Fake news: deputado compara reação da imprensa do Brasil e dos EUA

De acordo com dados do site Aos Fatos, até 5 de novembro, Bolsonaro havia dado 1.825 declarações falsas ou distorcidas sobre os mais variados temas.

A interrupção do discurso do presidente americano Donald Trump pelas três maiores emissoras dos Estados Unidos provocou reações também no Brasil. Nesta sexta-feira (6), o vice-líder do PCdoB, deputado federal Márcio Jerry (MA), usou a “saia justa” envolvendo o republicano para questionar o comportamento da mídia brasileira diante da propagação das fake news feitas por Jair Bolsonaro (sem partido).

“Imagina a imprensa brasileira interrompendo fala do Bolsonaro toda vez que ele mentir. Ele sumiria… Nos EUA, o poder democrático da comunicação foi exercido em defesa da Nação contra um presidente mentiroso e irresponsável”, opinou o parlamentar.

Na noite desta quinta-feira (5), após Trump fazer uma série de alegações de fraudes eleitorais sem apresentar nenhuma evidência, as três maiores emissoras do país – ABC, CBS e NBC – suspenderam a transmissão do mandatário.

Falando na Casa Branca, Trump reclamou que observadores republicanos não foram autorizados a acompanhar a apuração de perto e disse que um grande trabalho jurídico está em andamento para questionar a contagem em vários estados. O presidente, no entanto, não apresentou nenhuma prova, indício ou testemunho que embasassem suas alegações.

No Brasil, de acordo com dados do site Aos Fatos, até ontem, 5 de novembro, Bolsonaro havia dado 1.825 declarações falsas ou distorcidas sobre os mais variados temas. A base do portal avalia todas as declarações do presidente brasileiro desde a posse, a partir de checagens semanais, que podem ser filtradas por assunto, da economia até a pandemia do coronavírus.

Autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *