Morre padre Ticão, liderança religiosa e social na zona leste

Forte defensor dos direitos de moradia e saúde na Zona Leste de São Paulo, era pároco da Paróquia de São Francisco de Assis, em Ermelino Matarazzo, desde 1982

Padre Ticão morre no primeiro dia de 2021.

Morreu na noite desta sexta-feira, 1o de janeiro, o padre Antonio Luiz Marchioni, conhecido como Padre Ticão, aos 68 anos. Liderança religiosa e social na zona leste de São Paulo, era pároco da Paróquia de São Francisco de Assis, em Ermelino Matarazzo, desde 1982.

Com forte atuação nos movimentos de moradia, sua morte foi lamentada tanto por líderes de esquerda quanto de direita. Nas redes sociais, houve manifestações desde a noite de sexta de políticos como o prefeito Bruno Covas (PSDB) e os ex-prefeitos Luiza Erundina (PSOL) e Fernando Haddad (PT), entre outros.

Ele estava internado desde quinta-feira, 31, no Hospital Santa Marcelina, após apresentar sintomas como falta de ar e cansaço. De acordo com Waldir Augusti, o professor Waldir, amigo e parceiro de Ticão, ele chegou a ser testado para covid-19, mas o resultado foi negativo. Waldir afirma que Ticão tinha um problema cardíaco, mas estava bem até então. No hospital também foi identificada água em seus pulmões.

Comunicado divulgado pelo hospital aponta que ele “deu entrada na unidade em decorrência de uma arritmia cardíaca e o diagnóstico de edema pulmonar, permanecendo internado sob cuidado intensivo e cardiológico”. Segundo o hospital, ele morreu “após nova descompensação da arritmia cardíaca, seguida de parada cardiorrespiratória.”.

Nascido em Urupês (interior de SP), Ticão chegou à capital nos anos 1970, após apoiar greves de bóias-frias e de professores na região de Araraquara (SP). Na década de 1980, ao apoiar movimentos por moradia que cobravam do então governador Franco Montoro a construção de conjuntos habitacionais, participou da invasão à Secretaria de Estado da Habitação.

Ele defendeu a construção do Hospital de Ermelino Matarazzo e unidades básicas de saúde, assim como pela instalação da USP Leste. Sua proximidade com governos do PSDB contribuíram para isso.

Uma de suas marcas na região foi a criação da Escola da Cidadania, espaço para discussão sobre temas sociais e políticos, nos moldes da Escola de Governo, da USP.

Deus canabista

Religioso ministra um curso de Cannabis em comunidade da zona leste de São Paulo, em que afirma que as plantas são a “farmácia de Deus” e sonha em tornar o povo independente daquilo que chama de “medicina do mercado”.

Nos últimos anos, ele se engajou na defesa do uso medicinal da cannabis. Em entrevista em 2019 à revista Carta Capital, Ticão falou: “Não vou dizer que Deus é maconheiro, eu realmente não sei. Mas com certeza ele é canabista”. O padre causou controvérsia na igreja e chegou a ser ameaçado por isso.

Segundo Waldir, Ticão começou a realizar cursos sobre a substância em parceria com a Unifesp. O primeiro reuniu cerca de 330 pessoas e o quarto, e mais recente, já tinha atraído 4.500 pessoas.

O velório foi realizado na manhã deste sábado, na Igreja São Francisco de Assis, em Ermelino Matarazzo. E o enterro ocorreu às 15h no Cemitério do Carmo I, em Itaquera.

Autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *