Escândalo mundial afronta o Brasil

Bolsonaro tem que ser substituído, impedido de continuar!

Ilustração: Aroeira

O discurso de Bolsonaro é afinado com Trump, articulado. Querem minimizar de maneira criminosa a pandemia, convocar para o desastre sanitário e social e preservar interesses de ínfima minoria.

Para Trump primeiro a economia, aceitando um tanto de mortes, que afinal é mais ou menos como as mortes nas estradas, depois as vidas, dos “de baixo”, claro. É a arrogância em estado puro.

Um aliado seu, o vice-governador do Texas chegou a afirmar que não seria grande problema a morte de velhos, contanto que a economia siga adiante, pois assim, segundo ele, outras vidas seriam mantidas. Chegou a comentar algo como gente de setenta, oitenta anos, numa linguagem mal disfarçada, poderiam ser aceitos como descartáveis. Já deram o que tinham que dar, ou melhor produzir.

Para essa gente a existência é um peso para as contas públicas, um fardo. O estado serve para a reprodução bruta e estúpida do capital. Só.

A que pontos chegamos!!

A meta é salvar os bancos, grandes empresas e o giro da bolsa de valores.

Bolsonaro repete esse conteúdo com outras palavras e chega a propor que as crianças devem voltar às aulas. O ministro Mandetta, até agora um pouco responsável, e respeitado minimamente, foi na mesma linha. Disse ele: como vamos ter outros serviços de saúde em clínicas? Pré-natal? Como vão circular as mercadorias? Medicamentos? Ora, como nos demais países que tem quarentena obrigatória ou recolhimento compulsório!

As soluções encontradas asseguram certos segmentos da produção, da logística, dos serviços de saúde, segurança e atividade bancária em funcionamento. Quarentena não é suicídio coletivo, nem suspensão da vida. Ao contrário é um caminho para a existência neste momento.

Não há paralisia nacional, há confinamento da maioria da população para reduzir a velocidade de expansão do vírus e assim ganhar tempo para tudo. Isto é, descobrir novos produtos, vacinas, garantir a fabricação de equipamentos e utensílios para o tratamento, assim como desinfecção, etc.

Bolsonaro tem que ser substituído, impedido de continuar!

Os segmentos mais lúcidos ou espertos de setores das elites já tem isso claro. Alguns canais de TV, outros veículos da imprensa e lideres diversos tem se manifestado.

A base popular já é majoritariamente contra ou tende a sê-lo a curto prazo.

Certos empresários como o dono da Madero , “o melhor hambúrguer do mundo “, o dono da Havan ,de consumo popular e grotesco em suas aparições, e Justus , um literal copiador de Trump, pretenso publicitário e animador das rodas de coquetel da elite paulista , se manifestaram de maneira espantosa, desprezando as mortes possíveis; seguramente , em suas mentes, de gente humilde ou pelo menos com vidas longe das deles.

Que importa? Precisa ser salva a economia e os lucros tal qual estão aí funcnionado a seu favor.

Espera-se que setores da economia e de outros tantos segmentos sociais   na condição de segmentos dirigentes e dominantes se manifestem. Há gente que não aceita entrar numa aventura irresponsável e com claras mostras de golpismo e fechamento político.

A TV Bandeirantes quando faz seus duros ataques ao governo e especialmente à figura do presidente e seu clã familiar, representa também, por exemplo, o interesse da agricultura hiper capitalista do interior de São Paulo, grande exportadora para a China. A Bandeirantes tem convenio operacional com a TV estatal internacional chinesa, a CCTV, e reproduz, para todo o país, certos conteúdos da gigante asiática.

Não é possível ir às ruas em massa, mas é possível e necessário enfeitar janelas e varandas; levar faixas e bandeiras na hora da vacinação e farmácia; marcar mais panelaços e buzinaços, inclusive em horários como o do almoço. Está quase todo mundo em casa, não precisa esperar a noite.

É hora de mobilização total. O país está em risco.

As opiniões expostas neste artigo não refletem necessariamente a opinião do Portal Vermelho
Autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *