Veto de Bolsonaro à indenização de profissionais de saúde é desumano

O benefício se estendia aos dependentes, cônjuge ou herdeiros dos profissionais mortos em decorrência da doença

Médicos estão na linha de frente do combate à Covid-19 - Foto: Rovena Rosa/ABr

Em mais uma medida considerada desumana, Bolsonaro vetou o projeto aprovado no Congresso que previa a indenização de R$ 50 mil aos profissionais e trabalhadores de saúde incapacitados permanentemente para o trabalho após contaminação pela covid-19. Em julho, ele também já havia vetado a obrigação do governo de garantir acesso a água potável, materiais de higiene, limpeza e desinfecção aos povos indígenas, quilombolas, pescadores artesanais e comunidades tradicionais.

O benefício ainda se estendia aos dependentes, cônjuge ou herdeiros dos profissionais mortos em decorrência da doença. No Diário Oficial da União desta terça-feira (4), Bolsonaro alegou que a matéria é inconstitucional e contrária ao interesse público.

Para a deputada Alice Portugal (PCdoB-BA), o veto indica o desprezo do presidente à vida dos profissionais de saúde. Ela defendeu a articulação para derrubar mais esta ação do presidente.

“Absurdo! Bolsonaro despreza a vida dos profissionais da saúde. O veto integral ao projeto que institui uma indenização para os trabalhadores da área incapacitados ou vitimados pelo coronavírus é uma prova disso. Lutaremos cum muita energia para derrubar esse veto cruel”, destacou.

Com base nos dados do Cofen (Conselho Federal de Enfermagem), a deputada lembrou que 304 profissionais entre enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem já morreram pelo coronavírus, desde o mês de março, quando começou a pandemia no Brasil.

A deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ) afirmou que Bolsonaro vetou a proposta de “forma fria”, uma vez que o Congresso “aprovou recursos no início do ano o aumento de gastos do governo na pandemia”.

Autores

Os autores da proposta, deputados Reginaldo Lopes (PT-MG) e Fernanda Melchionna (PSOL-RS), considereram o veto uma irresponsabilidade e desprezo para com os profissionais que arriscam a vida no combate à doença.

A deputada Fernanda Melchionna, que é líder do PSOL na Câmara, diz que Bolsonaro despreza a vida dos brasileiros e dos profissionais e auxiliares da saúde que estão na linha de frente da guerra contra coronavírus. “O veto ao nosso projeto que garante indenização a profissionais de saúde vítimas do Covid-19 é mais um atestado de sua política genocida!”, disse.

O deputado Reginaldo Lopes (PT-MG) considerou Bolsonaro inimigo da saúde pública. “O presidente irresponsável vetou a indenização aos trabalhadores e trabalhadoras da saúde e ás suas famílias! O projeto é de minha autoria e foi aprovado na Câmara e no Senado. Com sua canetada, Bolsonaro desampara milhões de pessoas!”, protestou no Twitter.

Senado

Para o senador Weverton Rocha (MA), líder do PDT, o veto é injustificável e promete trabalhar para derrubá-lo. “Muitos profissionais de saúde estão perdendo a vida ou ficando gravemente doentes ao atuar na linha de frente do combate ao Covid-19.  É muito injusto que o presidente vete o auxílio aos que ficaram permanentemente incapacitados para o trabalho. Vamos lutar para derrubar o veto”, disse o senador.

Autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *