Militares protestam em evento com presidente: “Bolsonaro traidor”

Eram cerca de 30 pessoas, entre pensionistas, reservistas e reformados das Forças Armadas. O grupo ostentava faixas e cartazes contra a legislação que mudou a Previdência dos militares.

Grupo de militares protesta contra Bolsonaro - Foto: Reprodução

Enquanto Jair Bolsonaro participava de cerimônia de formatura do Curso Especial de Habilitação para Promoção a Sargento, no Rio de Janeiro, no Centro de Instrução Almirante Alexandrino (CIAA), um grupo de militares da reserva do lado de fora do evento chamava-o de “traidor”. O evento aconteceu na manhã desta quinta-feira (10).

Eram cerca de 30 pessoas, entre pensionistas, reservistas e reformados das Forças Armadas. O grupo ostentava faixas e cartazes contra a legislação que mudou a Previdência dos militares e gritava “Bolsonaro traidor, abandonou quem sempre te apoiou” (veja vídeo abaixo).

Segundo os manifestantes, a mudança na Previdência das Forças Armadas beneficiou somente as altas patentes. Enquanto o salário dos generais subiu, o das bases sofreu redução, com elevação da alíquota previdenciária descontada.

Em vigência desde 2019, a reforma da Previdência para os militares foi enviada ao Congresso Nacional em proposta separada da reforma desenhada para os trabalhadores do regime geral e para os servidores públicos civis. Próximas a Bolsonaro, as Forças Armadas foram poupadas da dureza que atingiu essas categorias e algumas patentes chegaram a ser contempladas com reajuste salarial.

No evento de hoje, Bolsonaro dividiu o palanque com o governador em exercício do Rio de Janeiro, Cláudio Castro (PSC) e com o prefeito, Marcelo Crivella. Mais cedo, Crivella havia sido alvo de uma operação do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) e da Polícia Civil. Ainda nesta manhã, agentes apreenderam um telefone celular do prefeito.

O presidente não usou máscara e discursou louvando as Forças Armadas, às quais se referiu como “guardiãs da democracia”. Bolsonaro reiteradamente estimulou e participou de atos antidemocráticos este ano, um deles em frente ao Quartel-General do Exército, em Brasília.

Autor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.