Renato Rabelo: O desafio da ampliação do impacto de Princípios

Presidente da Fundação Maurício Grabois diz que a revista assume o desafio teórico político de maiores horizontes e instrumentos modernos de comunicação. O esforço é estar mais sintonizada com o tempo histórico e estar a altura da missão revolucionária do alcance de uma nova sociedade socialista.

A edição 159 da revista Princípios chega às mãos dos leitores com uma nova proposta editorial. Com quase quatro décadas de existência, a revista renova seu formato, perfil e conselho editorial para se inserir no debate nacional qualificada para os desafios da nova ordem política e econômica.

Foi com este tom que a nova edição foi lançada neste início de setembro (3), com apresentação dos envolvidos na empreitada, sob a mediação da socióloga Ana Prestes, também editora-executiva da revista. 

Renato Rabelo destacou o contexto de surgimento da revista em 1981, “num período marcado pelo começo do fim do regime militar, no contexto da irradiação ampla da luta pela liberdade no pós-ditadura”. Ressaltou a importância do comando de João Amazonas naquele momento de reestruturação das forças políticas e do partido dos comunistas. “Era um momento delicado em que destacados quadros e dirigentes foram assassinados pela ditadura militar”.

Ele homenageou o comando da revista neste período, desde João Amazonas, passando por José Reinaldo de Carvalho, Rogério Lustosa, Olival Freire Jr, Pedro de Oliveira, José Carlos Ruy e Adalberto Monteiro, até 2018. Citou o “rol precioso” de intelectuais, pesquisadores, cientistas, jornalistas, artistas, lideranças políticas e sociais agregados voluntariamente pela revista.

Hoje, diz ele, acumula-se quase dez mil páginas de um rico acervo de formulação teórica marxista e progressista e muitos artigos com diagnósticos, tendências e caminhos a seguir.

Ele citou a base do conteúdo da revista nesse período. No início foi dado destaque a questões de princípios, da base teórica, e da identidade no novo contexto de redemocratização. Ele sublinhou o debate de João Amazonas sobre a crise teórica do socialismo e o caminho soviético, assim como as questões relativas à história do Brasil, suas potencialidades e impasses. A revista ainda teve papel importante no debate sobre a Constituinte de 1988, assim como no debate sobre o novo projeto de desenvolvimento para o Brasil e o enfrentamento dos rumos nefastos que o país tomava sob o neoliberalismo.

“Agora, partindo dessa significativa herança, e seguindo esse justo lema de renovação, no início desse século em que vivemos tempo de aporia, impasses e entroncamentos, o desafio teórico político se torna exigente de maiores horizontes e instrumentos modernos de comunicação”, defendeu Renato. Segundo o dirigente, a Fundação Maurício Grabois vem desenvolvendo esforços em dois planos, estar mais sintonizada com o tempo histórico e estar a altura da missão revolucionária do alcance de uma nova sociedade socialista. 

Renato mostrou que a revista vinha cumprindo um papel híbrido de revista de fôlego com jornal conjuntural, conforme o jornal A Classe Operária deixou de circular. Ele observa que a imprensa digital, hoje, é um espaço enorme para o debate conjuntural, em tempo real, que torna uma revista quadrimestral inadequada para isso.

Assim, a revista muda de projeto visual, passa a ser imprensa em formato livro, com periodicidade quadrimestral e passa a abordar temas de fundo, ensaios, estudos e pesquisas, tornando-se um periódico científico. A revista que já estava qualificada no novo Qualis na Capes como A4, fará adequações para estar presente em base de dados nacionais e internacionais de periódicos teóricos, possibilitando a ampliação de impacto da revista.

“Portanto, são novas tarefas, novos desafios, que nos colocam numa posição mais avantajada na determinante frente da luta de ideias. Bravo! Viva!”, saudou ele.

Para acessar a versão online da Revista, acesse o link aqui 

Para solicitar a versão impressa, acesse aqui 

Leia aqui o editorial da nova edição

Assista ao lançamento da revista abaixo:

Autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *