23 de abril. Dia Mundial do Livro. #DEFENDAOLIVRO

O dia 23 de Abril foi proclamado pela Conferência Geral da UNESCO, em 1995, como data simbólica da literatura mundial e instituída como Dia Mundial do Livro e do Direito do Autor. A data coincide com a do desaparecimento dos escritores William Shakespeare, Miguel de Cervantes e Inca Garcilaso de la Vega. No Brasil de 2021, esta data ganha relevância diante das ameaças do governo contra a indústria livreira.

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) escolheu a data do Dia Mundial do Livro em 1995, em Paris, durante o XXVIII Congresso Geral. Uma tradição catalã ligada aos livros já existia no dia 23 de abril, e parece ter influenciado a escolha da Unesco. Na tradição catalã, no dia de São Jorge (23 de abril), é costume dar uma rosa para quem comprar um livro. Trocar flores por livros já se tornou tradição em outros países também.

O dia 23 de abril foi escolhido por ser, coincidentemente, a data da morte de três grandes escritores da história: William Shakespeare, Miguel de Cervantes e Inca Garcilaso de la Vega.

23 de abril é também a data de nascimento ou morte de outros autores famosos, como Maurice Druon, Haldor K.Laxness, Vladimir Nabokov, Josep Pla e Manuel Mejía Vallejo.

Este dia homenageia livros e autores e incentiva o acesso à leitura para o maior número possível de pessoas. Transcendendo fronteiras físicas, o livro representa uma das mais belas invenções para o compartilhamento de ideias transformadoras e encarna um instrumento eficaz para combater as desigualdades e construir um mundo com mais tolerância e justiça social.

Em sua mensagem de 2018, em comemoração ao Dia Mundial do Livro, a diretora-geral da Unesco, Audrey Azoulay, comentou: “Ao celebrarmos o livro, celebramos atividades — escrita, leitura, tradução, publicação — através das quais o ser humano se eleva e se realiza; e celebramos, fundamentalmente, as liberdades que as tornam possíveis. O livro é o ponto de encontro das mais essenciais liberdades humanas, nomeadamente a liberdade de expressão e de edição.”

Em seu site, a UNESCO também afirma que “ao defender o livro e os direitos autorais, a entidade apóia a criatividade, a diversidade e a igualdade de acesso ao conhecimento”. No Brasil, esta celebração ganha ainda mais relevância em meio à pandemia do coronavírus e ameaças do governo Bolsonaro de passar a tributar a venda de livros (atualmente isentos de impostos).

DEFENDA O LIVRO

Em agosto de 2020, a Câmara Brasileira do Livro (CBL), o Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL) e a Liga Brasileira de Editoras (LIBRE) publicaram um manifesto em conjunto com outras entidades ligadas ao mercado editorial defendendo a manutenção da imunidade tributária do livro, em vigor no Brasil desde 1946.

O movimento foi uma resposta à proposta de Reforma Tributária que visa à taxação do livro em 12%, um preocupante entrave para o amplo acesso da população ao direito à leitura, fundamental para a construção de cidadania e para o fomento da cultura e da educação no país.

Nas últimas semanas, o tema voltou à tona em razão de um documento de Perguntas e Respostas divulgado pela Receita Federal, que, entre outros aspectos questionáveis, afirma que o livro é consumido apenas por famílias de alta renda.

Como reação ao retorno desse debate, o abaixo-assinado #defendaolivro ganhou adesão de mais de 300 mil assinaturas nos últimos dias, voltando a injetar força na convicção de que o livro deve permanecer isento de impostos e deve ser para todos.

Ao celebrar o Dia Mundial do Livro, e às vésperas do Dia da Educação (celebrado em 28/04), entendemos que a maior homenagem à leitura, aos leitores e a todos os agentes envolvidos na cadeia livreira no país é seguir defendendo a integridade do livro e o seu usufruto por toda a sociedade. Aderir ao abaixo-assinado é um passo nesse sentido. O adesão pode ser feita no link: https://www.change.org/p/defenda-o-livro-diga-n%C3%A3o-%C3%A0-tributa%C3%A7%C3%A3o-de-livros

#CUPOM DE DESCONTO

Outra forma de apoiar o livro é prestigiar autores e livrarias pequenas e indepentes. A Anita Garibaldi é uma delas. A existência dessas livrarias, assim como das pequenas e médias editoras, é fundamental para a manutenção da bibliodiversidade e para dar vazão a um conjunto de ideias que não encontram espaço nas grandes corporações editoriais.

Neste Dia Mundial do Livro, a loja online da Anita Garibaldi está promovendo uma promoção especial, oferecendo um cupom de desconto de 23% em todos os títulos à venda no site. Acesse: https://www.livrariaanita.com.br e confira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *