Aprovação de Bolsonaro despenca após viagens oportunistas ao Nordeste

Queda foi de oito pontos percentuais, de 48% para 40%, em apenas 15 dias

A população nordestina reprovou as visitas oportunistas que o presidente Jair Bolsonaro fez à região, nas últimas semanas, para vistoriar ou inaugurar obras dos governos Lula e Dilma. De acordo com a nova rodada da pesquisa PoderData, a aprovação ao governo no Nordeste – que estava em alta – despencou oito pontos percentuais, de 48% para 40%. A queda ocorreu num intervalo de apenas 15 dias.

 O levantamento anterior era de 17 a 19 de agosto, enquanto o novo foi feito de 31 de agosto a 2 de setembro. Nos dois casos, a sondagem foi realizada por telefone (celulares e fixos). A rejeição ao governo de extrema-direita permanece sendo a regra entre os nordestinos – 50% desaprovam a gestão Bolsonaro. No Brasil, a situação se inverte: conforme o PoderData, o governo tem hoje 51% de aprovação e 41% de desaprovação.

Na chamada “avaliação pessoal” – que mede a popularidade não do governo, mas apenas do presidente –, a situação de Bolsonaro é mais crítica no Nordeste. Apenas 31% dos moradores da região avaliam seu trabalho individual como “ótimo” ou “bom” – sete pontos percentuais a menos do que na pesquisa anterior. Já a desaprovação regional ao presidente é de 43%.

Bolsonaro vinha ganhando popularidade no Nordeste desde que a oposição garantiu a implantação do auxílio emergencial – uma renda mínima mensal paga a trabalhadores informais e desempregados durante o estado de calamidade pública. Embora o governo tenha boicotado o auxílio – desde o valor de R$ 600 até o prazo de pagamento –, boa parte dos beneficiários atribuiu, erroneamente, o pagamento a uma suposta bondade bolsonarista.

De forma dissimulada, o presidente tentou aproveitar o cenário mais receptivo e realizou sete visitas à região de abril a agosto, segundo levantamento do site Poder360. “As 7 cidades visitadas por Bolsonaro correspondem ao mesmo número de viagens que o presidente fez à região nos 15 meses anteriores ao auxílio emergencial (de janeiro de 2019 a março de 2020)”, informa a página. Além de não “surfar na onda”, Bolsonaro teve um desgaste adicional à sua imagem.

Autor

4 comentários para "Aprovação de Bolsonaro despenca após viagens oportunistas ao Nordeste"

  1. Edson disse:

    Fico triste, por saber que o nosso povo ainda não entende de política. As pessoas, com o auxílio emergencial, acharam que a extrema-direita do Bolsonaro ficou “boazinha” e assim, passaria a ajudar os menos favorecidos. Que pena…

  2. Precisamos intensificar uma luta camaradas para desmascarar cada vez mais este facista

  3. Ana Maria Dos Santos disse:

    Nós não temos mil robôs, nem podemos pagar 2 milhões, para cada criminoso divulgar fake news, 24 horas por dia. Mas temos militância aguerrida, que tira dos parcos recursos próprios para lutar contra esse fascista-genocida e a malta de assassinos que o apoiam e mamam nas divinas tetas governamentais.

  4. O Bolsonaro é uma espécie que consegue chefiar o poder com o MEDO, vingança, ameaças. Até quando isso dar certo não sei. Quem sabe alguém têm a resposta.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.