Prêmio Camões é entregue a português Vítor Aguiar e Silva

Professor, teórico e escritor Vítor Aguiar e Silva sucede Chico Buarque e é o vencedor deste ano do principal prêmio da literatura em língua portuguesa

Vítor Manuel de Aguiar e Silva, camoniano, professor e ensaísta é o Prêmio Camões 2020

O vencedor do Prêmio Camões 2020 anunciado nesta terça-feira (27) é o professor, teórico e escritor português Vítor Aguiar e Silva. Pesquisador da literatura portuguesa dos séculos 16 e 17, assim como da obra de Luís de Camões, o autor é signatário da Petição em Defesa da Língua Portuguesa Contra o Acordo Ortográfico, que reuniu mais de cem mil assinaturas na época do lançamento. 

Além dos estudos em obras do passado, o escritor de 81 anos é especialista em metodologias literárias. A escolha por Vítor Aguiar e Silva é baseada principalmente nos trabalho teóricos e na atuação política, de acordo com a ata do Prêmio Camões.  “A atribuição do Prêmio Camões a Vítor Aguiar e Silva reconhece a importância transversal da sua obra ensaística, e o seu papel ativo relativamente às questões da política da língua portuguesa e ao cânone das literaturas de língua portuguesa.”

Vítor Manuel de Aguiar e Silva terminou os estudos de licenciatura na Universidade de Coimbra, onde também obteve o doutoramento em Língua Portuguesa, em 1971. Esteve no quadro de professores da instituição até 1989, quando pediu transferência para a Universidade do Minho. A partir de então, desempenhou a função de professor e vice-reitor entre 1990 e 2002. O homenageado é também um dos fundadores do Instituto Camões, entidade portuguesa que trabalha pela difusão do idioma e da cultura em outros países.

Entre os textos publicados por Vítor Aguiar e Silva, destacam-se: Teoria da Literatura (1967), A Estrutura do Romance (1974), Teoria e Metodologia Literárias (1990), Camões: Labirintos e Fascínios (1994) e a coordenação geral do Dicionário de Luís de Camões, lançado em Portugal em 2011. 

O Prêmio Camões foi criado em 1988 e é considerado o principal prêmio literário da língua portuguesa no mundo. O ganhador recebe premiação de 100 mil euros, valor depositado pelos governos do Brasil e de Portugal. No total, foram 13 autores portugueses agraciados com o prêmio, o mesmo números de vencedores brasileiros. Seis escritores africanos foram escolhidos ao longo dos anos – dois angolanos, dois moçambicanos e dois cabo-verdianos. O antecessor de Vítor Aguiar e Silva em 2019 foi o compositor e escritor brasileiro Chico Buarque, que na época agradeceu em vídeo após o presidente Bolsonaro se recusar a assinar o diploma. 

Além de Chico Buarque, os brasileiros ganhadores do Camões são: João Cabral de Melo Neto (1990), Rachel de Queiroz (1993), Jorge Amado (1994), Antonio Candido (1998), Autran Dourado (2000), Rubem Fonseca (2003), Lygia Fagundes Telles (2005), João Ubaldo Ribeiro (2008), Ferreira Gullar (2010), Dalton Trevisan (2012), Alberto da Costa e Silva (2014) e Raduan Nassar (2016).

Com informações do Estadão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *