Atletas e ex-ministros se mobilizam contra suspensão do Bolsa Atleta

Abaixo-assinado é lançado para impedir desarticulação da política pública do setor. Governo Bolsonaro anunciou esta semana cancelamento do edital do programa este ano

melhores atletas 2014 Comitê Olímpico Brasileiro (COB) - COB

Uma manobra do governo federal, anunciada na quarta-feira (5), pode deixar atletas sem salário por um ano. A proposta anunciada pelo secretário especial do Esporte do Ministério da Cidadania, Marcelo Magalhães, é unificar os resultados esportivos de 2019 e 2020 para o edital de 2021. Na prática, a medida possibilitará que o governo deixe de investir o equivalente a um ano de programa, que já vinha sofrendo com atrasos sucessivos nos lançamentos de editais e com a falta de orçamento para cumpri-lo em sua totalidade desde o governo Michel Temer (MDB).

Atualmente, 6.357 esportistas do país recebem o Bolsa Atleta, que tem um custo anual de R$ 85,7 milhões.

Ex-ministro do Esporte, o deputado Orlando Silva (PCdoB-SP) repudiou o anúncio e afirmou que a medida do governo Bolsonaro é um crime contra o esporte brasileiro.

“É uma medida de sabotagem ao esporte e aos atletas brasileiros. A cara de Bolsonaro, esse farsante”, afirmou o parlamentar em suas redes sociais.

Foi por meio dela, que Silva anunciou uma articulação entre atletas, gestores e ex-ministros para impedir o cancelamento do programa em 2020. Um abaixo-assinado foi lançado na quarta-feira para angariar apoio e já conta assinatura de atletas como Joanna Maranhão, Diogo Silva, Vera Mossa, Ana Moser, além dos ex-ministros Orlando Silva, Ricardo Leyser, George Hilton, Aldo Rebelo. Para assinar, clique aqui.

Confira a íntegra do texto do abaixo-assinado:

Recebemos com preocupação o anúncio feito pelo governo federal sobre o cancelamento do edital do programa Bolsa Atleta no ano de 2020, um retrocesso que significará, na prática, o não pagamento de um ano de salários para atletas de alto rendimento de diversas modalidades esportivas.

O Bolsa Atleta, instituído pela lei 10.891/2004, é um dos maiores programas de patrocínio esportivo do mundo, política pública eficiente e consolidada, que se tornou referência no país e perpassa vários governos desde a sua criação, como um pilar fundamental da Política Nacional de Esporte.

O cancelamento do edital do Bolsa Atleta em 2020 mostra o descompromisso do governo com o esporte e os atletas brasileiros, além de significar um duro golpe que visa o desmonte das políticas públicas do setor.

Nós, abaixo-assinados, manifestamos nossa contrariedade e esperamos que o governo federal reveja a medida.

Fonte: Liderança do PCdoB na Câmara dos Deputados

Autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *