Queiroz paga cabos eleitorais de Flávio Bolsonaro por meio de caixa 2

O dinheiro não declarado foi pago pelo ex-assessor do senador e saiu da mesma conta usada por ele para receber recursos do esquema de rachadinha

Larissa Dantas, Jack Souza, Gaby Damasceno e Queiroz (Foto: Reprodução do Instagram)

Reportagem do UOL nesta segunda-feira (9) revela que o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos), o filho 01 de Bolsonaro, pode ter conquistado o seu mandato com ajuda de pagamento de cabos eleitorais com recursos de caixa 2. O dinheiro não declarado foi pago por Fabrício Queiroz e saiu da mesma conta usada por ele para receber recursos do esquema de rachadinha.

Queiroz, ex-assessor do então deputado estadual Flávio Bolsonaro, é acusado de ser operado do esquema pelo qual o parlamentar é acusado de se apropriar de parte dos salários de seus funcionários.

Segundo o UOL, foram 15 transferências bancárias da conta de Queiroz para essas pessoas, no total de R$ 12 mil, entre 3 de setembro e 8 de outubro de 2018, período de campanha eleitoral até o dia seguinte ao primeiro turno.

Os pagamentos foram feitos para Edianne de Abreu, Gaby Damasceno e Larissa Dantas, somando R$ 10.260. As três fizeram parte de um quarteto feminino de cabos eleitorais. Jack Souza era a quarta integrante do grupo. Em um dos depósitos para Gaby, Queiroz fez a anotação “Jack”. O UOL confirmou que as contas bancárias em que o dinheiro caiu pertencem, de fato, às três mulheres.

“Nenhum dos pagamentos foi declarado à Justiça Eleitoral — nem entre as receitas, na forma de doação de Queiroz para a campanha, nem entre os gastos — o que configura caixa 2, de acordo com a legislação eleitoral e especialistas ouvidos pelo UOL. Ainda no período eleitoral, Queiroz sacou R$ 63,8 mil em dinheiro — sendo 11 saques de R$ 5 mil cada e outros de menor valor. Não há evidências de como o valor foi utilizado”, diz um trecho da reportagem.

A reportagem confirmou com exclusividade que essas pessoas trabalharam para a campanha de Flávio Bolsonaro, por meio de entrevistas gravadas, textos e vídeos publicados em redes sociais.

Somente em setembro e outubro, período relativo à campanha eleitoral de Flávio Bolsonaro em 2018, Queiroz recebeu ao menos R$ 49 mil de cinco assessores, segundo dados do MP. Queiroz recebeu ao menos R$ 49 mil de cinco assessores, segundo dados do MP-RJ. Na época, o filho do presidente estava filiado ao PSL. Hoje, o senador é filiado ao partido Republicanos. A campanha de Flávio ao Senado recebeu, oficialmente, R$ 712 mil e contratou R$ 491 mil em despesas.

Com informações do UOL

Autor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.