Organizações defendem o ‘Prêmio Nobel da Paz’ para médicos cubanos

Duas organizações, dos EUA e da França, promovem campanhas para que a honraria valorize o trabalho internacional dos cubanos na luta contra catástrofes e epidemias.

A organização americana Codepink solicita que o Prêmio Nobel da Paz seja concedido aos médicos cubanos por sua luta contra o COVID-19 em muitos países.

O grupo feminista e pacifista (Codepink) pediu ao Comitê do Prêmio Nobel da Paz que considere a inclusão de médicos cubanos na lista de candidatos deste ano, mesmo que o prazo para as indicações tenha passado.

As ativistas acreditam que ainda há uma chance de nomear médicos cubanos para o prêmio, se eles conseguirem apoio suficiente em todo o mundo ou se puderem convencer um membro do comitê.

“Enquanto o [presidente dos EUA] Donald Trump ataca a China e rouba equipamentos de proteção individual de outros países, os médicos cubanos estão combatendo o COVID-19 em todo o mundo.

A brigada médica internacional Henry Reeve, em Cuba, está atualmente lutando contra o coronavírus em cerca de vinte países e merece o Prêmio Nobel da Paz “, afirmou o grupo em seu site.

Também destaca que a Brigada Henry Reeve – que está trabalhando em todo o mundo para combater a pandemia – é apenas parte do sistema médico cubano, coordenado pelo Ministério de Saúde Pública de Cuba, que enviou mais pessoal de saúde para trabalhar em o estrangeiro do que toda a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Cuba continua a enviar seu pessoal médico para diferentes países do mundo, apesar de ter sido vítima do bloqueio e da pressão injusta dos Estados Unidos.

Itália, Venezuela, Nicarágua, Suriname e Haiti são alguns dos países que receberam assistência médica da ilha, uma ajuda e solidariedade de que os cubanos se orgulham.

Segundo reporta a Hispantv, pelo menos 29.000 profissionais de saúde cubanos, com boa reputação internacional, estão em 60 países ao redor do mundo para ajudar os mais necessitados. É uma solidariedade, que Havana baseia na crença de um sistema universal de saúde.

Enquanto isso, na França…

A organização francesa Cuba Linda pediu a entrega do Prêmio Nobel da Paz às brigadas médicas cubanas Henry Reeve, implantadas em mais de 20 países em frente ao Covid-19.

“A comunidade internacional é testemunha da solidariedade dos profissionais de saúde que deixam seu país para prestar serviços e compartilhar experiências em outras partes do mundo que, no caso da pandemia causada pelo novo coronavírus, chegam ao coração da Europa” , disse a organização em comunicado.

O texto indica que a colaboração médica cubana é corriqueira na África, Ásia e América Latina, onde os profissionais da saúde desta Ilha salvam vidas desde os primeiros anos da Revolução, que triunfou em 1959.

Lembra a criação do contingente internacionalista “Henry Reeve” especializado em grandes desastres e epidemias por iniciativa do líder histórico Fidel Castro, cuja ajuda foi efetiva em tragédias ocorridas no Paquistão, Equador, Venezuela, Haiti, Serra Leoa, Libéria e outras nações. Hoje seus integrantes estão também na Itália e Andorra, atendendo diretamente pacientes da Covid-19, destacou a associação francesa.

Cuba Linda criou a página no Facebook chamada “Prix Nobel pour les brigades medicales cubaines” (Prêmio Nobel para Brigadas de Médicos Cubanos) para obter apoio público para que a honraria seja dada aos médicos cubanos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.