Maia defende reforma também para Judiciário, MP e Forças Armadas

A reforma proposta pela equipe econômica do governo poupou magistrados, promotores e militares. Mas afetará servidores de outros poderes.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia - Foto: Najara Araújo/Agência Câmara

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodriga Maia (DEM-RJ), é um defensor da reforma administrativa. Mas acredita que o Judiciário, o Ministério Público e as Forças Armadas, que ficaram de fora do projeto enviado pelo governo ao Congresso, deveriam dar sua contribuição.

Maia falou sobre o assunto em live organizada pelo Instituto Brasiliense de Direito Público (IDP) nesta quarta-feira (9). “Seria muito importante que a gente pudesse fazer uma reforma de todo o serviço público. Também do Judiciário, também do Ministério Público, também das Forças Armadas. Mas é importante que esses poderes venham para o debate”, afirmou.

Ele disse ainda que, embora o Congresso tenha a prerrogativa de propor e aprovar mudanças na estrutura de outros poderes, “nada vai avançar no Parlamento sem diálogo”.

A reforma proposta pela equipe econômica do governo poupou magistrados, promotores e militares, dando a justificativa de que não pode definir carreiras de membros de outros poderes.

No entanto, embora poupe as carreiras do topo, a proposta do governo atinge servidores de outros poderes. Valerá para o Executivo, Legislativo e Judiciário da União, estados e municípios.

Na Câmara dos Deputados, Maia apresentou uma reforma para os servidores que também poupa os parlamentares.

Autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *