PCdoB diz que união com PSOL trará gestão inovadora na prefeitura de Belém

Candidato a prefeito, o deputado federal Edmilson Rodrigues diz que os partidos irão governar juntos e o desafio será implantar projetos inovadores na capital paraense

Edmilson Rodrigues em campanha no bairro da Pratinha (Foto: Macio Ferreira)

Nas eleições municipais deste ano o PCdoB reforça a aliança política com o PSOL num apoio à candidatura de Edmilson Rodrigues, que concorre por este último partido à prefeitura de Belém. Edmilson já foi prefeito da capital paraense por dois mandatos seguidos (1997 a 2004), sendo essa a segunda disputa que os partidos estabelecem uma cooperação na corrida eleitoral.

O foco dessa parceria é encarar que Belém vive um cenário que demanda a urgência de outro olhar sobre a cidade e colocar com prioridade de projetos que viabilizem o desenvolvimento social da cidade e região. O candidato Edmilson destaca o compromisso dos gestores para a implementação dessas políticas: “Nós iremos governar juntos e o nosso desafio é o futuro, é a inovação com programas e projetos que irão reconstruir as coisas boas que foram destruídas, e construir a melhoria da nossa cidade”.

Não é de hoje que o PCdoB e o PSOL têm pautas políticas em comum. Segundo o presidente do PCdoB em Belém, Michel Sodré, essa parceria se deu de forma natural: Ambos os partidos trabalham no mesmo espectro político, com as mesmas vertentes, e isso já nos traz muito mais pontos em comum ideologicamente do que pontos que nos separam. Esse é um aspecto importante nesse apoio”, explica.

A aliança política entre os partidos promete viabilizar uma gestão inovadora, que saia da linha de resgate de um candidato que já foi gestor, mas que apresente novas ideias dentro de uma conjuntura que apresenta novas demandas sociais além dos problemas estruturais que Belém enfrenta. A ideia é olhar para os novos desafios e construir diálogos que possibilitem a construção de uma Belém mais saudável, feliz e justa.


Assistência Social

O fato é que Belém tem gargalos históricos de precariedade principalmente nas periferias. Como pontua Michel, é urgente que se olhe para a saúde pública. “A pandemia não veio para colocar questões sanitárias em fragilidade, e sim expor o nosso sistema de saúde já colapsado e a imensa vulnerabilidade social que vitima milhares de belenenses que vivem completamente abandonados em nossas periferias, invisíveis aos olhos do Estado.”, completa.

Mas não é possível tratar de saúde sem olhar também para o saneamento básico e moradia de qualidade, problemas que estão diretamente ligados à saúde pública. E é com esses pilares da assistência social que o programa de governo irá trabalhar: implementar políticas públicas que proponham qualidade de moradia, emprego e renda e saúde pública a todos, principalmente aos que mais precisam.

Acesso a espaços públicos

A valorização de espaços públicos também integra o programa de governo de Edmilson, que visa promover o cuidado adequado com praças de Belém, áreas que garantem ao cidadão o acesso à prática esportes ou simplesmente a ocupação desses espaços públicos. “Essa é uma necessidade que implica que as pessoas se sintam agregadas à cidade como um todo, e não abastadas dos centros”, aponta Michel, que explica que a ideia é que a gestão municipal seja fundamental da implementação  de um novo olhar sobre a cidade não só pelo poder público, mas também pelo cidadão de reconhecer que Belém é um lugar feliz e seguro para viver.

Além dessas pautas, o programa busca agregar políticas públicas essenciais para o desenvolvimento social de Belém, como o Renda Mínima, que acaba por fortalecer projetos federais como o Bolsa Família e garantem autonomia financeira o estado. Outro foco da candidatura é também dar assistência a mulheres que precisam se reinserir no mercado de trabalho, através da criação de creches públicas que atendam a demanda principalmente de periferias. Todas essas propostas são desenhadas para um cenário onde o estado seja a principal garantia dos direitos básicos dos cidadãos, que atualmente são deixados de lado pelo liberalismo. A hora é de unir as forças em comum para não repetir erros do passado e implementar projetos que coloquem Belém em uma jornada exponencial de crescimento.

Fonte: Assessoria de Comunicação do PCdoB em Belém

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.