Bolsonaro mandou Queiroz faltar depoimento no Ministério Público

Nova revelação está no livro “Tormenta – O governo Bolsonaro: crises, intrigas e segredos”, da jornalista Thaís Oyama, que será lançado na próxima semana.

Jair Bolsonaro, Flávio Bolsonaro e Fabrício Queiroz

O livro “Tormenta – O governo Bolsonaro: crises, intrigas e segredos”, da jornalista Thaís Oyama, que será lançado pela Companhia das Letras no próximo dia 20, revela que Jair Bolsonaro deu ordem a Fabricio Queiroz, ex-assessor do atual senador Flávio Bolsonaro (sem partido), para faltar depoimento no Ministério Público do Rio de Janeiro.

“Segundo o livro, os advogados de Queiroz e Jair Bolsonaro haviam acertado que Queiroz iria ao interrogatório em dezembro de 2018 — com um Bolsonaro recém-eleito — e diria aos procuradores que não poderia falar até sua defesa ter acesso ao processo. E faria um adendo: que ninguém da família Bolsonaro tinha relação com o caso investigado”, revelou reportagem da revista Época.

Segundo a notícia, a avaliação era que, assim, Queiroz não ficaria com fama de fujão, e blindaria a imagem de Jair e Flávio Bolsonaro. Mas tudo mudou dois dias antes do depoimento, quando Jair Bolsonaro mandou abortar a operação.

“O presidente havia sido convencido por um advogado amigo que a melhor estratégia para abafar a história era jogar o caso para o STF — onde depois a defesa de Flávio Bolsonaro conseguiu uma liminar de Dias Toffoli paralisando investigações baseadas em informações de Coaf e Receita Federal”, diz a reportagem.