O que disseram democratas e republicanos sobre a “incitação ao golpe”

Democratas e republicanos culpam Trump por incitar o “golpe” enquanto a multidão ataca o Capitólio

Membros da equipe do Congresso são evacuados depois que manifestantes invadiram o Capitólio dos EUA.

Nesta quarta-feira, democratas do Congresso e alguns republicanos acusaram o presidente Trump de incitar um golpe depois que uma multidão furiosa de seus partidários invadiu o Capitólio dos EUA, interrompeu os procedimentos para confirmar a vitória do presidente eleito Joe Biden e desencadeou a evacuação de parlamentares.

Um trio dos críticos republicanos mais ruidosos de Trump no Congresso por seus esforços para minar os resultados das eleições atacou o presidente.

O senador Mitt Romney (R-Utah) lançou uma crítica contundente a Trump, dizendo que os eventos do dia foram resultado do “orgulho ferido de um homem egoísta e da indignação de seus partidários, a quem ele deliberadamente desinformou nos últimos dois meses e começou a agir esta mesma manhã. O que aconteceu aqui hoje foi uma insurreição, instigada pelo Presidente dos Estados Unidos ”.

O deputado Adam Kinzinger (R-Illinois), que chamou de “tentativa de golpe”, tuitou diretamente para Trump: “Você não está protegendo o país. Onde está a guarda nacional? Você terminou e seu legado será um desastre.”

E o senador Ben Sasse (R-Nebraska.) disse que o Capitólio “foi saqueado, enquanto o líder do mundo livre se encolhia atrás de seu teclado – tweetando contra seu vice-presidente por cumprir os deveres de seu juramento à Constituição”.

“As mentiras têm consequências”, acrescentou Sasse. “Essa violência foi o resultado inevitável e desagradável do vício do presidente em alimentar a divisão constantemente.”

O deputado Don Bacon (R-Nebraska) Também culpou a retórica de Trump, dizendo: “nosso presidente deveria ter dado um tom muito mais claro. Os líderes criam calma e direção; eles não inspiram as pessoas a ficarem com raiva e fazerem as coisas que estão fazendo.”

Ele pediu ao presidente que “se levante e seja um líder melhor nisso, porque ele não tem pensado nisso. … Ele precisa respeitar a transição pacífica de poder.”

O ex-congressista Will Hurd (R-Texas), que se aposentou no ano passado por causa de suas frustrações com a tomada do partido por Trump, chamou a invasão do Capitólio como um ato de “terrorismo doméstico”.

“Isso deve ser tratado como um golpe liderado por um presidente que não será retirado pacificamente do poder”, postou Hurd.

Os democratas, tweetando de espaços seguros dentro do Capitol, reagiram apaixonadamente ao caos ao redor deles.

“Este é o melhor dos bandidos”, tuitou Adriano Espaillat (D-Nova York). “E as chamas estão sendo alimentadas pela pessoa atualmente em nossa #CasaBranca. Donald Trump é o responsável por isso. #TrumpBandido”

“Em 24 de agosto de 1814, os britânicos invadiram nosso Capitólio e atearam fogo nele”, tuitou o senador Cory Booker (D-Nova Jersey). “Agora o Capitol foi novamente violado e sitiado. Donald Trump incitou isso. Ele é o responsável por isso. E ele fica em silêncio enquanto este momento trágico continua.”

A deputada Ilhan Omar (D-Minnessota.) disse que prepararia a documentação para o impeachment do presidente. “Estou redigindo artigos de impeachment”, ela tuitou. “Donald J. Trump deveria ser destituído pela Câmara dos Representantes e destituído do cargo pelo Senado dos Estados Unidos. Não podemos permitir que ele permaneça no cargo, é uma questão de preservar nossa República e precisamos cumprir nosso juramento. ”

“Isso é ultrajante, e o presidente o causou”, disse o deputado David N. Cicilline (D-Rodhes Island) no Twitter. “Devemos acusá-lo e condená-lo amanhã.”

A deputada Cori Bush (D-Montana) disse que pedirá a “expulsão dos membros republicanos do Congresso que incitaram este ataque terrorista doméstico no Capitólio”.

Em um comunicado, o senador Josh Hawley (R-Montana), o primeiro senador a anunciar que se oporia a certificar a vitória do colégio eleitoral de Biden, disse que “a violência deve acabar”.

Aqueles “que atacaram a polícia e infringiram a lei devem ser processados, e o Congresso deve voltar ao trabalho e terminar seu trabalho”, acrescentou.

Enquanto isso, o deputado Joaquin Castro (D-Texas) disse que Hawley e o senador Ted Cruz (R-Texas) – que também liderou o esforço para contestar a vitória de Biden em vários estados – deveriam “renunciar imediatamente”.

Pelo menos alguns republicanos reconsideraram seu apoio à oposição aos resultados do colégio eleitoral após o ataque ao Capitólio. A deputada Cathy McMorris Rodgers (R-Washington) disse que agora votaria para defendê-los e pediu ao presidente que “condene e acabe com essa loucura”.

Com informações do Washington Post, traduzidas por Cezar Xavier

Autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *