A esquerda bem informada
A esquerda bem informada

Tag: transexualidade

Brasil mata uma pessoa trans a cada três dias, aponta dossiê

Em 2019, foram assassinadas 124 pessoas trans no Brasil, país que mais mata travestis e transexuais em todo o mundo

Juristas defendem tratamento diferenciado a trans no socioeducativo

Juristas reunidos no 7º Fórum Nacional da Justiça Protetiva (Fonajup) e do 25º Fórum Nacional da Justiça Juvenil (Fonajuv) são contrários ao encaminhamento de mulheres transexuais e travestis para alas masculinas, em unidades para cumprimento de medidas socioeducativas. Aplicadas pela Justiça com finalidade pedagógica, as medidas socioeducativas são destinadas a adolescentes entre 12 e 18 anos que incidiram na prática de crime ou contravenção penal.

Brasileira fala sobre o trabalho para se tornar mulher e astrofísica

A cientista brasileira Vivian Miranda, que trabalho em um projeto da agência espacial norte-americana Nasa, conta sobre a trajetória, o trabalho como astrônoma e perspectivas que enxerga no Brasil

Por Marcela Tosi, especial para o jornal O Povo

Qual a visibilidade de trans e travesti que queremos

Ser travesti, mulher trans ou homem trans no país do mundo que mais mata esses segmentos é resistir ao ódio, à intolerância, à ignorância e lutar por uma sociedade mais equânime entre os gêneros, respeitando-os e compreendendo que é legítimo existir e transformar.

Por Sílvia Cavalleire e Rodrigues Lima*

“Mulheres trans podem cumprir pena em presídios femininos”

STF já autorizou transferências em casos isolados; especialista pondera que medida deve ser opcional.

Por Lu Sudré

OMS tira transexualidade da lista de doenças, mas há muito a avançar

Em sua nova versão da Classificação Internacional de Doenças, a Organização Mundial da Saúde (OMS) retirou a transexualidade da lista de doenças mentais. A informação foi divulgada na última segunda-feira (18) e, apesar de ser um avanço significativo, ainda há uma longa caminhada para que a intolerância cesse no país que mais mata pessoas trans no mundo.

Por Verônica Lugarini

Visibilidade: 1ª Marcha do Orgulho Trans ocupou Arouche, em SP

O Brasil é o país que mais mata travestis, transexuais e transgêneros com uma pessoa assassinada a cada 48 horas. Em 2017, foram 185 mortos, maior número já registrado pelo observatório de violência trans. Os dados são do Dossiê: A carne mais barata do mercado, lançado no início deste ano, com dados do Observatório da Violência, mantido pelo site Observatório Trans.

Travestis e transexuais comemoram Dia do Orgulho Trans no Rio

O Dia Estadual do Orgulho de Ser Travesti e Transexual foi comemorado nesta terça-feira (15), no Rio de Janeiro, com o objetivo de mostrar à sociedade que transexuais e travestis estão sempre de cabeça erguida. A afirmação foi feita à Agência Brasil pela presidente da Associação de Travestis e Pessoas Transexuais do Estado (Astra RJ), Andréa Brazil.

Transexuais e travestis podem incluir nome social no título de eleitor

Nesta segunda-feira (02), Justiça Eleitoral autorizou transexuais e travestis a pedirem a inclusão do nome social no título de eleitor. Com a medida, também será possível atualizar a identidade de gênero no cadastro eleitoral.

Trans comemoram decisão do STF que permite mudança no registro civil

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu essa semana que pessoas transexuais e transgêneros têm o direito de alterar nomes e sexo no registro civil sem a necessidade de realizar cirurgia de redesignação sexual e apresentar laudo médico pericial. A maioria da Corte também decidiu que não é mais preciso ter uma autorização judicial para fazer a mudança, ou seja, os processos de retificação do registro civil vão ocorrer por via administrativa, sem a necessidade de judicialização.

STF autoriza transexuais a mudarem nome sem necessidade de cirurgia

 Corte definiu ainda que não serão necessários decisão judicial ou laudos médicos e psicológicos para efetivar a alteração no registro civil.

Funkeira, sambista e trans, a pedra rara do Sambódromo

Marcelly Morena foi expulsa de casa aos 16 anos, entrou o mundo do funk e virou princesa do Carnaval da sua cidade, Duque de Caxias. Seu orgulho é romper tabus na tradição do samba.

1 2 3 4