Projeto Portinari, que divulga obra do pintor, completa 42 anos

Diretor do projeto e filho do artista, João Candido Portinari comemorou data em suas redes: “Grande legado pictórico, ético e humanista”

Projeto Portinari - Foto: Reprodução/Instagram

Diretor do Projeto Portinari e filho do pintor Candido Portinari, um dos maiores nomes do Modernismo, João Candido Portinari comemorou nesta sexta-feira (2) em suas redes sociais os 42 anos do projeto fundado por ele para preservar e tornar acessível a obra de seu pai.

“Agradeço de coração a esta equipe valorosa e querida que, com sua dedicação, competência, e fé no Brasil, de mãos dadas (Drummon) nos possibilitou tantas conquistas e realizações, levando a cada brasileiro (e estrangeiros também) o grande legado pictórico, ético e humanista que Portinari nos deixou”, disse.

Ele agradeceu ainda à Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) e às demais entidades públicas e privadas que ajudaram a viabilizar o projeto ao longo das últimas décadas. Em 1966, após 10 anos vivendo no exterior, João Candido Portinari voltou ao Brasil a convite da PUC-RJ para fundar o Departamento de Matemática, do qual virou diretor no ano seguinte.

Ele se aproximou da obra do pai ao ver que a memória dele estava sendo esquecida meros 17 anos após a morte do pintor. Em 1979, fundou o Projeto Portinari e no ano seguinte a PUC-RJ acolheu oficialmente o projeto.

As obras de Candido Portinari alcançaram renome internacional, sendo exemplos o Painel Guerra e Paz, na sede das Nações Unidas em Nova York, e a série Emigrantes, do acervo do Museu de Arte de São Paulo (MASP). Sua história e obras podem ser conhecidos no Museu Casa de Portinari, em Brodowski, interior de São Paulo, na casa em que o pintor nasceu em 1903. Com a pandemia, o museu oferece horários especiais e tour virtual.

Autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *