ADJC-SP propõe plano emergencial para advogados durante a pandemia

A proposta é desenvolver um plano emergencial a ser implementado em parceria com a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

O advogado Marcio Ortiz Meinberg (Taquaral), que está à frente da nova coordenação da ADJC-SP

A seção paulista dos Advogados e Advogadas pela Democracia, Justiça e Cidadania (ADJC-SP) propõe a criação de um plano emergencial para apoiar os advogados e advogadas afetados pela pandemia. Muitos profissionais não puderam trabalhar, perderam clientes e ficaram meses sem receber honorários em decorrência da crise. A proposta é que a ADJC nacional desenvolva um plano emergencial a ser implementado em parceria com a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

No último sábado (15), quase uma centena de advogados de diversas localidades do estado de São Paulo reuniram-se virtualmente para participar do II Encontro Estadual da ADJC-SP, que aprovou um plano de ações para os próximos oito meses e elegeu nova coordenação estadual, liderada pelo advogado Marcio Ortiz Meinberg (Taquaral), doutorando em Direito Constitucional (PUC-SP) e professor universitário.

Entretanto, a pauta mais candente do encontro foi a proposição de um plano emergencial a ser apresentado à OAB a fim de oferecer auxílio a advogados e advogadas para enfrentarem o difícil período de isolamento social provocado pela pandemia do novo coronavírus. Como o Judiciário ficou praticamente paralisado, muitos profissionais não estão recebendo honorários ou mesmo pagamentos, antes regulares, de clientes. Além disso, boa parte dos escritórios fecharam as portas e apenas os maiores, que trabalham para empresas, conseguem manter atividade suficiente para se manter neste período.

Entidade fundada em 2016 para resistir ao golpe contra a então presidenta Dilma Rousseff, a ADJC é coordenada nacionalmente pelo advogado Aldo Arantes (que foi deputado constituinte e presidente da União Nacional dos Estudantes na década de 1960) e congrega importantes nomes da advocacia no país.

Arantes esteve presente no encontro do dia 15, que teve como mote “Em defesa da Vida, da Democracia e da Constituição” e contou com exposições de relevantes juristas, como Pietro Alarcón (professor da PUC-SP), Gislaine Caresia (Conselheira Seccional da OAB-SP), Fábio Gaspar (presidente do Sindicado dos Advogados de São Paulo), Elizeu Soares Lopes (Ouvidor da Polícia de São Paulo), Magnus Farkatt (advogado da CTB), Silvia Burmeister (ex-presidente da ABRAT), Herbert Maciel (Coordenador Estadual da ADJC-PI) e Leocir Costa Rosa (Coordenador Nacional de Planejamento da ADJC).

Fonte: ADJC-SP

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.