Líder do PCdoB cobra plano para enfrentar possível 2ª onda da Covid-19

A deputada Perpétua Almeida solicitou informações ao Ministério da Saúde sobre o planejamento do governo para enfrentar um novo aumento de casos da doença

A líder do PCdoB na Câmara, Perpétua Almeida - Foto: Maryanna Oliveira/Câmara dos Deputados

A rápida elevação nos registros de casos graves de Covid-19 nas últimas semanas, com risco de uma segunda onda de contaminação pelo coronavírus em várias capitais do País, fez soar o alerta sobre a necessidade de se tomarem medidas urgentes para reforçar o enfrentamento à pandemia.

Os sinais de que a ameaça de um repique da doença deve ser levada a sério estão relacionados ao aumento dos atendimentos de quadros respiratórios febris agudos e o crescimento rápido de novos casos, que já estão sobrecarregando hospitais públicos e privados, além da piora do índice de transmissão da doença. 

A líder da Bancada na Câmara, Perpétua Almeida (AC), alerta para o risco da segunda onda de casos, sem que o País sequer ter saído da primeira. “Precisamos adotar medidas urgentes com o objetivo de minimizar mortes, contaminados e sequelas, e superar esta segunda fase da doença com rapidez”, advertiu a deputada. 

Com o objetivo de evitar uma nova onda de contaminação e mais óbitos, a parlamentar encaminhou ao ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, Requerimento de Informação com base no artigo 50, § 2º, da Constituição Federal e nos artigos 115 e 116 do Regimento Interno da Câmara dos Deputados, para que a Pasta forneça informações sobre que medidas estão sendo adotadas para enfrentar a situação.

Requerimento

Diante da evidente possibilidade de chegada da segunda onda, Perpétua faz os seguintes questionamentos ao Ministério da Saúde: 

-Existe previsão de estratégia de testagem em massa, já que se demonstrou bastante eficaz nos países asiáticos, no isolamento de casos e contenção da contaminação?

-Existe planejamento de uma campanha de informação para reforçar as medidas de prevenção, uso de máscaras, álcool em gel, e isolamento social?

-Existe planejamento para garantir leitos equipados, medicamentos e profissionais para enfrentar a segunda onda?

-Existe planejamento para a produção e distribuição das eventuais vacinas em testes avançados no Brasil?

A deputada observa ainda que relatório divulgado nesta semana pelo Imperial College de Londres aponta que os números da Covid-19 voltaram a crescer no Brasil. Segundo o levantamento, o índice que mede o ritmo de contágio passou de 0,68 para 1,10, significando que um grupo de cem pessoas contaminadas contagia um grupo maior, de 110 pessoas.

Fonte: Liderança do PCdoB na Câmara dos Deputados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *