Milícia bolsonarista ataca lançamento de livro e é repudiada

O ataque não inibiu a poeta Cida Pedrosa que respondeu com poesia e músicas de amor.

O lançamento do e-book Estesia, de Cida Pedrosa, foi atacado por bolsonaristas na noite de quinta-feira (3) no início da transmissão pelo canal da poetisa pernambucana no YouTube, que havia divulgado em suas redes sociais o link da live na plataforma Google Meet. Os invasores chegaram a desativar os microfones da anfitriã enquanto transmitiam áudios de som de disparos de metralhadora, do hino do Exército e postavam ameaças contra comunistas e frases de apoio a Jair Bolsonaro. Depois de cantar e recitar versos de amor, Cida Pedrosa encerrou a transmissão e o lançamento foi retomado.

Os agressores teriam dois os motivos para atacar Cida Pedrosa: ela é pré-candidata a vereadora pelo PCdoB e os recursos arrecadados com a venda do e-book na Amazon serão destinados a uma à União Brasileira de Mulheres (UBM), organização feminista que está promovendo uma campanha de doação de alimentos para mulheres em situação de vulnerabilidade social.

“Apesar do ataque, conseguimos realizar o lançamento do livro com sucesso. Nós acreditamos na democracia e na arte como a maior janela do livro, pensamento para construirmos um mundo melhor. O amor vencerá!”, declarou Cida Pedrosa, que também é colunista do Portal Vermelho.

O livro Estesia inclui 40 haicais clássicos (gênero poético japonês composto de três versos) e 40 fotografias feitas pela própria poeta em suas andanças no bairro onde mora, em Recife, durante a pandemia. De acordo com Cida, que tem outros nove livros lançados, os poemas foram inspirados na contemplação da natureza e da cidade, com toques de humor. Mas não foi por isso que a milícia digital de extrema-direita escolheu esse evento digital para o ataque.

Trump e bolsonaristas

Por conta do conteúdo anticomunista do ataque, a presidente nacional do PCdoB e vice-governadora de Pernambuco, Luciana Santos, acabou participando do encerramento do lançamento falando da importância da literatura e da poesia para vencer o fascismo. “Não é por acaso que o lançamento de um livro de poesia tenha sido atacado”, afirmou. No final, Cida Pedrosa comentou que “precisamos estar atentos e fortes para responder aos ataques fascistas com amor, politização e com a certeza que eles passarão e nós, passarinhos”.

A PCdoB do Recife divulgou nota Recife em que reitera seu apoio irrestrito à  Cida Pedrosa e reafirma o “compromisso com a resistência ao fascismo, em defesa do fortalecimento da democracia e da liberdade de expressão, enfrentando a barbárie, o obscurantismo e negacionismo, marcas que o governo federal busca institucionalizar”. Os comunistas recifenses afirmam ainda que “o bolsonarismo não tolera a democracia, a liberdade, os direitos humanos e a poesia” e que “seus representantes são incapazes de conviver com o diferente, com a luta pelas causas justas”.

Após o ataque, o jornalista Aquiles Lopes, com experiência em consultoria de comunicação para campanhas eleitorais, lembrou que essa estratégia não nasceu aqui, pois “nesse momento, já está sendo muito usada por Donald Trump nos Estados Unidos. Nos eventos online e debates dos antirracistas do movimento Black Lives Matter, acontecem ataques sistemáticos para irritar, criar confusão e provocar as pessoas de esquerda para, depois, chamá-las de intolerantes”.

Para Aquiles, “esses ataques são planejados e sistemáticos. É uma tática do bolsonarismo para essas eleições. Vão usar em todos os ambientes e é preciso torná-los públicos para que as pessoas possam entender isso”.

Nota Oficial do PCdoB-Recife sobre o ataque bolsonarista contra Cida Pedrosa

O Bolsonarismo não tolera a democracia, a liberdade, os direitos humanos e a poesia. Seguidores da cartilha do fascismo, seus representantes são incapazes de conviver com o diferente, com a luta pelas causas justas.

Cida Pedrosa, poeta e pré-candidata a vereadora do Recife pelo PCdoB, presenciou um exemplo disso, nesta quinta-feira (03), durante a live de lançamento do seu décimo livro “Estesia”. A obra traz um conjunto de 40 haikais e fotos autorais produzidos durante o isolamento social e sua renda será totalmente revertida à União Brasileira de Mulheres (UBM), a fim de possibilitar auxílio a mulheres em situação de vulnerabilidade social.

Cida teve o ato virtual invadido por hackers fascistas apoiadores do governo Bolsonaro, com o objetivo de inviabilizar a realização da atividade, numa evidente tentativa orquestrada de cerceamento das liberdades democráticas, ataque à cultura e ameaças aos movimentos sociais, sobretudo feministas.

Palavrões, intervenções audiovisuais violentas como sons de metralhadoras e outras agressões mais uma vez deram a tônica do ataque, promovendo a intolerância e cultura de ódio. Ainda assim, não conseguiram êxito. Após o ocorrido, a atividade foi transmitida através do youtube, onde continua disponível.

O Comitê Municipal do Partido Comunista do Brasil no Recife reitera seu apoio irrestrito à nossa camarada, ao mesmo tempo em que reafirmamos nosso compromisso com a resistência ao fascismo, em defesa do fortalecimento da democracia e da liberdade de expressão, enfrentando a barbárie, o obscurantismo e negacionismo, marcas que o governo federal busca institucionalizar. Mas, como disse Cida Pedrosa, que bravamente resistiu aos ataques com leveza e altivez, parafraseando o escritor Mário Quintana: “eles passarão, nós passarinho”.

George Braga

Presidente do PCdoB-Recife

Com informações do Marco Zero e do PCdoB-Recife

Autor

Um comentario para "Milícia bolsonarista ataca lançamento de livro e é repudiada"

  1. yared disse:

    o bolsonarismo é uma pandemia letal, que cega e destrói os neurônios. é muito pior que o covid-19 e precisa ser eliminado com as vacinas da informação, conhecimento,cultura e educação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *