São Luís: Pesquisa Exata dá empate técnico entre Duarte Jr e Braide

Com apoio do governador Flávio Dino, Duarte Jr cresceu nas pesquisa e alcançou 42% da intenção de voto contra 47% de Braide, o candidato bolsonarista

Duarte Jr tem o apio do governador Flávio Dino neste segundo turno (Foto: Divulgação)

O candidato à Prefeitura de São Luís (MA), Duarte Jr, apoiado no segundo turno na capital pelo PCdoB, tem 42% das intenções de voto, conforme levantamento divulgado nesta quarta-feira (25), a quatro dias das eleições, pelo Instituto Exata. Eduardo Braide (Podemos) aparece com 47% das intenções de voto. Como a margem de erro da pesquisa é de 3,11 pontos percentuais, os candidatos estão em situação de empate técnico.

O Instituto Exata ouviu 808 pessoas da capital maranhense nos dias 17 e 18 de novembro de 2020. Brancos, nulos e somaram 7% e 4% não sabem ou não responderam. Quando considerados apenas os votos válidos, excluindo os brancos, nulos e indecisos, Braide tem 53% contra 47% de Duarte.

Os dois candidato iriam realizar um debates importante nesta etapa da campanha a fim de esclarecer o eleitorado, mas Braide fugiu do confronto. Segundo o deputado Márcio Jerry (PCdoB-MA), o candidato bolsonarista  inaugurou uma nova categoria na lista de desculpas para fugir aos debates.

“Braide inaugurou a categoria de ‘infecção presumida’ para fugir do debate com o Duarte.  Braide sabe que nos debates o eleitorado vê claramente o quanto ele não está pronto e o quanto Duarte sabe resolver. Com o teste negativo para Covid, Braide não terá mais desculpa para fugir”, escreveu Jerry, em uma rede social.

Esta não é a primeira vez que o candidato aliado de Roberto Rocha (PSDB) e Jair Bolsonaro (sem partido) se ausenta de debates. Ele adotou a mesma tática após o jornal Folha de S. Paulo revelar no início de novembro um documento sigiloso que o classificava ‘investigado’ em um caso de corrupção. No dossiê publicado pelo jornal, constava ainda uma certidão assinada pelo próprio Braide designando um advogado para defendê-lo no caso.

A primeira reportagem da Folha –“Documento do Ministério Público classifica candidato em São Luís como investigado” – foi publicada no dia 7 de novembro, às 23h15. Dois dias depois, numa ação sem precedentes, Braide conseguiu, via juíza Cristiana de Sousa Ferraz Leite, da 76ª Zona Eleitoral do Maranhão, censurar a publicação. No mesmo dia ele faltou pela primeira vez de um debate entre os candidatos.

No dia 12 de novembro, a Folha rebateu a decisão da juíza e publicou uma certidão emitida pelo Ministério Público Federal (MPF) confirmando que Braide é alvo de uma investigação. Como consequência, a justiça acabou revogando a decisão que havia censurado reportagem do jornal. Porém, mesmo com os documentos publicados por um dos principais jornais do Brasil, Braide insiste em dizer em suas redes sociais que não é investigado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.