IBGE e Conab preveem crescimento de 2,6% na produção de grãos 

A produção de grãos no Brasil deve chegar a 193,47 milhões de toneladas, volume aproximadamente 2,6% superior à safra passada. De acordo com o 11º levantamento de grãos da safra 2013/2014, divulgado nesta quinta-feira (7) pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a estimativa é um pouco menor que a do levantamento divulgado em julho (193,87 milhões de toneladas).

safra de graos - Reprodução

O IBGE também prevê safra 2,6% maior que a do ano passado. A safra de cereais, leguminosas e oleaginosas deve fechar 2014 em 193,2 milhões de toneladas, segundo estimativa de julho do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

De acordo com a previsão de julho, o arroz e a soja devem ter aumento de produção de 4,4% e 6%, respectivamente, na comparação com 2013. Das três principais culturas, apenas o milho deverá ter queda (-4,4%).

Dezoito dos 26 produtos analisados pelo IBGE deverão aumento na produção em relação a 2013. Além da soja e do arroz, são esperados crescimentos nas safras de café em grão – canéfora (16,7%), cana-de-açúcar (0,3%), feijão em grão 1ª safra (42,7%), feijão em grão 2ª safra (10,6%), laranja (0,9%) e trigo em grão (37,3%), entre outros.

Por outro lado, oito produtos devem fechar 2014 em queda, entre eles café em grão – arábica (-13,1%), feijão em grão 3ª safra (-12,2%), amendoim em casca 1ª safra (-19,3%), amendoim em casca 2ª safra (-16,8%) e batata-inglesa 3ª safra (-3,9%).

Em relação à área colhida neste ano, a previsão de julho é 0,1% inferior à feita em junho. Ainda assim, o aumento de área será 6,4% na comparação com 2013.

Estimativa da Conab

A soja apresentou incremento de 5,1% na produção, o equivalente a 4,16 milhões de toneladas. O trigo teve aumento de 35,7%, o que representa cerca de 2 milhões de toneladas. O crescimento dessa cultura se deve ao aumento de 20,7% na área plantada e às melhores condições climáticas, principalmente no Paraná, segundo a Conab.

O feijão registrou aumento de 635,9 mil toneladas, cerca de 22,7%. O milho total (primeira e segunda safras) sofreu queda de 3,6% (cerca de 3 milhões de toneladas), devendo chegar a 78,55 milhões de toneladas. A redução é reflexo da diminuição da primeira safra, uma vez que o plantio da segunda safra se manteve estável.

O total de área destinada ao plantio de grãos deve chegar a 56,85 milhões de hectares, o que significa alta de 6,1%, se comparado à área de 53,6 milhões de hectares da safra passada.

A Conab fez a pesquisa entre os dias 20 e 26 de julho. A companhia também divulgou levantamento da safra da cana-de-açúcar que, em 2014/15, deverá chegar a 659 milhões de toneladas, volume semelhante ao do período anterior. Houve elevação da área de corte, que passou de 8,8 para 9,1 milhões de hectares.

De acordo com a companhia, as condições climáticas desfavoráveis contribuíram de maneira negativa na produtividade dos canaviais, sobretudo da Região Centro-Sul.

A maior parte da produção de cana deverá ser destinada à produção de etanol, representando 54,2%. A produção do etanol hidratado, utilizado nos veículos flex-fuel, apresenta queda de 6,54% e sai da marca de 16,1 bilhões para 15 bilhões de litros. Enquanto isso, o anidro, destinado à mistura com a gasolina, será elevado em 6,11%, passando de 11,8 bilhões para 12,5 bilhões de litros. A produção de etanol total deverá passar de 27,9 para 27,6 bilhões de litros. Já a produção de açúcar está estimada em 38,2 milhões de toneladas, com crescimento de 1% em relação aos 37,9 milhões de toneladas produzidas na safra passada.

Com informações da Agência Brasil