Amapá: parlamentares pedem explicações sobre apagão e desabastecimento

Blecaute deixou 14 dos 16 municípios amapaenses sem energia, como a capital, Macapá

(Foto: Reprodução)

O blecaute que atinge ao menos 14 cidades do Amapá desde terça-feira 3 levou parlamentares do estado a cobrar explicações. O senador Randolfe Rodrigues (Rede) e o deputado Camilo Capiberibe (PSB) protocolaram, nesta quinta-feira (5), uma representação no Ministério Público Federal e Ministério Público Estadual para que se apurem as causas da crise e seus responsáveis.

“É fundamental o pleno restabelecimento do fornecimento da energia elétrica para minimizar as já trágicas consequências de todos estes acontecimentos ao povo do Amapá”, disse Randolfe. Nas redes sociais, o senador disse que já são mais de 50 horas de apagão.

O estado enfrenta problemas no fornecimento desde o início da semana, quando um incêndio atingiu um dos três transformadores de uma subestação de energia, deixando 14 de seus 16 municípios sem energia, como a capital, Macapá. Além do transformador, mais dois equipamentos ficaram danificados. Não há possibilidade de reaproveitamento de peças, inviabilizando o religamento da estação.

Deputados do PCdoB também estão usando suas redes sociais para repercutir o assunto, chamar a atenção para a gravidade da situação vivida no estado e cobrar ações efetivas do governo federal.

“Três dias que um estado brasileiro está sem luz. Três dias, Bolsonaro. Vai Trabalhar!”, afirmou a deputada Jandira Feghali (RJ).

A deputada Alice Portugal (BA) afirmou que Bolsonaro deveria “parar de pensar no Trump e olhar para a situação do Amapá”. De olho no resultado das eleições norte-americanas, Bolsonaro tem feito recorrentes declarações sobre a possível derrota de Donald Trump, mas nada disse sobre o apagão no estado brasileiro.

O deputado Orlando Silva (SP) também enfatizou a omissão do Estado. “É muito preocupante o que acontece no Amapá. A falta de energia elétrica impacta na conservação e no abastecimento de produtos básicos e vitais. Irmãos brasileiros vivendo sob calamidade e não se ouviu uma só palavra do governo federal”, destacou.

O deputado Daniel Almeida (BA), além de prestar solidariedade aos amapaenses e cobrar ações do governo Bolsonaro, lembrou que o fornecimento de energia na região é feito por uma empresa privada, apontando os riscos da privatização de serviços essenciais, como pretende o governo de Jair Bolsonaro.

“Minha solidariedade a todos os cidadãos amapaenses. Como parlamentar, cobrarei do governo federal ações para amenizar e resolver a situação. Importante lembrarmos também que a empresa responsável pelo apagão no estado é uma empresa privada, de capital espanhol, mostrando que privatizar as nossas estatais não é a solução para melhoria dos serviços. Além disso, quatro dias sem energia elétrica impactam diretamente em ações básicas como armazenar alimentos, medicação e também prejudica os bancos de sangue. Isso acontece em um momento de pandemia, onde o país passa por uma crise sem precedentes”, afirmou.

O governo federal, por meio do ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, afirmou que havia a expectativa de que fossem restabelecidos de 60% a 70% do abastecimento de energia elétrica no estado ainda na quinta-feira. Segundo o ministro, o restabelecimento das condições normais de abastecimento energético no estado deve levar 30 dias.

Com informações da CartaCapital e do PCdoB na Câmara

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *