A esquerda bem informada
A esquerda bem informada

Adilson Araújo

Presidente da CTB (Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil)
Uma data para celebrar lutas e refletir os desafios dos trabalhadores

Leia artigo do presidente da CTB, Adilson Araújo, sobre as lutas e reivindicações da classe trabalhadora em meio à crise sanitária que o Brasil vive sob Bolsonaro.

CTB: Um 1º de Maio para celebrar e refletir

Apesar das restrições à mobilização popular impostas pela pandemia, é imperioso intensificar a luta para barrar o retrocesso civilizatório em curso no Brasil

Política sanitária de Bolsonaro é um atentado à saúde pública

Situação caótica do Brasil foi agravada pela emergência e o agravamento da crise sanitária e, na sequência, pelo fim do auxílio emergencial

Balanço das centrais sindicais: Luta intensa em 2020. Que venha 2021!

Será fundamental lutar para que o País tenha uma estratégia consistente para a retomada do crescimento econômico

Uma grande vitória do povo no Chile, por Adilson Araújo

Em plebiscito, os chilenos aprovaram uma nova Assembleia Nacional Constituinte

Forte recuperação do comércio prova os benefícios do auxílio de R$ 600

É preciso preservar o benefício no valor de R$ 600,00 não só para socorrer os trabalhadores e trabalhadoras mais vulneráveis. Mas também para evitar o definhamento do mercado interno e garantir a recuperação da economia e do mercado de trabalho.

Lutar para sepultar o teto dos gastos públicos

A crise sanitária instalada pelo novo coronavírus transformou o teto dos gastos numa mera fantasia.

Bolsonaro tem culpa pelo aumento do desemprego

A política de restauração neoliberal, iniciada por Michel Temer e aprofundada por Bolsonaro, é a causa maior do problema.

Em defesa da vida, do emprego e da democracia, por Adilson Araújo

CTB conclama a classe trabalhadora brasileira a participar da mobilização e fortalecer a campanha nacional lançada pelas centrais sindicais: Fora Bolsonaro

Combater o coronavírus com políticas públicas

Não é admissível num quadro de dificuldades transferir trilhões do Tesouro para doar aos banqueiros, rentistas e especuladores. O caminho, mais do que nunca, é de consolidar uma amplíssima Frente Democrática.