Confiança no SUS tem aumento recorde, aponta Pesquisa do Ibope

Pesquisa do Ibope publicada pela Revista Piauí aponta crescimento recorde na confiança da população no SUS. Presidência da República e Governo Federal são as únicas instituições públicas com redução no índice de confiança

(Foto: Reprodução)

Apesar da ameaça de privatização e verbas orçamentárias não executadas pelo governo de Jair Bolsonaro, o sistema público de saúde é a instituição que mais se fortaleceu frente à opinião pública durante a pandemia de Covid-19. A pesquisa do Ibope divulgada pela Revista Piauí nesta quinta-feira (26) aponta que o SUS cresceu 11 pontos no Índice de Confiança Social (ICS) entre julho de 2019 e setembro de 2020.

A pesquisa com abrangência nacional mede o prestígio de 20 instituições desde 2009. O patamar de 56 pontos alcançado neste ano pelo Sistema Único de Saúde é o maior da série histórica. A CEO do Ibope Inteligência, Márcia Cavallari, analisou o resultado. “Com a pandemia, cresce a confiança no sistema público de saúde por experiência, uma vez que mais brasileiros tiveram contato com a sua estrutura e com o seu atendimento.”

A confiança do brasileiro nas 20 instituições públicas consideradas pela pesquisa aumentou, na média, 3 pontos. Comparativamente, o SUS foi a instituição mais valorizada no período. Em números absolutos, o Corpo de Bombeiros com 89 pontos é que tem mais prestígio com o brasileiro. As únicas instituições que apresentaram redução da confiança entre 2019 e 2020 foram a Presidência da República e o Governo Federal, respectivamente 2 pontos e 1 ponto.

A retomada do crescimento na segurança em entidades públicas foi registrada na pesquisa anterior, que comparou os índices de 2018 com os de 2019. Nesse período, após a saída de Michel Temer e eleição de Jair Bolsonaro, a confiança geral aumentou em 10 pontos. A Presidência da República saiu do patamar mais baixo da medição e cresceu 35 pontos, totalizando 48 pontos. 

No balanço deste segundo período do governo, o recuo solitário na imagem da gestão federal é sintomático. Todas as outras instituições atacadas por Jair Bolsonaro conseguiram elevar a popularidade – Poder Judiciário, Congresso Nacional, ONGs, governos locais. 

Os atritos recentes com a Polícia Federal, que coordena a Operação Lava Jato, e com o Ministério Público, que investiga seu filho Flávio Bolsonaro por peculato, também não afetaram negativamente as instituições na visão da opinião pública. A Polícia Federal cresceu 2 pontos e é a segunda no ranking de confiança. O Ministério Público, por sua vez, aumentou em 3 pontos no último ano e 8 pontos desde 2016. 

Os partidos políticos são os piores avaliados, mas, ainda assim, a confiança da população aumentou no período. Após crescer 3 pontos, eles voltam ao primeiro índice de 30 pontos, verificado em 2009. 

Os militares não foram afetados pela descrença no governo federal. O índice de confiança cresceu mais 3 pontos e chegou ao total de 72 pontos, atrás apenas do Corpo de Bombeiros, Polícia Federal e Igrejas.

Com informações de Revista Piauí

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.