Praias registram aglomeração em meio a crescimento da pandemia

Festa na praia de Ipanema repercutiu nas redes sociais e causou indignação. Também houve registro de aglomeração em Cabo Frio.

Festa em Ipanema - Foto: Reprodução/Twitter

Nesta quarta-feira (30), o Brasil registrou 1.224 novas mortes por Covid-19 em 24 horas, maior marca desde agosto. Em meio a esse cenário, uma festa entre a noite de quarta e a madrugada desta quinta-feira (31) causou aglomeração na altura do Posto 9 em Ipanema, Rio de Janeiro, gerando indignação nas redes sociais.

O nome da praia famosa foi parar nos trending topics, a lista de assuntos mais comentados do Twitter, com internautas compartilhando fotos e vídeos. Neles, vê-se uma multidão em trajes de banho, todos sem máscara e sem respeitar o distanciamento social.

A aglomeração aconteceu apesar de a Prefeitura do Rio ter anunciado a adoção de medidas para restringir o acesso à orla na cidade, que ontem chegou à marca de 14.473 mortos pela pandemia.

Segundo o Jornal Extra, a festa terminou de madrugada com a chegada da Polícia Militar. No entanto, de acordo com o Portal G1, após a atuação dos policiais muitas pessoas continuaram na areia e no calçadão.

Uma internauta postou uma imagem que seria da praia de Ipanema lotada já na manhã desta quinta-feira.

Também há registros de aglomeração em Cabo Frio-RJ, na noite de quarta.

Autor

Um comentario para "Praias registram aglomeração em meio a crescimento da pandemia"

  1. Darcy Brasil disse:

    Não dá para afirmar que esses indivíduos são bolsonaristas, porém, se não o são de forma declarada, orienta-se por uma concepção de mundo individualista, egoísta, não solidária, de direita, mesmo que alguns deles não tenham votado em Bolsonaro nos dois turnos, porque não ter votado em Bolsonaro nos dois turnos não autoriza ninguém a classificar o eleitor como não individualista, pois a maioria dos determinantes do voto não se definem pela concepção de mundo, mas por interesses particulares, individuais, e suas expectativas de contemplação por essa ou aquela candidatura. Por isso que a redução da luta de classes, como faz o PT, por exemplo, à luta pelo voto é uma genuína manifestação do economicismo, da atuação dentro dos limites que interessa à dominação de classe da burguesia. Um partido de esquerda, de verdade e não apenas em palavras, deveria ter como preocupação maior a discussão dos métodos, táticas e estratégias que levam à conquista de corações e mentes dos trabalhadores e do povo, e não à conquista de votos. A conquista de corações e mentes leva necessariamente à conquista de votos, assim como à conquista de atitudes coerentes com uma concepção de mundo solidária, não individualista, porém, a recíproca não é verdadeira. Sigamos todos os ensinamentos do marxismo-leninismo que ensinou João Amazonas a nos ensinar. Somente assim o seu apreço pela ideia de revolução poderá a todos contagiar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.