PCdoB busca acelerar a construção de uma federação partidária

O partido busca uma federação viabilize a derrota da extrema-direita e a conquista de um governo de amplas forças políticas que restaure a democracia e promova a reconstrução do país

Foto: Ana Cristina Santos

Uma federação que agregue legendas progressistas, do campo popular, foi como a presidenta nacional do PCdoB, Luciana Santos definou o objetivo a ser buscado pelo partido na construção de uma aliança partidária a partir da instituição do novo instrumento para organização dos partidos no Brasil. O tema dominou os debates na reunião do Comitê Central do partido realizada na sexta-feira (10) e no sábado (11). Ao final, a direção nacional do PCdoB referendou, por unanimidade, a resolução política sobre esse tema aprovada recentemente por sua Comissão Política Nacional (CPN).

A dirigente nacional ressaltou que a federação buscada pelo PCdoB tem a arquitetura de uma aliança capaz, pela sua representatividade e força, de ser determinante na grande luta em curso no país — derrotar Bolsonaro e eleger um governo democrático, progressista, de amplas forças —, e propiciar ao PCdoB a eleição de uma forte bancada de deputadas e deputados federais e, também de cadeiras nas Assembleias Legislativas.

Além desse perfil de federação, a resolução indica que a direção partidária deve prosseguir “com celeridade” o diálogo e as tratativas com “legendas do campo democrático, popular e patriótico” tendo em conta o “calendário da Justiça Eleitoral e, também, a dinâmica do curso político do país”.

Sobre processo de construção da Federação Partidária

Com base nos debates e na Resolução Política do 15º Congresso, a direção nacional do Partido Comunista do Brasil (PCdoB), tendo em vista a construção de uma Federação partidária, dará sequência com celeridade ao diálogo e às tratativas com as legendas do campo popular, democrático e patriótico por conta da urgência do calendário da Justiça Eleitoral e, também, da dinâmica do curso político do país.

O PCdoB seguirá empenhado por uma Federação que seja instrumento político e eleitoral que fortaleça a presença no Parlamento e no Executivo de um projeto de reconstrução nacional, de defesa da democracia e dos direitos sociais.

A Federação que o PCdoB trabalha para construir estará vocacionada a ser o esteio da derrota da extrema-direita e da conquista de um governo de amplas forças políticas que restaure a democracia e promova a reconstrução do país. Uma Federação que assegure os direitos do povo brasileiro, alavanque a eleição de uma grande bancada progressista e de governadores democráticos, e descortine uma aliança estratégica para a luta por um novo projeto de nação. Uma Federação que, de imediato, seja um instrumento de defesa da democracia, dos interesses da nação e contra o golpismo bolsonarista.

A decisão final sobre a Federação que o PCdoB irá integrar será tomada pelo Comitê Central de nosso Partido, no tempo político que a exigência da luta política exigir, tendo em conta o debate democrático interno, o resultado das tratativas com as legendas aliadas e as diretrizes da Resolução Política de nosso Congresso partidário.

Brasília, 11 de dezembro de 2021

Comitê Central do Partido Comunista do Brasil (PCdoB)

Nova direção

Além do debate sobre as federações partidárias, o Comitê Central do PCdoB elegeu neste sábado (11), a nova composição de sua Comissão Política Nacional (CPN) e a sua Comissão Permanente.

A CPN tem caráter deliberativo e dirige o Partido entre uma e outra reunião do Comitê Central. Já a Comissão Permanente, como o nome indica, tem o papel de – na dinâmica da luta política, no curso luta de classes -, responder com agilidade e capacidade resolutiva às demandas feitas ao Partido, além de adensar sua elaboração política e elevar sua eficácia nas diferentes frentes de trabalho. A Comissão Permanente, porém, não tem caráter deliberativo.

O Comitê Central indicou que a composição desses órgãos ficará ainda em aberto, podendo incorporar novos membros. A Comissão Executiva Nacional (CoEN) e a definição das secretarias e seus titulares, segue em processo de maturação e será eleita brevemente.

Abaixo os nomes dos membros de cada comissão:

Comissão Política Nacional

  1. Luciana Santos
  2. Adalberto Monteiro
  3. Adilson Araújo
  4. Alice Portugal
  5. Altamiro Borges
  6. Ana Prestes
  7. André Tokarski
  8. Carina Vitral
  9. Carlos Lopes
  10. Carlos Pereira
  11. Daniel Almeida
  12. Davidson Magalhães
  13. Fabio Tokarski
  14. Inácio Arruda
  15. Jandira Feghali
  16. João Batista Lemos
  17. João Vicente Goulart
  18. Jorge Venâncio
  19. Jose Reinaldo Carvalho
  20. Renato Rabelo
  21. Júlio Vellozo
  22. Márcia Campos
  23. Márcio Cabreira
  24. Márcio Jerry
  25. Marcivânia Flexa
  26. Jô Moraes
  27. Olivia Santana
  28. Perpétua Almeida
  29. Miguel Manso
  30. Nádia Campeão
  31. Neide Freitas
  32. Nilson Araújo
  33. Nivaldo Santana
  34. Renata Mieli
  35. Renildo Calheiros
  36. Ricardo Abreu Alemão
  37. Ronald Freitas
  38. Rosanita Campos
  39. Rovilson Britto
  40. Rubens Diniz
  41. Rubens Pereira Júnior
  42. Ubiraci Dantas
  43. Uldurico Pinto
  44. Valeria Morato
  45. Vanessa Grazziotin
  46. Wadson Ribeiro
  47. Walter Sorrentino

Comissão Permanente da CPN 

  1. Luciana Santos
  2. Walter Sorrentino
  3. Renato Rabelo
  4. Davidson Magalhães
  5. Renildo Calheiros
  6. Jandira Feghali
  7. Nivaldo Santana
  8. Júlio Vellozo
  9. Nádia Campeão
  10. Adalberto Monteiro
  11. Márcio Jerry
  12. Márcio Cabreira

Fonte: PCdoB