Manuela D’Ávila destaca protagonismo das mulheres

Manu participou de debate nesta terça-feira

A candidata do PCdoB à Prefeitura de Porto Alegre, Manuela d’Ávila, participou de debate promovido pela rádio Guaíba e pelo jornal Correio do Povo nesta terça-feira (27). “Nós, mulheres, somos protagonistas da construção de Porto Alegre”, destacou Manuela.

Ela lembrou que “quando vamos às nossas comunidades, vemos as mulheres lutando por saúde, atendendo nas unidades básicas de saúde, organizando as nossas creches conveniadas e lutando para conseguirem vagas para seus filhos e filhas”.

“Nós, as mulheres, existimos e nós queremos participar e ser protagonistas da construção de alternativas para as nossas vidas. Porque nós sabemos: quando falta vaga na creche, quando falta vaga na escola infantil, quando não tem contraturno escolar, nós é que somos demitidas, que ficamos em casa e não conseguimos trabalho para cuidar das nossas crianças e vivermos as nossas vidas”.

Ao recordar do discurso rotineiro do atual prefeito, Nelson Marchezan Jr., de rombo nas contas públicas, Manuela argumentou: “O déficit que Porto Alegre vive é o déficit social. São os nossos postos de saúde fechados, são nossas crianças sem vagas em creches. Ele ousou dizer que todas as crianças têm vagas em creches e escolas de educação infantil em Porto Alegre. Ora, é preciso não enxergar a realidade de 8 mil crianças que estão fora das escolas de educação infantil para fazer essa afirmação”.

Ainda sobre educação, Manuela colocou: “Eu realmente acredito que Porto Alegre precisa rediscutir o processo educacional. Começando pela gestão democrática. É preciso que a prefeitura dialogue com professoras, professores, trabalhadores da educação, mães e pais para juntos, em primeiríssimo lugar, recuperarmos este ano, um ano basicamente perdido”.

Manuela também abordou o alto custo da passagem de ônibus, a mais cara entre as capitais, queixa recorrente da população. Ela defendeu a retomada da gestão da Câmara de Compensação Tarifária pela Prefeitura, a formação de um Fundo de Mobilidade Urbana, com parte dos recursos do IPVA, das multas e estacionamentos da cidade e também, com “parte dos recursos de um aplicativo que nós queremos criar para garantir que os motoristas de aplicativo possam pagar menos e contribuir para a mobilidade da nossa cidade”.

A candidata defendeu, ainda, que Porto Alegre “precisa buscar investimentos de financiamento nacional e internacional e também ser mais ativa na buscar por recursos orçamentários do estado e da União. Nós precisamos lutar pelas mulheres e homens que vivem em Porto Alegre”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *