa ”, diz a carta. “Temos uma dívida enorme com as pessoas que trabalham nas linhas de frente desta batalha global. A maioria dos trabalhadores essenciais é grosseiramente mal paga pelo fardo que carregam. ”

O grupo divulgou a carta antes da reunião de ministros das Finanças do G20 e dos governantes dos bancos centrais. Eles pediram aos políticos que “enfrentem a desigualdade global e reconheçam que os aumentos de impostos sobre a riqueza e maior transparência tributária internacional são essenciais para uma solução viável a longo prazo”.

O número de pessoas super-ricas continua a crescer, apesar do impacto econômico da crise do coronavírus e dos lockdowns globais. Jeff Bezos, a pessoa mais rica do mundo e o fundador da Amazon, viu sua fortuna aumentar em US$ 75 bilhões até agora, este ano, para um recorde de US$ 189 bilhões.

Existem mais de 500.000 pessoas no mundo classificadas como “ultra-ricas”, com fortunas de mais de US$ 30 milhões (£ 26,5 milhões). Isso significa que existem mais pessoas ultra-ricas em todo o mundo do que as populações da Islândia, Malta ou Belize.

Houve repetidos apelos para que os super-ricos contribuíssem mais após a crise da covid-19. Os críticos apontaram que, embora Bezos tenha doado US$ 100 milhões, isso representa menos de 0,1% de sua fortuna estimada.

No Reino Unido, o Partido Trabalhista instou o governo a considerar a introdução de um imposto sobre a riqueza dos membros mais ricos da sociedade para ajudar a financiar a recuperação da pandemia de coronavírus.

Keir Starmer, líder trabalhista, disse este mês: “Estamos dizendo ao governo, olhe para a idéia de um imposto sobre a riqueza, certamente apoiamos o princípio de que aqueles com ombros mais largos devem suportar o maior fardo”.

Na Noruega, cerca de 500.000 pessoas pagam uma taxa de 0,85% sobre seus ativos acima do valor de cerca de £ 126.000.

A carta dos milionários foi organizada pelos Milionários Patrióticos, Oxfam, Human Act, Tax Justice UK, Clube de Roma, Resource Justice e Bridging Ventures.

Publicado em The Guardian, tradução de Cezar Xavier

Autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *