Justiça Eleitoral pode tirar Record do ar por propaganda pró-Crivella

Segundo juiz, apresentadores da emissora devem se abster de fazer referência ao número 10

Por fazer campanha dissimulada e ilegal pela reeleição do prefeito do Rio de Janeiro, a TV Record pode ser punida e até sair do ar. Dois dias depois de uma decisão da Justiça Eleitoral ter proibido os apresentadores da emissora de se referirem ao número 10 (justamente o de Crivella) durante a programação, numa óbvia propaganda subliminar, o canal de Edir Macedo foi condenado em outra ação de teor semelhante.

O juiz eleitoral Flavio Quaresma decidiu que a Record altere o número de WhatsApp que usa para o contato com telespectador. Caso contrário, será multada em R$ 200 mil. O número tem o final 1010 e foi lançado recentemente com uma campanha em que alguns integrantes do elenco da emissora dizem: “Não esqueçam: dez, dez”.

Quaresma escreve também em sua sentença que os apresentadores da emissora se abstenham de fazer referência ao número 10, “sob pena de retirar a emissora do ar”. Conforme a sentença, “os documentos demonstram que a ré vem efetuando o uso do número 10 na sua programação de forma a prejudicar o equilíbrio entre os concorrentes ao cargo de Prefeito da Cidade do Rio de Janeiro”.

Com informações do O Globo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *