Basta de violência policial!Por uma nova polícia, cidadã e qualificada

Acontece praticamente todo dia. Violência policial, muitas vezes fatal, contra a população mais pobre de periferias das grandes cidades, principalmente contra negros e negras, e jovens. Com diferença importante na atualidade: cada vez mais essa barbaridade é flagrada, filmada e compartilhada na internet, para a raiva dos bandidos de farda que a praticam.

Acontece praticamente todo dia. Violência policial, muitas vezes fatal, contra a população mais pobre de periferias das grandes cidades, principalmente contra negros e negras, e jovens.  Com diferença importante na atualidade: cada vez mais essa barbaridade é flagrada, filmada e compartilhada na internet, para a raiva dos bandidos de farda que a praticam.

O caso de que aqui se fala vitimou uma mulher negra, comerciante, de 51 anos, no bairro de Parelheiros, capital paulista, em 30 de maio passado.  Mas somente ontem (12/07) apareceu em toda a sua crueza perante todo o país, com o vídeo exibido pelo programa “Fantástico”, da Rede Globo, causando muita indignação.

Os PMs tentaram argumentar em seu favor que a mulher era dona de um bar onde ocorreria algum tipo de festa ruidosa e que ela tentou agredi-los.  Ainda que fosse isso o ocorrido inicialmente, nada justificaria o ato covarde e animalesco de pressionar o pescoço da mulher contra o asfalto, com ela já dominada, de modo parecido com a atitude do policial branco que asfixiou até a morte George Floyd, meses atrás, em Minneapolis, nos EUA.  A partir do que, através de todo aquele país, multiplicaram-se numerosíssimas passeatas de protesto sob as bandeiras de que “Vidas Negras Importam” e pelo fim da violência policial.

Ora, no Brasil, nas grandes cidades, e também em Curitiba, há muitos Georges Floyds apanhando, sendo torturados, morrendo nas mãos de policiais facinorosos. Além disso, especialmente em capitais como São Paulo e Rio, PMs são parte ativa das criminosas milícias (antigos “Esquadrões da Morte”), que controlam negócios escusos de contrabando de armas e até tráfico de drogas, hoje.

Não fosse a exibição pelo “Fantástico”, o caso passaria batido. Mas isso obrigou o ¨cheiroso governador paulista João Dória (PSDB) a ir ao twitter informar que “os policiais que agrediram uma mulher (…) já foram afastados e responderão a inquérito. As cenas exibidas no Fantástico causam repulsa. Inaceitável a conduta de violência desnecessária de alguns policiais. Não honram a qualidade da PM de SP.”

A essa manifestação, a cineasta Petra Costa (@petracostal), que dirigiu o ótimo filme “Democracia em Vertigem”, respondeu hoje no começo da tarde: “Correto, [governador], mas não suficiente. Não se trata de UM caso. O racismo nas polícias militares é ESTRUTURAL. Não é todos os dias que dá no Fantástico, mas todos os dias acontece. Então, a decisão está certa, mas esperamos MUITO MAIS: um plano sério para enfrentar o problema de fundo!” E nós acrescentamos: não basta exigir o fim da violência policial. Há que se demandar o FIM de uma polícia como é a atual PM. Há que se acabar com a PM e criar outro tipo de polícia, que, mesmo quando necessário agir com força diante de reais bandidos perigosos, saiba agir com cidadania e respeito pelas pessoas, em vez de criminalizar de antemão e vitimar cidadãos e cidadãs por causa de sua condição social e cor de pele.

Autor

2 comentários para "Basta de violência policial!Por uma nova polícia, cidadã e qualificada"

  1. Eliane Lopes disse:

    A Elza, como sempre, se posicionando a favor das minorias, com a clareza e a sensibilidade que lhe é peculiar.

  2. Eliane Lopes disse:

    A Elza se posicionando a favor das minorias, com sua clareza e a sensibilidade como sempre.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.