Por unanimidade, TRE-RJ torna Crivella inelegível até 2026

Decisão está relacionada a episódio de abuso de poder político do aliado de Jair Bolsonaro. Ainda cabe recurso ao TSE.

Jair Bolsonaro e Marcelo Crivella - Foto: Marcos Corrêa/Presidência da República

O Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ) confirmou por unanimidade nesta quinta-feira (24) a decisão de tornar inelegível o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (Republicanos). Crivella, candidato à reeleição e aliado de Jair Bolsonaro, não poderá disputar eleições até 2026. A defesa do prefeito pretende recorrer no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

A decisão do TRE do Rio tem relação com um episódio ocorrido durante a campanha de 2018, quando o filho de Crivella, Marcelo Hodge Crivella, era candidato a deputado federal pelo PRB (hoje Republicanos, partido também de um dos filhos do presidente, o senador Flávio Bolsonaro).

Na época, foram usados veículos da Comlurb, empresa pública de limpeza urbana do município, para transportar funcionários para um evento na quadra da Estácio de Sá onde Crivella pediu votos para o filho, o que, no entendimento da Corte, configura abuso de poder político.

Hodge também foi declarado inelegível nesta quinta, assim como o então candidato a deputado estadual pelo Republicanos Alessandro da Costa. Crivella, o filho e Alessandro também terão de pagar multa de R$ 106,4 mil cada.

Além da apresentação de recurso, a defesa de Crivella estuda a possibilidade de pedir a anulação do julgamento do TRE-RJ, segundo nota divulgada pela assessoria do prefeito. Crivella alega que um dos integrantes do TRE, Gustavo Alves Teixeira, deveria ter se declarado impedido para votar o caso. O motivo é Teixeira trabalha para escritório que presta consultoria para a Lamsa, concessionária que explora a Linha Amarela. Crivella trava uma batalha jurídica contra a empresa.

O acórdão com a decisão será publicado somente nos próximos dias. Até lá, Crivella pode seguir com a campanha pela reeleição. O prefeito também poderá continuar em campanha após recorrer, enquanto aguarda a decisão do TSE. No entanto, a decisão do TRE do Rio abre espaço para que os concorrentes de Crivella no pleito peçam a impugnação de sua candidatura.

Com informações de O Globo e UOL

Autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *